Até que enfim, imbróglio da redução na tarifa de ônibus chega à  Câmara de Curitiba

Finalmente, Câmara Municipal de Curitiba entrou na discussão da redução da tarifa; vereadores deixaram "questões menores" para debater um assunto de maior interesse e que está na ordem do dia; presidente da Urbs, Roberto Gregório, está nesta manhã no legislativo explicando porque o preço da passagem de ônibus não caiu ainda a pedido de Tico Kuzma; alvíssaras?

Finalmente, Câmara Municipal de Curitiba entrou na discussão da redução da tarifa; vereadores deixaram “questões menores” para debater um assunto de maior interesse e que está na ordem do dia; presidente da Urbs, Roberto Gregório, está nesta manhã no legislativo explicando porque o preço da passagem de ônibus não caiu ainda a pedido de Tico Kuzma; alvíssaras?

Fruto de requerimento do vereador Tico Kuzma (PSB), o presidente da Urbs (Urbanização de Curitiba), Roberto Gregório da Silva Junior, está na Câmara de Curitiba, na manhã desta segunda-feira (17), explicando porque a tarifa de ônibus não foi reduzida na capital mesmo depois de desonerações como PIS/Cofins, ICMS e ISS.

Gregório comparecereu ao legislativo municipal depois de acordo que também possibilitará a presença de Caco Almeida, diretor de Transporte da Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), para explicar como se deu a redução da tarifa na região metropolitana de Curitiba.

Para efeitos políticos, o presidente da Urbs compareceu hoje de livre e espontânea vontade na Câmara.

O vereador Jorge Bernardi, líder do PDT na Casa, diz que o governador Beto Richa (PSDB) age de maneira oportunista no caso da redução da tarifa. Segundo ele, foi a isenção do PIS/Cofins, pelo governo Dilma, que possibilitou que o preço da passagem de ônibus fosse baixado na Grande Curitiba “não o ICMS no óleo diesel” anunciado pelo tucano.

Comentários encerrados.