A raiz do problema do transporte coletivo no país (e em Curitiba também)

Por André Araújo, no Luis Nassif Online

Segundo André Araújo, autor deste artigo, o objetivo do Movimento do Passe Livre está bem longe do ponto de ônibus; não deixa de ser uma verdade; agora, é incrível como a PM, uma corporação centenária, se deixa usar para defender a máfia do transporte coletivo em Curitiba e no resto do país. (Foto: Marcelo Elias/Gazeta do Povo/Futura Press).

Segundo André Araújo, autor deste artigo, o objetivo do Movimento do Passe Livre está bem longe do ponto de ônibus; não deixa de ser uma verdade; agora, é incrível como a PM, uma corporação centenária, se deixa usar para defender a máfia do transporte coletivo em Curitiba e no resto do país. (Foto: Marcelo Elias/Gazeta do Povo/Futura Press).

Há quatro anos postamos artigo sobre a raiz do problema das empresas de transporte coletivo por todo o Brasil. Por que empresários modernos de capital aberto não se interessam por esse setor que tem grande faturamento? Todos correm atrás de concessões de usinas geradoras de energia, de portos, aeroportos, rodovias porque nenhum investidor quer saber de uma concessão de clientela segura e que paga a vista?

O setor de ônibus municipais é fechado em um pequeno grupo de empresários antiquados e acostumados a um casamento com a baixa política municipal, aliança que vem desde os anos 40.

Se o Movimento Passe Livre quer realmente uma solução melhor para o setor o caminho e acabar com esse conluio viciado entre prefeitos e câmaras com os empresários de ônibus. Isso é o que está por debaixo dos panos, é por isso que o setor não se renova, usa ônibus com carrocerias de caminhão, serviços ruins, explora motoristas e cobradores, tem manutenção péssima.

As concorrências são apenas para inglês ver, as áreas são todas demarcadas e acertadas, os empresários pelo Brasil inteiro, de Belém a Porto Alegre são geralmente meia dúzia em diferentes alianças, muitos deles tem mais de 10.000 ônibus divididos em dezenas de empresas de papel.

O setor tem péssimas práticas fiscais, societárias e trabalhistas, firmas cheias de passivos desaparecem e surgem outras na mesma linha no dia seguinte com outros laranjas como sócios, há muitos macetes! manjadíssimos, mas que o poder politico finge não ver porque esses empresários são fortíssimos contribuintes para campanhas eleitorais.

Não adianta o MPL fazer quebra-quebra e passeatas para melhorar o setor, o buraco é mais embaixo.

Porque não sugerem uma agência nacional para regular e fiscalizar o transporte coletivo em cidades com população acima de 500.000 habitantes, onde o transporte é pior? Tirar esse maná das mãos dos prefeitos e principalmente câmaras, que são a outra ponta do conluio?

Se o MPL nem toca nisso, como vai melhorar o serviço e baixar os preços se o esquema! não muda? Não estudaram o setor, não fizeram pesquisa? Como podem tratar do assunto sem saber?

O transporte coletivo de ônibus nas grandes cidades do mundo é geralmente da Prefeitura e não particular. Em Paris, Londres, Nova York o sistema de ônibus é estatal, não é privado. Esse setor não se presta a ser privado, é mais bem articulado sendo estatal, em São Paulo poderia ser da Companhia do Metrô, que tem boa tradição administrativa. à”nibus modernos, como os de Paris, melhorariam muito o transporte, isso não se conseguirá com o atual sistema-bacalhau, essa é uma boa causa.

Tenho porém minhas razões para desconfiar que a última coisa que interessa ao MPL é esse negócio de transporte coletivo, o objetivo deles está bem longe do ponto de ônibus, digo das lideranças que bolaram esse tambor, o resto é massa de manobra que participa pela emoção de participar.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Solução racional para o transporte coletivo
    Transporte coletivo vem sendo um dos problemas mais sentidos pela população do Brasil e origem de reações violentas, perturbadoras da ordem pública. A tarifa zero é perfeitamente justificável para quem necessita deste recurso para usufruir o direito constitucional de liberdade de locomoção. Torna-se, entretanto, muito injusta se usufruída por quem dela não necessita. Praticar o transporte gratuito através de empresas estatais tem sido um erro que não precisa ser novamente testado para se confirmar. Transporte é uma prestação de serviço e não um negócio para gerar lucro ou ser custeado por impostos gerais, pois estes são socialmente injustos. Partindo desta concepção, elaboramos uma alternativa para solução racional deste problema e sugerimos o acesso ao blog http://nossobrasilja.blogspot.com.br/ no qual está apresentada e disponível para ser implantada.

  2. QUE TODOS TENHAM CUIDADO PARA NÃO SEREM MANIPULADOS E USADOS POR “ATIVISTAS DE GABINETE!”

    Esmael e demais como você e alguns que muitos tenham “visão além do alcance” e procurem perceber e identificar “ás mãos dos bruxos pensadores da extrema direita neoliberal” na sociedade que lançam as suas lógicas maquiavélicas e venenosas neste abismo intelectual entre a população e certos grupos políticos de esquerda. Estes é que precisam ser responsabilizados (ou culpados) por influenciarem estas “falsas e mal direcionadas revoluções urbanas!”
    É um “império invisível de conspiradores” que tem trabalhado e manipulado silenciosamente no Brasil durante anos para uma falsa mudança social. De vez em quando se torna visível socialmente e politicamente, através de diferentes organizações (ONGs, associações, agremiações, clubes, etc”¦) que teêm diferentes nomes. Esses grupos teêm um grande impacto sobre a sociedade mesmo que em silêncio, chegando até mesmo a transformar o sistema educacional para formar as futuras gerações. Onde dizem que estão, ensinando uma doutrina de libertação social e política que defende a igualdade do homem, com a adoção do racionalismo, negação da autoridade e das instituições constituídas no nosso estado de direito democrático, alegando não serem mais legítimas ás tais para a regulamentação de valores sociais e morais.
    Enquanto os pontos de vista deste pessoal, possam soar bastante avançados para o momento político, as manifestações que se acreditam terem sido incentivadas por eles se degenerou e podem evoluir para brutais banhos de sangue!”

  3. todos nos temos o direito de protestar.mas sempre da nisso ,nos somos tratados como poir que animais ´,governantes fracos ,muito ruins ,inresponsaveis,mas o que mais ficamos e que a policia trata sempre o povo com muitas vielencia ,pra bater no povo tudo pode ja os de nenor nada nada nada e feito porque ,eles matam matam e matam sem piedade e nos temos e que ficar calados .a elite a corupcao sempre manda e manda muito .

  4. Perfeito.

  5. Excelente artigo.

    É um excelente raio X do que ocorre em Curitiba.

  6. repetindo:

    O setor de ônibus municipais é fechado em um pequeno grupo de empresários antiquados e acostumados a um casamento com a baixa política municipal, aliança que vem desde os anos 40.

    falou bem, falou tudo…

    Grato

  7. O transporte público de Curitiba é de boa qualidade. Melhoraria muitissimo se houvessem mais ônibus nos horários de pico e, claro, mais segurança. Mas o ibope do prefeito GF subiria bastante se ele tomasse atitudes quanto ao monopólio empresarial e quanto à caixa preta da Urbs.
    Quanto às manifestações que pipocam aqui e acolá, elas mostram que as porteiras foram escancaradas e que de agora em diante, será difícil segurar a boiada. Hoje, contra o custo das passagens, amanhã, contra os pedágios, depois, pedindo Cadeia Já pros mensaleiros. Manifestação atrás de manifestação. O povo tá acordando, afinal, mexeram na parte mais sensível do corpo, o bolso.

  8. Este bombado levando um sossega leão, não tem jeito de pegar o busão 06:00 da manha.

  9. Bem escrito, a pura verdade. Realmente faltam regras e normas para o país todo. E no interior é pior, cidades pequenas sofrem muito. Porque a grande maioria das prefeituras fazem o que bem entendem, do jeito que querem. A última licitação de transporte coletivo de Curitiba foi uma piada, ficou tudo igual, na mão dos mesmos.
    É só olhar por exemplo na história do município o quanto teve políticos ligados ao transporte coletivo, donos de empresas, podemos citar: Erondi Silvério, Donato Gulin, etc.
    É preciso mesmo acabar com essa sem vergonhice e exploração dos serviços públicos, falta seriedade nas prefeituras. Não é só na área de transporte coletivo, mas no serviço funerário e liberação de placas de táxis.
    Falta também concorrência, precisamos regulamentar o serviços de Vans, moto-táxi e liberar mais taxis para a população…
    Precisamos de um poder público de maior qualidade e voltado para a plena satisfação das necessidades da população.

  10. Esse André Araújo foi claro, direto e conciso está de parabéns pelo artigo espelhou a realidade!
    Sobre esta questão vale a seguinte tirada: “A população está mais perdida que menina querendo saber quem é o pai em prostíbulo!”

    Esmael e demais desde já que fique esclarecido o seguinte: Os donos das empresas de ônibus em qualquer cidade dos país em que venceram a licitação e estão usufruindo da concessão pública são “viciados politicamente na e financiadores da extrema direita capitalista neoliberal” e seus representantes (Em Curitiba por ex. Cassio Taniguchi, Beto Richa, Luciano Ducci e João Claudio Derosso) “demo-tucanos!”™
    E o PDT, PT e o Prefeito Gustavo Fruet, irão ter muito trabalho para combater e desfazer este “jurássico esquemão!” Exemplo disto em forma de uma pergunta que não quer calar é: “Por que até agora não abriram a bombástica caixa preta da URBS e não desvendaram os segredos e mistérios dos seus sistemas de informática?”

    Esmael e demais, isto posto, vamos falar de povo e de gente, ou seja, o que move os usuários que são na maioria trabalhadores pobres e humildes dos bairros medianos e periféricos para se mobilizarem e fazerem parte de protestos é a tragédia da vida urbana com alta dose de sacrifício! Que lhes rouba parte importante do tempo de suas vidas em meio aos carros, do veneno da poluição e de um transporte público deficiente e incompetente marcado pelo empacotamento das pessoas, pela bolinagem (encochada) degradante, pelo pisoteamento e sufoco de ônibus superlotados. Infelizmente os filhos e filhas dos trabalhadores pobres e humildes os ditos de classe média baixa quando se unem á estes protestos são movidos pela angústia de dormir pouco, de ter que chegar na hora certa no trabalho, de sair do trabalho e chegar na hora certa na faculdade ou no colégio. O trânsito e a tragédia do transporte público fazem com que a conta do tempo não feche. São esses jovens, que precisam trabalhar, estudar e dormir são o principal tempero destes protestos. Se fosse e se fizerem um confronto de contas tendo de um lado a qualidade do transporte público que é oferecido e, do outro, o valor da passagem, o tempo perdido e o quanto é desagradável andar de ônibus também em Curitiba, os protestos são mais do que justificáveis. O espantoso é que não tenham ocorrido há mais tempo.
    O fato é que ás Prefeituras e as Câmaras Municipais, (inclua-se ás de Curitiba) precisam se despertar pelo rumor das praças e das ruas para que seus ocupantes se despertem e percebam que o Brasil ainda é composto de uma sociedade que tem necessidade urgentes. Os governantes precisam descobrir que devem dar respostas urgentes e que a irritante acomodação não pode continuar tomando conta do poder público.
    Ninguém aqui é a favor de ou quer incentivar depredações e violências independente de qual lado venha em protestos, ou seja, os governantes estão no poder para solucionar problemas, não para justificar sua perpetuação “resolvendo o não resolvido”, tratando ás pessoas bem intencionadas como baderneiras e bando de vândalos mandando a Polícia Militar “descer o cassete!”
    Na realidade nem os Policiais Militares gostam disto (desta panela fervente sem tampa da politicagem), pois, muitos dos seus familiares usam ônibus e também já usaram muito!

  11. O Movimento é Legitimo, porém est;a sendo usado como manobra eleitoral, esses manifestantes não são trabalhadores, são estudantes arruaceiros, que muito provavelmente não usam Onibus, a maioria vai com o Carrinho do papai pra faculdade. Arruaceiros e pixadores..tem que prender mesmo. Incrivel é que se a policia é ausente… Metem o Pau, se ela age… metem o Pau. A PM tem meu apoio (desde que sem exageros) Arruaceiro, pixadores.. tem que ser preso mesmo.

  12. Certíssimo !

    • Certíssimo para outras cidades… “Ônibus com carroceira de caminhão”, “manutenção péssima”… Até parece cartilha para justificar o preço da passagem em Curitiba, que não tem ônibus ruins como nas demais cidades brasileiras… Mas tem outras graves mazelas…

      O problema de Curitiba é o poder paralelo das famílias empresariais que exercem influência política direta em nome do “transporte coletivo”, com lobby na URBS (preço das passagens e fiscalzação), no Prefeito (demonização do metrô, continuidade de uma Secretaria cedida ao “Dep. Est. Osmar Bertoldi”, blindagem da URBS) e Câmara Municipal (discutem quase tudo lá dentro, menos o que a cidade realmente precisa)…

      Não venham querer dar pitaco de fora, Curitiba tem seus próprios problemas, tão somente a solução está no mesmo lugar das outras cidades, NA ESCOLHA POLÍTICA E NA MANIFESTAÇÃO POPULAR.

      • Se privatizarem o transporte coletivo, dai vem os contestadores que criaram mais um cabide de emprego, nada tá bom, falta sim é os gestores eleitos cobrarem qualidade, e manter uma relação com os empresários sempre visando o interesse do povo, tem mais os sindicatos que não sou contra, quando aumentam os preços, eles não contestam, por que? seus representados terão um salário menos miserável, e os pelegos encostados nestes sindicatos mantem suas tetas gordinhas pra continuarem a mamar, e muitos se lançam na politica pra não fazer nada.