Por Esmael Morais

Na última semana para pular a cerca, políticos ficam igual biruta de aeroporto

Publicado em 30/09/2013

Inseguro no PDT, Pauliki flerta com o Palácio Iguaçu; Osmar Dias não sabe que fazer em 2014, depois que seu irmão, àlvaro Dias (PSDB), foi lançado ao Senado; PDT perdeu dois deputados estaduais, Scanavaca e Bueno; políticos, com mandato ou sem, comportam-se como birutas de aeroporto nas vésperas fatal para a pulada de cerca: dia 5 de outubro.

Inseguro no PDT, Pauliki flerta com o Palácio Iguaçu; Osmar Dias não sabe que fazer em 2014, depois que seu irmão, àlvaro Dias (PSDB), foi lançado ao Senado; PDT perdeu dois deputados estaduais, Scanavaca e Bueno; políticos, com mandato ou sem, comportam-se como birutas de aeroporto nas vésperas fatal para a pulada de cerca: dia 5 de outubro.

O mundo partidário continuará tenso até o próximo sábado, dia 5 de outubro, data fatal para que os políticos pulem a cerca. Tem dirigente propondo que todos durmam juntos nesse período para evitar chifradas de última hora.

No Paraná, os partidos que mais se desidrataram — até agora — são PDT e PCdoB. Novas escapulidas estão previstas para as próximas horas, inclusive nas demais legendas.

Os pedetistas perderam dois deputados estaduais, André Bueno e Fernando Scanavaca, que foram para o Solidariedade. O partido do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e do ex-senador Osmar Dias pode ainda perder o empresário Márcio Pauliki, importante liderança do município de Ponta Grossa, que flerta com os tucanos.

Os comunistas perderam dezenas de lideranças sindicais e alguns membros da juventude.

PROS e Solidariedade são as duas siglas preferenciais para quem tem ou não mandato. A Rede, de Marina Silva, transformou-se em realidade distante para quem buscava pular a cerca.

Os políticos estão igual biruta de aeroporto. Muita água ainda vai rolar por debaixo da ponte até à  noite de sábado. à‰ aguardar e conferir.