Presidente da Fiep pede “transparência” no pedágio do PR; assista ao vídeo

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, em pronunciamento na Assembleia Legislativa, colocou o dedo na ferida ao pedir mais transparência no pedágio cobrado nas rodovias do estado.

Sem perder a galhardia, o empresário criticou o preço da tarifa do pedágio que aumenta o “Custo Brasil” e as empresas concessionárias que não investem na melhoria das rodovias paranaenses.

“Não somos contra o pedágio, mas queremos transparência”, reivindicou o presidente da Fiep.

Edson Campagnolo lançou a “Agenda Parlamentar da Fiep” e também pediu medidas de proteção da indústria nacional das importações chinesas. Segundo ele, o processo de industrialização do país segue a passos largos diante da competitividade desleal com o gigante asiático.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O presidente da Fiep que ser candidatar em 2014. Tenta uma vaga para a vice-governança ou o Senado Federal.

    Mas não se elege nem deputado estadual. Quem viver, verá.

  2. Uma coisa que que o presidente da fiep pediu,que o salario regional nãoseja na intensidade atual.o rossoni parece que acatou,significa que o salario regional vai baixar.eu ouvi isso no canal 21 na assembleia legislativa.muitas coisas o opresidente da fiep tem rasão ,mas entendi que ele propos um reajuste menos do que é feito todos os anos. fiquem alerta e fiscalizem os deputados estaduais ,em assunto de salario regional.

  3. pedagio so ve a transparencia e do dinheiro muito dinheiro ,depois eles querem da justica o comprimento dos contrato ,e o pacto com o dibo.entao digo pedagio do psdb tudo pro inferno e jaime lerner tambem.junto com beto e nao podemos esqueser do valdir luis rossoni o fisurado por diheiro.

  4. Boa sr Edson, tem que falar na cara dessas tucanalhas mesmo, falando nisso vem a segunda versão do pedágio no Paraná, pedágio que os tucanos implantaram da medo no povo do Paraná:
    “O líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano (PSDB), confirmou ontem a intenção do Executivo de implantar novas praças de pedágio no estado. Ao contrário dos contratos em vigor, porém, as novas concessões seriam feitas por meio de parcerias público-privadas (PPPs). A modalidade é tratada pelo governo como a única forma de solucionar a constante necessidade de investimentos nas rodovias paranaenses. Por enquanto, não há qualquer informação sobre localização e quantidade de praças que poderão ser instaladas.
    A medida, considerada pelo próprio Executivo como “política da atual gestão”, vem sendo debatida desde o primeiro ano do governo Beto Richa (PSDB). Agora, no entanto, as discussões estão se afunilando. Tanto que, no próximo dia 27, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, participará de uma audiência pública na Assembleia para debater o pedágio e os investimentos nas rodovias que cortam o Paraná.
    Também estarão no evento Nelson Leal Jr., diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER); e Antonio José Correia Ri­bas, diretor-presidente da Agência Reguladora de Ser­viços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar).
    Se a medida planejada pelo governo de fato sair do papel, serão as primeiras concessões de rodovias à iniciativa privada depois de mais de dez anos ““ a última foi em 2002, entre Lapa e Araucária. Nas praças de pedágio existentes hoje, as empresas vencedoras das licitações usam parte do dinheiro arrecadado com as tarifas para investir nas estradas bem como para fazer obras de manutenção e conservação. Já na modalidade PPP, apesar de também haver licitação, o governo vai arcar previamente com parte do investimento, o que tende a reduzir o valor das tarifas.

    “A PPP é a solução para os investimentos nas rodovias do Paraná. E isso [implantação de novas praças de pedágio] será possível por meio de uma ampla discussão com a sociedade”, justificou Traiano.

    Crédito adicional

    Ontem, a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia aprovou projeto do governo que destina um crédito especial de R$ 4,9 milhões à Agepar, a fim de custear o funcionamento da instituição. Responsável por fiscalizar e regular as concessionárias de serviços de pedágios, transportes e travessias do estado, a agência foi regulamentada no fim de 2012 e tem prazo de três anos para se tornar independente financeiramente do governo. Para isso, recebe 0,25% da receita bruta das concessionárias, o que deve representar cerca de R$ 4 milhões neste ano.”
    http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=1372676&tit=Lider-do-governo-confirma-que-PR-estuda-criacao-de-pedagios
    O povo paranaense precisa ir pra rua pra impedir mais essa safadeza desses tucanos, pois já temos uma péssima experiência do pedágio que esse mesmo grupo político implantou no estado em 1997.