Gazeta do Povo desce o sarrafo na privatização de Gleisi Hoffmann

Ministra Gleisi Hoffmann é igualada a tucanos em reportagem de capa da Gazeta do Povo; jornal critica privatização das rodovias federais, cujo pedágio custa cerca de dois reais, mas alivia para o lado de Richa que cobra tarifa de até R$ 14,60 para descer da capital ao Litoral; petistas passaram os últimos três anos dando milho para bode, ou seja, para o grupo RPCTV, mas agora levaram uma chapuletada na edição deste domingo. (Imagens fac-símile da reportagem Gazeta do Povo).

Ministra Gleisi Hoffmann é igualada a tucanos em reportagem de capa da Gazeta do Povo; jornal critica privatização das rodovias federais, cujo pedágio custa cerca de dois reais, mas alivia para o lado de Richa que cobra tarifa de até R$ 14,60 para descer da capital ao Litoral; petistas passaram os últimos três anos dando milho para bode, ou seja, para o grupo RPCTV, mas agora levaram uma chapuletada na edição deste domingo. (Imagens fac-símile da reportagem Gazeta do Povo).

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, candidata ao governo do Paraná pelo PT, parece passou os últimos anos dando milho para bode. Quanto mais se dá, mais o animal quer. à‰ um saco sem fundo.

A petista e o marido dela, Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, têm muito em conta o jornal Gazeta do Povo, do grupo RPCTV/Rede Globo, mas ficaram muito chateados com a pancada que receberam. A informação é de um correligionário do casal, que pediu para não se identificar.

Na edição deste domingo, na capa, o jornalão esculhamba o pedágio do governo federal sobretudo nas BRs 116, 376 e 101. O preço da tarifa nesses trechos fica na casa dos R$ 2, mas reportagem de Katia Bermbatti diz que em cinco anos de privatização das rodovias “o padrão de excelência no pavimento não foi alcançado”. Deve ser verdade.

O diabo é que a Gazeta, em quinze anos, não ainda observou que o pedágio do governo do estado representa um verdadeiro roubo contra os usuários das rodovias ao não fiscalizar as concessionadas. Não é o blogueiro quem fez essa denúncia. Pelo contrário. São entidades técnicas como Crea e Senge.

“PT caminha para o modelo tucano de concessão”, registrou o jornal na página 16, do caderno “Vida Pública”, estampado foto de Gleisi. Na prática, a Gazeta tenta igualar a ministra com o governador Beto Richa (PSDB) a quem os petistas acusaram nesses últimos três anos como neoliberal e privatistas.

18 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Há alguns dias o governo federal privatizou a BR 050 no trecho que passa pelas cidades de Cristalina/GO,Catalão/GO,Araguari/MG,Uberlândia/MG e Uberaba/MG. O processo todo é um festival de surpresas:
    Primeiro,a ministra Gleisi Hoffmann, com toda a experiência e reclamações das privatizações de rodovias no Paraná,como é que tocou um negócio desses para frente? Segundo, em Uberlândia, o atual prefeito, Gilmar Machado, é homem muito influente no Palácio do Planalto, já foi, inclusive, presidente da Comissão de Orçamento no Congresso; como é que o Gilmar Machado deixou uma privatização destas ocorrer na sua cidade, Uberlândia? E ele ainda tem a coragem de dizer, em jornais da região, que ‘a presidente Dilma vai diminuir o pedágio para as pessoas que usarem muito a rodovia”. E desconsiderar demais a inteligência de seus eleitores.

    Terceiro, um monte de empresas do consórcio que ganhou em Uberlândia é do Paraná. Como é que o deputado Gilmar Machado deixou uma gambiarra dessas acontecer em sua terra natal?

    Quarto, o argumento de que o governo federal não tem dinheiro para manter e construir rodovias é falso, pois como se sabe o problema é o superfaturamento generalizado de obras, não só em estradas, no Brasil inteiro, que faz com que uma obra que poderia sair por 1 custe 10 ou mais vezes.

    Quinto, no caso da BR 050 o trecho mais complicado, com morros e relevo acidentado, entre Araguari e Catalão, já foi todo duplicado pelo governo federal. O consórcio só vai ter que duplicar um trecho de longas retas planas, no Planalto Central, entre Cristalina e Catalão. O deputado Gilmar Machado, como é que o Sr. deixou isso acontecer em sua terra com a sua terra? Será que o Sr. pensou que a prosperidade do Paraná vai começar a ser transferida para Uberlândia e região pela cópia do modelo de privatização de rodovias existente lá naquele Estado do Sul?

    Sexto, será que o valor arrecadado no pedágio não vai representar uma galinha de ovos de ouro para o consórcio ?. A galinha no caso, é a população que vai ser explorada pelos privilegiados vencedores da privatização. Cadê o Ministério Publico para investigar e esclarecer as condições dessa negociata?

    Sétimo. Será que o deputado Gilmar Machado, hoje prefeito de Uberlândia, não se importou com nada do que o ex-governador do Paraná, Roberto Requião, reclamou das privatizações de rodovias no Paraná?

  2. O certo seria o governo colocar pedágio, mas, o governo cobrar.

    Entregar a rodovia às empresas é perder o controle das mesmas, que são de propriedade do povo, eles vêm e ficam os senhores do pedaço, começam a mandar e desmandar; se o fluxo de veículos aumenta, aumenta o lucro deles e o povo fica chupando o dedo e eles rindo da nossa cara.

    E tem também que acabar com o IPVA e outros impostos que pesam sobre os ombros dos proprietários de veículos!

  3. Não tenho procuração pra defender ninguem, mas o atual governador não privatizou nenhuma estrada. Se o Osmar Dias tivesse ganho as eleições em 2010, ele seria responsável também? Claro que não, isso é uma herança maldita dos gestores anteriores. Agora pedágio barato sem obras é tudo de bom. Pedágio caro sem obras é pior ainda. São todos um bando de ladrões. Se Gleisi ganhar as eleições em 2014, o que fará para o pedágio das estradas do Paraná? Vai romper ou respeitas os contratos ou será acusada de fazer parte das quadrilhas??

    • O Beto pode até não ter privatizado agora, pois ele la atrás ajudou o Lerner para que isso fosse possível, pois o governador na época era dep. estadual e votava tudo a favor do que o chefão Lerner mandava votar na assembleia como a venda do Banestado, pedagios, etc.

  4. Você, por sua conta e risco, já coloca a ministra como “candidata”. Ninguém é candidato a nada enquanto não passar pelas convenções partidárias no ano que vem. NO máximo “pré-candidato”, mas nem isso ela admite que é hoje. Menos, Esmael. Bem menos!

    • Hahahaha, os comissionados do Betinho no fundo morrem de medo que a Gleisi saia candidata, sabem no fundo que o patrão deles está se batendo e não sabe governar esse estado e sabem que ele não se reelegerá em 2014.

  5. esmael eu estou pra comunicar a morte do grande amigo jornalista e radialista o homem que criou varios jingles como o me chama que eu vou curitiba linda emuitas coisa boas morre PAULO CHAVES.

  6. É Assim mesmo,a boa imprensa
    é aquela que se omite e não
    publica nada relacionado a gang petralha
    Já a imprensa ruim é aquela que
    não esconde,não se curva diante
    de um partido que esta imerso
    no lodaçal da corrupção.

  7. Pense de outra forma. Isso é propaganda para Gleise ganhar a eleição!

  8. Vixe..
    O Bernardo esqueceu de pagar o capilé da RPC…
    Pra que tanta truculencia da familia Cunha Pereira? Será que a herança do velhinho nao foi suficiente para cobrir as necessidades dos herdeirozinhos?

  9. O louco, pagar R$ 2,00 de pedágio nas concessões do gov. federal é ir em encontro ao modelo tucano do Paraná? Sacanagem, aqui o pedágio do Lerner, Beto, Traiano, Rossoni custa quase 10 pila.

  10. Este é o favor que o PIG presta aos poderosos, para usar esta matéria durante a campanha eleitoral, é o mesmo “modus operante” da Veja.

  11. Mas não pode falar uma vírgula contrária a esta moça que a imprensa não presta? É a velha mídia com roupagem nova

  12. “Alivia para o Beto Richa”? Cheirou meia, Esmael? O preço do pedágio no PR é mais uma herança maldita que o Beto recebeu do governos anteriores.
    Ou você quer enganar os mais jovens e os desinformados que foi ele que atribuiu este custo ao serviço?

    • Hahahaha, que piada Renato Glotter, teu patrão é do mesmo grupo político do Jaime Lerner (pai do pedágio abusivo no Paraná) e vc vem dizer que ele é vítima de uma herança maldita? Isso é uma aberração contra o eleitor paranaense, pois o teu patrão é discípulo do Lerner, saiu até candidato em 2002 sendo apoiado por ele, tome um remedio chamado Memorex pra relembrar os fatos.

    • Quanta merda vc fala renato baba ovo.

      herança do pai do beto o lerner.
      quem quer enganar os desiformados é vc!
      como se o Beto então deputado não tivesse apoiado tudo isso como se em 2002 naõ tivesse perdido com apoio do lerner kkk

      • Paulo Ernesto e Ale, esse tese de “domínio de fato” não cola neste caso do pedágio. Esta ligação Beto-Lerner é muito, mas muito forçada. Não tem marqueteiro que faça isso render, é loucura demais, esqueçam.
        Ah, sim, meu patrão é o povo do PR, com muito orgukho.

        • Só se for o povo da sua casa.
          Com Cassio Taniguchi comandando o estado vc acha mesmo que não tem dedo do pai lerner?
          Se não tiver uma coisa vc não tem como negar.
          A filosofia é a mesma.
          Falir o estado vender tudo ajudar empresarios e o povo realmente que se lasque.