Dilma sobre protestos: “Essas vozes devem nos orgulhar”

do Brasil 247

Presidente foi recebida com gritos de apoio e aplausos em Salvador, na Bahia, no primeiro evento público depois do início das manifestações estudantis no País; Dilma Rousseff lembra, em seu discurso, que os protestos no Brasil são diferentes dos de outros países; "Aqui nós temos democracia, é diferente, as ruas falaram por mais direitos. E eu quero dizer que essa presidente aqui ouviu claramente a voz das ruas"; Dilma anuncia pacote de medidas contra a seca na região do semiárido nordestino.

Presidente foi recebida com gritos de apoio e aplausos em Salvador, na Bahia, no primeiro evento público depois do início das manifestações estudantis no País; Dilma Rousseff lembra, em seu discurso, que os protestos no Brasil são diferentes dos de outros países; “Aqui nós temos democracia, é diferente, as ruas falaram por mais direitos. E eu quero dizer que essa presidente aqui ouviu claramente a voz das ruas”; Dilma anuncia pacote de medidas contra a seca na região do semiárido nordestino.

A presidente Dilma Rousseff foi recebida aos gritos de apoio e aplausos nesta quinta-feira 4, durante evento em Salvador. “Olê olê olé olá Dil-ma Dil-ma”, gritou o povo por cerca de um minuto, antes do discurso da presidente. Dilma participa, na capital da Bahia, da cerimônia de lançamento do Plano Safra Semiárido, que terá uma série de medidas para o fortalecimento da produção agrícola e pecuária na região.

Este é o primeiro evento público da presidente depois do início das manifestações populares no País. A presença da presidente diante do povo é uma tentativa de retomada da agenda positiva do governo federal diante das manifestações populares. Desde a última vez em que se expôs, na abertura da Copa das Confederações, em Brasília, a presidente realizou encontros com integrantes da sociedade civil e propôs um plebiscito para a reforma política.

Para quem apostou que a presidente se esconderia após os atos públicos que varreram ruas de centenas de cidades brasileiras, o movimento foi justamente o contrário: em seus discursos, Dilma sempre defendeu as manifestações pacíficas e garantiu estar ouvindo as “vozes das ruas”, sem “transigir com violência”, em referência aos diversos atos de vandalismo registrados.

Propostas e encontros com a sociedade

A fim de atender as principais reivindicações das ruas, como investimentos em saúde, educação, transporte e menos corrupção, Dilma Rousseff se encontrou com representantes do Movimento Passe Livre (MPL), que deu início aos protestos, de movimentos urbanos, do Movimento LGBT e estudantes, além de centrais sindicais. O próximo encontro será na sexta-feira 5, com movimentos sociais do campo.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, disse nesta quinta-feira que também estão previstos encontros com grupos de representantes de evangélicos, de cultura digital e blogs, de movimentos sociais que defendem a reforma política, movimento de mulheres e de luta contra a desigualdade social. “A presidenta irá receber sistematicamente representantes da sociedade civil principalmente para discutir a situação do país”, disse.

Entre as principais propostas feitas pelo Planalto estão cinco pactos destinados à s áreas que mais foram alvo de reivindicações dos manifestantes, além de um plebiscito sobre pontos a serem discutidos em uma reforma política. O intuito é consultar a população em relação principalmente a financiamentos de campanhas e sistema de votos.

8 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. muita cara de pau, até parece que as manifestações ela nao tem nada a ver..

    a

    • Podem falar mal dela tucanada, vocês não se eleger em 2014 e vão ser derrotados aqui no Paraná.

      • Eleger-se ou não, é outra história. Mas que ela mente, ai como mente.
        Evidente que ela naõ gostou nem um pouco das manifetações e dos manifestantes. Tanto que tentaram infiltrar-se pra mudar o rumo das passeatas. Agora vem com esta conversa fiada pra dizer que se orgulha de quem protesta contra a própria?

        Ô dó, desta muié.

    • Nada mesmo palhaço

      • Humm magoou a moça? Tá magoadinha por dentro, “oliver”?
        Etnão casa com ela, faz uma união homo-afetiva e vai ser feliz

  2. kakakaka… nos bastidores ela deve dizer que as vozes devem nos envergonhar. A Diuma perdeu o bonde da história.