Por Esmael Morais

Osmar Dias deverá assumir Ministério da Agricultura em janeiro de 2014

Publicado em 23/09/2013

"Santa Ceia" comandada pela ministra Gleisi Hoffmann, em Toledo, neste domingo, discutiu as eleições de 2014; dentre os temas debatidos na mesa, a ida de Osmar Dias para o Ministério da Agricultura em janeiro de 2014; extraoficialmente, Fruet recebeu convite para disputar a vice da petista; prefeito de Curitiba não disse nem sim, nem não.

“Santa Ceia” comandada pela ministra Gleisi Hoffmann, em Toledo, neste domingo, discutiu as eleições de 2014; dentre os temas debatidos na mesa, a ida de Osmar Dias para o Ministério da Agricultura em janeiro de 2014; extraoficialmente, Fruet recebeu convite para disputar a vice da petista; prefeito de Curitiba não disse nem sim, nem não.

Quem esperava um confronto entre os irmãos àlvaro Dias (PSDB) e Osmar Dias (PDT) pelo Senado, em 2014, pode tirar o cavalinho da chuva. Não ocorrerá. Pelo menos é o que ouviu um “orelha seca” deste blog, ontem (22), em Toledo, durante a Festa Nacional do Porco no Rolete.

Segundo o papo que rolava na “Santa Ceia” petista, comandada pela ministra Gleisi Hoffmann (PT) e seus discípulos, o vice-presidente do Banco do Brasil, Osmar Dias (PDT), deverá assumir o Ministério da Agricultura a partir de janeiro de 2014.

O titular da pasta, deputado Antônio Eustáquio Andrade Ferreira (PMDB-MG), sairá em dezembro para disputar um novo mandato na Câmara. Os peemedebistas deverão ser agraciados com outro espaço no governo Dilma.

A animada conversa sobre 2014 foi suprapartidária. Além de Gleisi, participaram os petistas à‚ngelo Vanhoni, Zeca Dirceu, Elton Welter e Toninho do PT; o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT); e o senador Sérgio Souza (PMDB) e o prefeito toledano Beto Lunitti (PMDB).

Welter, líder da oposição na Assembleia Legislativa, sugeriu que Fruet saia na vice de Gleisi !“ para liquidar a fatura já no primeiro turno, segundo ele — e deixe a prefeitura sob o comando da petista Mirian Gonçalves. O pedetista não disse nem sim, nem não.