Em Curitiba, protesto pela redução da tarifa termina em “bundalelê” em frente à  Câmara; assista

O movimento de pressão exercita a dialética ao propor bandeiras distintas na mesma passeata; assista ao vídeo (Foto: Clik Here).

O movimento de pressão exercita a dialética ao propor bandeiras distintas na mesma passeata; assista ao vídeo (Foto: Clik Here).

Para quem não é familiarizado, “bundalelê” consiste em abaixar as calças num ato de rebeldia e chacoalhar as nádegas para lá e para cá. Foi com essa cena que terminou o protesto de cerca de mil jovens em frente a Câmara de Curitiba, que se dividiram entre os que reivindicam nova redução da tarifa para R$ 2,60 e os que querem tarifa zero para todos.

Assista ao vídeo e ensaie em casa o “bundalelê”; por Jamilso Pontes, publicado no Facebook:

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Fruet Governador…

  2. Na fala do grande deputado Luiz Carlos Martins ontem na ALEP, êle confessou que nas primeiras manifestações Curitibanas, estavam gente que nunca andaram de Onibus,que são netos, bisnetos e tataranetos, de grandes devedores de tributos ao governo estadual ( ICM ) e ultra conservadores, e nessa foto que a Gazeta fala em somente 800 manifestante, parece que é realmente de usuario do transporte.

  3. O SUJEITO QUE SE DEDICA A EMPUNHAR UMA PLACA COM OS DIZERES “TARIFA ZERO”, É UM ANALFABETO OU SÓ PODE SER UM BURRO MESMO…
    SERÁ QUE NÃO IMAGINA O IMBECIL QUE ALGUÉM TEM QUE PAGAR A CONTA, OU ELE PENSE QUE TUDO VEM DE GRAÇA.
    ESMAEL PERGUNTE PRA ESSE IMBECIL QUEM PAGA AS CONTAS NA CASA DELE…

    • VEM PRÁ RUA.

      Só não vale perdir 2,60 ou 1,00 a domingeira isso é coisa de TUCANO, tem que exigir tarifas ZERO, e politicos, tecnicos e empresários que se entendam. O povo agradeçe.
      O atual salário mínimo nacional é de R$ 678, em vigor desde janeiro deste ano. No entanto, segundo cálculos do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), esse valor fica bem abaixo do ideal para cobrir as necessidades básicas dos brasileiros. O órgão estipula o valor de R$ 2.824,92 como o salário mínimo necessário para os trabalhadores.

      http://youtu.be/ap2eXuuzHJI

  4. CNJ investiga presidente do TJ

    O presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Clayton Camargo, está sob investigação do Conselho Nacional de Justiça. Segundo o jornalista Lauro Jardim, que assina o blog “Radar on-line”, o CNJ abriu um procedimento contra ele para investigar um suposto tráfico de influência na tentativa de emplacar seu filho, deputado estadual Fábio Camargo, no Tribunal de Contas do Estado.

    Segundo o jornalista, quem também se enrolou no Conselho foi a filha de Clayton, a juíza Vanessa Camargo. “O procedimento contra a magistrada foi aberto para apurar atos ilícitos de quando ela era titular da Vara de Falências e nomeava seu irmão Fábio para gerir massas falidas sob sua tutela”.

    Lauro Jardim conclui a nota dizendo que “quem acompanha de perto os casos da família Camargo não tem dúvida de que os dois procedimentos são apenas o início de uma série que deve ser aberta pelo corregedor Francisco Falcão”.