Centrais sindicais deflagram greve no PR amanhã em apoio à  CPI do Pedágio

Trabalhadores ligados à s seis centrais sindicais vão à s ruas de várias cidades paranaenses, nesta quinta, defendendo ampla pauta de reivindicações; dentre elas, se destaca apoio à  criação da CPI dos Pedágios; entidades se uniram em torno de bandeiras economicistas, mas ainda divergem sobre temas como realização do Plebiscito para a reforma política no país.

Trabalhadores ligados à s seis centrais sindicais vão à s ruas de várias cidades paranaenses, nesta quinta, defendendo ampla pauta de reivindicações; dentre elas, se destaca apoio à  criação da CPI dos Pedágios; entidades se uniram em torno de bandeiras economicistas, mas ainda divergem sobre temas como realização do Plebiscito para a reforma política no país.

Todas as principais centrais sindicais se uniram ineditamente, no Paraná, para deflagrar nesta quinta-feira (11) uma greve de trabalhadores que, dentre várias bandeiras, reivindica a revisão dos contratos das concessionárias rodoviárias com a criação da CPI do pedágio na Assembleia Legislativa (clique aqui para ler mais sobre o tema).

As paralisações de amanhã compõem o “Dia Nacional de Lutas”, cujo calendário foi definido conjuntamente entre Força Sindical, UGT, NCST, CTB, CUT e CGTB, terá seu ápice ás 16 horas na Praça Rui Barbosa, centro de Curitiba.

“Queremos empurrar o governo Dilma Rousseff para a esquerda, trazê-lo mais perto das bandeiras históricas do movimento dos trabalhadores, e exigir transparência em órgãos público e redução na tarifa do pedágio no Paraná”, resume Paulo Rossi, presidente da UGT.

Durante o dia todo haverá atos políticos dos trabalhadores, fechamento das BRs 277 e 376, manifestações de várias categorias em greve.

As centrais irão defender bandeiras históricas do movimento, como a redução da jornada de trabalho e o fim do fator previdenciário.

Ainda na pauta regional, o trabalhadores vão pedir novo sistema para a eleição dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado; política permanente de reajuste do Piso Mínimo Regional; e regulamentação da profissão de motorista.

Comentários encerrados.