Datafolha: aprovação a Dilma cai 27 pontos; à‰poca provoca: cadê a estadista?

do Brasil 247

Pesquisa foi realizada no auge dos protestos e apontou uma queda de 27 pontos na aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff; índice dos brasileiros que consideram sua gestão boa ou ótima caiu de 57% para 30%; tombo é o maior desde o confisco da poupança pelo ex-presidente Fernando Colllor; apesar da queda, 68% dos brasileiros aprovam a iniciativa do plebiscito; diante da crise dos últimos dias, a revista à‰poca, da Globo, provoca na sua capa: "cadê a estadista?"; com a palavra o PT.

Pesquisa foi realizada no auge dos protestos e apontou uma queda de 27 pontos na aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff; índice dos brasileiros que consideram sua gestão boa ou ótima caiu de 57% para 30%; tombo é o maior desde o confisco da poupança pelo ex-presidente Fernando Colllor; apesar da queda, 68% dos brasileiros aprovam a iniciativa do plebiscito; diante da crise dos últimos dias, a revista à‰poca, da Globo, provoca na sua capa: “cadê a estadista?”; com a palavra o PT.

As manifestações pelo País tiveram impacto devastador na aprovação ao governo da presidente Dilma Rousseff. à‰ o que mostra pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada neste sábado. Segundo o levantamento, o percentual dos brasileiros que consideram sua gestão como boa ou ótima caiu de 57% para 30%.

A queda de 27 pontos se deu em apenas três semanas e é a maior desde o confisco da poupança pelo ex-presidente Fernando Collor, em 1990, quando sua aprovação caiu de 71% 36%.

Na mesma pesquisa Datafolha, o índice dos brasileiros que consideram a gestão de Dilma ruim ou péssima foi de 9% a 25%. Como regular, a avaliação foi de 33% a 43%.

A despeito da queda na popularidade, 68% dos brasileiros aprovam a iniciativa do plebiscito convocado pela presidente Dilma Rousseff para discutir a reforma política, que deve abordar temas como o financiamento público de campanha.

Com 30% de ótimo ou bom, seu pior índice desde a posse, a presidente Dilma se iguala ao ex-presidente Lula em seu pior momento, que teve os mesmos 30% em dezembro de 2005, no auge do chamado “mensalão”. A pior avaliação de Fernando Henrique Cardoso ocorreu em setembro de 1999, quando sua aprovação foi de apenas 13% da população.

O levantamento do Datafolha ouviu 4.717 pessoas em 196 municípios e tem margem de erro de dois pontos.

Comentários encerrados.