Por Esmael Morais

STF agora tem mais um anti-Barbosa

Publicado em 25/05/2013

A política e a mídia que transformaram Barbosa em "herói", o Batman, agora dão sinais que podem isolá-lo, abandoná-lo ferido na estrada; o novo ministro do STF, Luís Roberto Barroso, progressista, acha que quem quer fazer política precisa de voto; Breda, da OAB-PR, põe o dedo direto na ferida: o ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado!.

A política e a mídia que transformaram Barbosa em “herói”, o Batman, agora dão sinais que podem isolá-lo, abandoná-lo ferido na estrada; o novo ministro do STF, Luís Roberto Barroso, progressista, acha que quem quer fazer política precisa de voto; Breda, da OAB-PR, põe o dedo direto na ferida: o ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado!.

A ascensão do ministro Joaquim Barbosa à  presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), com suas características fascistoides, elevaram o status daquela corte a de um partido político. Poderia até mudar a sigla para PSTF (Partido do Supremo Tribunal Federal).
Nem todos os ministros concordam com o ministro Barbosa. O fizeram no caso do mensalão porque seriam demonizados e achincalhados pela velha mídia chantagista. Vide o caso do revisor Ricardo Lewandowski.

Faltou mais coragem aos demais magistrados que também discordavam de Barbosa, é verdade, mas o tempo perdido ainda pode ser recuperado.

O julgamento do mensalão (AP 470) durou inacreditáveis 53 sessões !“ ou mais de quatro meses !“ em plenas eleições municipais de 2012. Os barões da mídia queriam interferir nos resultados das urnas, mas não lograram êxito. Os casos mais emblemáticos são em Curitiba e São Paulo, onde petistas e aliados venceram as disputas.

No reinado de Barbosa, o STF deixou de zelar pela Constituição Federal e se esmerou na arte de fazer política como se um partido fosse !“ embora o titular daquela corte espinafre os legalmente constituídos. Uma lástima para a democracia e um retrocesso para o Direito.

Quem melhor definiu o presidente do STF foi o presidente da OAB-PR, Juliano Breda, segundo qual o ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado! (ouça o áudio com o antológico discurso do advogado curitibano).

Entretanto, a nomeação do advogado fluminense Luís Roberto Barroso, sabidamente progressista, disse ontem (24), em Salvador, 13!º Congresso Brasileiro de Direito do Estado, que decisões políticas! devem ser tomadas por quem tem voto!.

Concordo plenamente com a fala do novo ministro, indicado pela presidenta Dilma Rousseff para vaga deixada pelo ex-ministro Ayres Brito. Se os ministros querem fazer política, ora, podem fazê-la, mas que se alistem em uma agremiação como qualquer mortal comum.

Para fechar, mais uma previsão do presidente da OAB-PR, Juliano Breda: a grande mídia no país vem poupando Joaquim Barbosa, pois terminado o julgamento do mensalão será absolutamente destruído pela imprensa brasileira, e com muita razão!.