Por Esmael Morais

Contra Orelhobama, fundador do Wikileaks sugere criptografia verde-amarela a Dilma

Publicado em 15/09/2013

No encontro, ele tratou da espionagem americana ao Brasil. “A estatística de um dos programas da NSA (Agência de Segurança Nacional) mostra que os EUA interceptam mais sobre o Brasil do que sobre qualquer outro país latino-americano, pelo tamanho econômico, número de empresas americanas, contratos de equipamento, petróleo”, disse ele.

Qual a solução? A criptografia, mas, de preferência, com tecnologia própria. “Sim, eles (o governo brasileiro) precisam abraçar criptografia. O problema de comprar equipamento de criptografia para a Petrobras ou a presidente é: você pode confiar no fornecedor? Os EUA são especializados em se infiltrar no chip dos equipamentos criptográficos. O que o país precisa é conseguir o talento brasileiro para suas próprias agências de criptografia, para que desenvolvam tecnologia que seja confiável”, afirmou.

O fundador do Wikileaks, no entanto, se disse decepcionado com a decisão do governo brasileiro de negar asilo a Edward Snowden, que revelou o escândalo de espionagem. “à‰ muito decepcionante. Mostra a realidade das relações Brasil-EUA, infelizmente. Se você ler os telegramas diplomáticos do WikiLeaks sobre o Brasil, verá que sob Lula o Ministério das Relações Exteriores era bastante independente. à‰ um sinal preocupante sobre a independência brasileira. O Brasil, no que concerne a América Latina, é forte o bastante para fazê-lo [conceder o asilo]. Que não tenha feito sugere que a posição da presidente Dilma é fraca, e ela deveria adotar ações para demonstrar essa força.”