Por Esmael Morais

Deputado Péricles Mello nega que tenha chorado em reunião do PT

Publicado em 21/07/2013

Deputado Péricles, do PT, confirma voto no colega do DEM e de Ponta Grossa, Plauto Miró, mas nega que tenha chorado ou se arrependido do voto; em nota enviada ao blog, o petista explica que "seria mais correto" se a bancada fechasse com no nome de Tarso; nas ruas, como na Marcha das Vadias, manifestantes mostravam cartazes em apoio ao professor universitário Tarso Cabral, filiado ao PT.

Deputado Péricles, do PT, confirma voto no colega do DEM e de Ponta Grossa, Plauto Miró, mas nega que tenha chorado ou se arrependido do voto; em nota enviada ao blog, o petista explica que “seria mais correto” se a bancada fechasse com no nome de Tarso; nas ruas, como na Marcha das Vadias, manifestantes mostravam cartazes em apoio ao professor universitário Tarso Cabral, filiado ao PT.

O professor e advogado Tarso Cabral Violin, em seu perfil no Facebook, ontem, destacou que Deputado Péricles de Mello confessa que se arrependeu de não ter votado em mim para o TC!. Fiz o registro, inclusive ouvindo outro deputado petista que estava na reunião do diretório estadual ocorrida ontem em Curitiba que acrescentou: “O Péricles quase foi à s lágrimas”.

Tarso, filiado do PT, concorreu à  vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TC) quando obteve apenas dois votos.

Pois bem, neste domingo deputado Péricles encaminhou mensagem ao blog desmentindo o choro e negando a informação. Leia a íntegra:

“Amigo Esmael, esta manchete não expressa a minha intervenção na reunião do PT, manhã de ontem. à‰ pejorativa e mentirosa e não condiz com seu estilo sério de fazer jornalismo. Com certeza, ela é fruto de informação completamente distorcida que lhe foi passada sobre o assunto. O que disse e reafirmo é que teria sido mais correto se a Bancada do PT fechasse com o nome do Tarso no primeiro turno, e votasse no segundo turno sem fechar questão. Expliquei as razões da divisão da Bancada e nunca escondi de ninguém que votei no deputado Plauto. Abraço, Péricles.”

Tarso esperava os sete votos da bancada estadual do PT, mas obteve apenas os de Luciana Rafagnin e Tadeu Veneri. O ex-candidato acredita que os deputados petistas Toninho da Fazenda, Enio Verri, Péricles Mello, Elton Welter e Professor Lemos se dividiram entre as candidaturas dos colegas de parlamento Fábio Camargo (PTB) e Plauto Miró (DEM).

Eles que se expliquem ao povo em 2014!³, falou ao blog após a eleição do TC, ao admitir que não descarta a possibilidade de disputar uma cadeira na Assembleia.

Na eleição do TC, Fábio Camargo (PTB) foi eleito conselheiro com 27 votos; Plauto fez 22 e Tarso Cabral Violin 2; Paulo Roberto teve 1.