O dia em que o pedágio acabou

O governo petista de Tarso Genro, no Rio Grande do Sul, acabou com o pedágio de uma rodovia e rompeu contrato com as pedagiadoras; agora, o estado gaúcho vai administrar outras quatro praças restantes a preços módicos; enquanto isso, no "Tucanistão" de Beto Richa, também conhecido como Paraná, as pedagiadoras nunca foram tão felizes... (Foto da praça de pedágio: Camila Boff/Agencia RBS).

O governo petista de Tarso Genro, no Rio Grande do Sul, acabou com o pedágio de uma rodovia e rompeu contrato com as pedagiadoras; agora, o estado gaúcho vai administrar outras quatro praças restantes a preços módicos; enquanto isso, no “Tucanistão” de Beto Richa, também conhecido como Paraná, as pedagiadoras nunca foram tão felizes… (Foto da praça de pedágio: Camila Boff/Agencia RBS).

O governo Tarso Genro, no Rio Grande do Sul, cumpre nesta sexta-feira (31) a promessa feita na campanha de acabar com a exploração privada do pedágio. Em protesto ao “grand finale”, as concessionárias gaúchas levantaram nesta madrugada, à s 4h45, as cancelas nas praças de cobrança antes do ato político e simbólico que seria feito na manhã de hoje pelo petista.

Com ou sem choro, o pedágio acabou naquelas plagas. Mais precisamente no município de Farroupilha. A tarifa foi extinta naquela localidade. Lá, objetivamente, o pedágio acabou na ERS-122.

As quatro praças restantes em rodovias estaduais serão repassadas à  Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) — uma estatal criada justamente para administrar o pedágio.

As empresas que exploram o pedágio no estado avisam que vão à  Justiça. Elas já perderam liminares que lhes garantiam presença nas praças até dezembro deste ano. Pleiteavam a dilatação nos contratos, mas não conseguiram.

No Paraná, na época do então governador Roberto Requião (PMDB), tinha-se a palavra de ordem ou abaixa ou acaba!. O lobby do pedágio acabou sendo mais forte. Não só continuou no governo do tucano Beto Richa (PSDB) como também aumentou de preço.

As ações judiciais que o governo do Paraná movia contra as concessionárias, pelo que se sabe, estão sendo objeto de desistência pelo Estado. Além disso, também se cogita novas praças de cobrança e novos aumentos na tarifa.

O Paraná, diferente do Rio Grande do Sul, bem que poderia ser rebatizado como Tucanistão!.

Comentários encerrados.