Pela primeira vez, Dirceu e Jefferson concordam: “Fora, Barbosa”

do Brasil 247

Em pelo menos um ponto o delator do esquema do mensalão, Roberto Jefferson, e um dos delatados, o ex-ministro José Dirceu, concordam: querem Joaquim Barbosa fora da relatoria do caso; defesa de Jefferson alega, em recurso da Ação Penal 470, que Barbosa não pode continuar como relator após ter assumido a presidência da Corte; advogados de Dirceu apontam falhas no acórdão elaborado pelo ministro e pedem novo documento.

Em pelo menos um ponto o delator do esquema do mensalão, Roberto Jefferson, e um dos delatados, o ex-ministro José Dirceu, concordam: querem Joaquim Barbosa fora da relatoria do caso; defesa de Jefferson alega, em recurso da Ação Penal 470, que Barbosa não pode continuar como relator após ter assumido a presidência da Corte; advogados de Dirceu apontam falhas no acórdão elaborado pelo ministro e pedem novo documento.

“Sai daí, Zé. Sai daí logo, antes que você faça réu um homem inocente”, aconselhou o então deputado Roberto Jefferson (PTB), em junho de 2005, ao então ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu. Dias depois dos depoimentos em que Jefferson expôs seus “instintos mais primitivos” à  CPI dos Correios, Dirceu deixava o posto. Era o início da narrativa do esquema do ‘mensalão’, que se aproxima de seus capítulos finais com a apresentação dos recursos dos réus condenados na Ação Penal 470. E quis o destino que, no fim do processo, Dirceu e Jefferson, que se acostumaram a rivalizar desde as CPIs do governo Fernando Collor, enfim concordassem.

No recurso apresentado pela defesa do presidente do PTB ao Supremo Tribunal Federal (STF), há um pedido por um novo relator para o processo. Os advogados de Dirceu pediram o mesmo: o afastamento do presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, da relatoria do caso. Ou seja, detalor e delatado querem a mesma coisa, ainda que por motivos diferentes.

A defesa de Jefferson alega que Barbosa não pode continuar na relatoria por ter assumido a presidência da Corte. Já os advogados de Dirceu apontam falhas no acórdão elaborado pelo ministro e pedem um novo documento, organizado por outro ministro. Ainda não há previsão de quando o STF vai julgar os recursos.

Último dia

Condenados no julgamento da Ação Penal 470, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e os ex-deputados federais Romeu Queiroz e Bispo Rodrigues apresentaram recursos nesta quinta-feira contra as penas definidas pelo Supremo. Dos 25 condenados, onze já recorreram da sentença. O prazo para apresentação de recursos termina hoje.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Esse Roberto Jefferson é um bossal, na época das investigação do mensalão, apos a sua cassação ou renuncia (nem lembro mais o que foi, faz tanto tempo) escutei uma entrevista sua dizendo como ia aproveitar o tempo. Falou em tom debochado que estava gravando um CD com 12 musicas e vai distribuir 500 cópias aos amigos. Tipo como se tudo fosse acabar em pizza. Sujeito mal carater, esse merecia uma cadeia estilo carandirú.

    • Trabalhador ele esta passando pela pior Cadeia que um ser Humano pode passar, esta doente com Câncer, essa doença não poupa ninguém.

    • Pra você ele só é boçal, porque denunciou a Gangue do PT e o Mensalão. Não fugiu da raia, foi até o fim sendo cassado, não agiu como muitos petistas renunciando pra nao sofrer cassação. A Maior raiva de vocês Petistas é ele ter Denunciado a Corja Petista, e vocês deviam dar graças a ele, por não ter envolvido o nome do Lider mensaleiro o Lula. Então Boçal por Boçal, Zé Dirceu, Genuino, Cunha, Delúbio, etc, são piores do que ele.

      • Fique quieto, o assunto é para adultos…

        • Fala Sério,
          o mensalão petista tem origem em Minas Gerais, ou seja, nasceu com Marcos Valério no governo tucano de Eduardo Azeredo, Joaquim Barbosa, comentou num dos seus discursos no julgamento do Mensalão que os dois processos deveriam ser unificados. Entretanto, o Procurador Geral da República Roberto Gurgel, usou critérios completamente diferentes nos dois casos. Portanto, nesta sua lista poderia estar incluído o tucano Azeredo – perdão, como comissionado do desgovernador, vc não está sendo pago para enveredar por este caminho.
          Gurgel não é confiável, se fez de defensor da moralidade pública através do ” julgamento do mensalão”. Porém, em outras denúncias com a mesma gravidade agiu de forma diferente, não dando continuidade, é o caso da Operação Vegas. Dependendo do partido, do político e da pessoa investigados, critérios, pesos e medidas diferentes são utilizados por Gurgel, esse tipo de conduta tem como consequência a prevaricação e os julgamentos exceção.

      • Tadinho, só por isso vamos pedir a canonização dele virou um santinho agora. Por acaso você esta sabendo alguma coisa do Mensalão do PSDB de Minas Gerais, menino prodígio, deixa de ser escroto você cobra e na maioria das vezes, até tem razão, porque realmente esses políticos não presta, mais perde a sua razão, quando insiste ocultar e excluir das suas criticas o Mensalão do PSDB de Minas Gerais, seja um pouquinho justo para merecer o minimo de respeito, e por essa sua postura que tem a necessidade de usar esse nome, FALA SÉRIO.