Manifesto pede “revisão” de concurso para professores no Paraná

Professores utilizam as redes sociais para pressionar ou pelo cancelamento ou pela revisão do concurso para 17 professores; erros conceituais, inconsistência das questões e duplicidade nos resultados embalam protestos de educadores; até agora, a dupla dinâmica" Flávio Arns e Beto Richa, do PSDB, ainda não se manifestou acerca desse colossal quiproquó; governador e vice: tenham juízo e cancelem esse concurso.

Professores utilizam as redes sociais para pressionar ou pelo cancelamento ou pela revisão do concurso para 17 professores; erros conceituais, inconsistência das questões e duplicidade nos resultados embalam protestos de educadores; até agora, a dupla dinâmica” Flávio Arns e Beto Richa, do PSDB, ainda não se manifestou acerca desse colossal quiproquó; governador e vice: tenham juízo e cancelem esse concurso.

Ganha força na internet um manifesto, assinado por professores de várias disciplinas, pedindo para que a PUCPR — e a Secretaria de Estado da Educação do Paraná (SEDD) — revise a prova de conhecimento específico da disciplina de matemática.

Segundo o documento, que coleta assinaturas online (clique aqui para acessar), o concurso realizado no último final de semana para preencher 14 mil vagas do quadro próprio do magistério, apresentou várias inconsistências como, por exemplo, resultado dúplice, erros conceituais e falta de tempo para responder as questões.

Na prática, alguns educadores querem mesmo é “melar” esse concurso porque — segundo eles — tem cheiro de “marmelada”. O quiproquó da semana passada quase terminou em pancadaria (relembre clicando aqui).

Também houve protestos e desabafos isolados nas redes sociais, como o do professor de sociologia Alysson Cipriano Pereira. Segurando o cartaz, no Facebook, ele diz: Sou professor e estou sendo prejudicado pela prova do concurso que estava repleta de falhas!.

A seguir, leia a íntegra da Manifesto e Carta Aberta dos professores:

Manifesto e Carta Aberta em prol da revisão da prova de conhecimentos específicos da disciplina de Matemática no concurso público N!º 017/2013 para provimento do quadro próprio do Magistério no Estado do Paraná

As pessoas físicas abaixo relacionadas, que se candidataram e realizaram o Concurso Público de Provas e Títulos para provimento no cargo de Professor, na disciplina de Matemática, no estado do Paraná, e todos os demais professores que se sentem indignados com esta situação, manifestam-se aqui publicamente, e requerem ações no que se refere à  prova de conhecimentos específicos que compôs, juntamente com as questões de núcleo comum da Educação, a primeira etapa deste concurso.

Levando-se em conta que:

1) a prova específica de Matemática apresenta questões com incoerências, com mais de uma alternativa correta e com erros conceituais;

2) Que a prova específica não atende ao anexo III do edital, quando se refere ao programa da prova específica, visto que não apresenta questões referentes à s tendências em Educação Matemática;

3) Considerando a falta de espaço destinado ao rascunho para os cálculos das provas da área de exatas;

4) Levando-se em conta o tempo destinado à  resolução das vinte questões da prova específica, insuficiente para que todas fossem resolvidas no intervalo de quatro horas, haja vista que a prova específica constitui apenas um dos núcleos de questões;

5) Considerando a pequena quantidade de candidatos classificados na primeira etapa do referido concurso, reivindicamos à  PUC- PR e SEED, neste manifesto e carta aberta, reavaliação e reconsideração dos critérios de classificação da primeira etapa desta prova.

Considerando o subitem 8.1.4 (Somente serão corrigidas as redações (Fase 2) dos candidatos que obtiverem número de acertos igual ou superior a 24 (vinte e quatro) acertos do total de questões na Prova de Conhecimentos. Além disso, o candidato deverá obter, no mínimo, 12 (doze) acertos na área de Conhecimentos Específicos, no mínimo 4 (quatro) acertos na área de Fundamentos da Educação e 3 (três) acertos em Conhecimento Comum. Serão automaticamente excluídos do Concurso Público os candidatos que não atingirem o número de acertos mínimos previsto neste subitem) do edital 017/2013, somente os candidatos que obtiveram número de acertos igual ou superior a 12 questões na prova de conhecimentos específicos, teriam suas provas corrigidas, independentemente do número de acertos total ser igual ou superior a 24 questões.

Por outro lado, na prova de conhecimentos específicos de Matemática, encontramos uma série de incoerências, como as citadas em linhas anteriores, que levaram ao baixo índice de acertos dos candidatos na prova.

O primeiro ponto que destacamos se refere à s questões com mais de uma alternativa correta e com erros conceituais. A questão 10 (ver Figura 1 anexa), da prova de número 131, desta prova específica, admite duas alternativas corretas, já que a letra c), também apresenta a raiz da equação, e o enunciado não explicita que a alternativa correta deve conter todas as raízes distintas da equação, inclusive deixa subentendido que poderia ser uma solução apenas, já que o plural está entre parênteses.

Já as questões 14, 15 e 20 da mesma prova, apresentam aos candidatos, alternativas com números decimais notados com ponto!, ao invés de vírgula!, como utilizamos no Brasil.

Nos Estados Unidos, os números decimais são assim representados, no Brasil não é comum utilizarmos esta notação, basta observar nossos livros didáticos e documentos curriculares. Sendo assim, as alternativas de ambas as questões, pareciam estar representando o produto de dois números inteiros. De acordo com a professora doutora Vera Clotilde Garcia a vírgula é utilizada ( no Brasil) como um separador decimal (em alguns outros países, utiliza-se um ponto) que indica o começo da parte menor do que a unidade!.

As quatro questões deveriam ser anuladas, pelos erros e incompreensões que admitem.

Ademais, a prova de conhecimentos específicos não contemplou nenhuma questão que se referia à s Tendências em Educação Matemática, exigidas inclusive na etapa da prova didática. Ou seja, Modelagem Matemática, Resolução de Problemas, Etnomatemática … não foram tópicos avaliados na prova, embora exigidos no edital do concurso, explícitas nas Diretrizes Curriculares Estaduais para a Educação Básica, e de dimensão extremamente importante, a nosso ver, na classificação de professores que atuarão na Educação Básica do estado pelos próximos trinta anos, aproximadamente! Sem entrar no mérito da discussão sobre a concepção de Educação Matemática que se esconde por detrás da prova específica de Matemática aplicada, deixamos claro o nosso total descontentamento com o critério de classificação nesta etapa, que desmerece os educadores matemáticos no sentido da sua prática pedagógica. Apenas a dimensão do conteúdo foi avaliada. Não concordamos com este critério e, embora ele não seja levado em conta, queremos deixar isso muito bem claro. Lutamos por uma Educação Matemática de qualidade nas escolas PÚBLICAS do Paraná.

Outro aspecto que merece ser destacado é a falta de espaço na prova, que poderia ser usado para rascunho das questões! Muitos candidatos gastaram o pouco tempo que dispunham, apagando seus cálculos, feitos nas bordas das páginas da prova, para ganhar espaço de rascunho. Resultado? Ganho de espaço, perda de tempo!

Tempo esse que não foi suficiente para que todas as questões da prova específica pudessem ser resolvidas pela maioria dos candidatos. Analisemos: 240 minutos para resolução de 40 questões, mais a elaboração da redação e o preenchimento do gabarito. Se descontados no mínimo 30 minutos para a redação; e mais 12 minutos no preenchimento do gabarito; sobrariam 4min e 57seg para cada questão, a maioria das questões com respostas muitos parecidas você levaria mais que esse tempo só para interpretar a questão. Em Matemática não se conseguia resolver nenhum dos exercícios em menos de 5 minutos.

Incompetência nossa? Não! Falta de tempo nossa, e de bom senso dos elaboradores da prova que se preocuparam mais em dispor de questões que priorizaram os cálculos em detrimento do raciocínio e os conceitos matemáticos, que deveriam ser utilizados! Os conceitos foram utilizados nas questões que tivemos tempo de resolver; no entanto, gastamos nosso precioso tempo, fazendo contas enormes, em praticamente todas as questões.

Por fim, deixamos aqui registrado que não nos sentimos incompetentes diante dessa primeira etapa, levando em conta que, das questões que conseguimos resolver, tivemos sim 60% de acertos, como o edital exige, entretanto com questões com enunciados daquela extensão, tivemos tempo de resolver 60% da prova toda. O resto? O resto foi sorte, ou azar! E aí nos questionamos: classificar professores na sorte!? Não precisaríamos de um concurso público.

Não desmerecemos em momento algum nossos colegas professores que por mérito deles, se classificaram nesta primeira etapa! Muito merecido. Esperamos que passem com êxito pelas próximas etapas do concurso e desenvolvam um bom trabalho junto a nossos alunos. Parabéns!

No entanto diante de todas as justificativas aqui apresentadas por nós, viemos reivindicar um novo critério de classificação nesta primeira etapa do concurso, no que se refere à  prova de conhecimentos específicos de Matemática.
Solicitamos que a comissão avaliadora da primeira etapa do concurso se utilize apenas de um dos critérios apresentados no edital 017/2013, ou o retifique, reduzindo a quantidade mínima de acertos na prova específica de Matemática, ou ainda, aplique uma nova prova, aos candidatos.

Considerando que a prova de Matemática não foi resolvida por completo, pelos candidatos, requeremos que sejam considerados 60% de acertos, em relação à s questões que foram resolvidas pelos candidatos, isso dá em média, 9 acertos em questões específicas e não 12, como o edital exige; ou ainda, sugerimos que sejam considerados 24 acertos no total da prova, incluindo as questões de núcleo comum, sem a exigência de 12 específicas de Matemática. Tais alterações apenas levariam mais candidatos à s próximas etapas do concurso.

Esperamos ainda, que as próximas etapas não sigam o padrão do edital publicado com várias retificações e, da primeira etapa, com tantas incoerências e desentendimentos.

Assinam a carta aberta, os candidatos e todos aqueles professores que estão igualmente indignados com esta situação lamentável:
*Obrigatório

54 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. revendo a prova, me perguntei qual a finalidade de se ter informatica na avaliação? outra coisa eu tenho o office 2007, na universidade que eu estudei só existiam sistemas operacionais linux, ou seja só open office. então para eu fazer a prova eu deveria comprar um office 2010? o que realmente isso avaliou? sem contar os fundamentos de educação sinceramente muita coisa que estou vendo aqui mesmo olhando em livros ta difícil achar a resposta,se for deste jeito os cursos de química deveriam ter no minimo 4 anos só de fundamentos, é muita coisa! tem perguntas referentes a diretrizes nacionais, e nas respostas tem coisas estaduais e e federais, só um especialista em LDBEN, PNE, PNDE, DCN,…..dá essa prova para alguém do governo fazer essa prova!querem exigir uma coisa sem o menor noção do que estão exigindo!

  2. e a marmelada continua, na prova de química foi avaliado o que? um professor de química, ou professor de historia e pedagogia, por essa prova pode se dizer que para ser professor de química nem precisa saber química, basta saber historia e conceitos pedagógicos,sem contar que na graduação os professores vivem falando sobre métodos avaliativos, e que provas objetivas devem ser focadas e bem especificas, com respostas concretas e tudo mais, acho que o pessoal que concebeu essa prova não foi a estas aula,o prova prova mau feita.sem contar os erros de impressão.
    na pergunta numero 18 a primeira estrutura estava faltando um carbono, por achismo dava para fazer.
    sem contar as respostas muito semelhantes para os exercícios, com 4 casas decimais depois da virgula tudo muito igual, levariam pelo 10 dez minutos para responder.
    isso quer dizer na universidade se prega uma coisa mas o concurso faz outro, marmelada pura!
    ouvi relatos de professores de universidades que corrigem redação de vestibular zerar, neste caso não poderiam estar dentro de uma universidade publica certo? como isso é possível, sendo que não foi um caso isolado. sinceramente o governo quer continuar usando o PSS como base, ele não quer efetivar ninguém, esse concurso é só fachada uma vergonha, novamente o governo da um tapa na cara dos professores.

  3. Pessoal;

    Vai ter revisao da PUC PR no edital que saira dia 05 setembro para recorrer das questoes da prova
    Alguem de Pedagogia e Portugues que tiver questoes da prova que possa ser questionadas com respostas dubias respondam nesse site para recorrermos no site PUC PR.

  4. Também fiquei indignada, pois meu nome aparece com duas inscrições e quem garante que meu texto nãofoi corrigido com a inscrição de outra! Simplesmente não obtive resposta!!!

  5. esse concurso é a maior palhaçadaaaaaaaaaaaaaaaaaa que eu já vi não tem explicação uma pessoa com mestrado em linguística zerar na redação falta de vergonha na cara isso sim

  6. Tem professor que praticamente gabaritou a prova e foi reprovado na redação. Quero saber se apenas a redação é capaz de avaliar a capacidade e o conhecimento do professor………..

  7. olha pessoal, sejamos sensatos, questionar os erros da prova é uma coisa justa e aceitável, mas exigir a anulação prejudicando quem foi aprovado é uma tremenda contradição.

  8. ORIENTAÇÕES PARA QUEM AINDA NÃO FEZ O RECURSO DA PROVA DA 2ª FASE DO CONCURSO EDITAL 17/2013 SEED-PR (VALE TAMBÉM PARA A 1ª FASE)

    Após muitos candidatos do Concurso Edital nº 17/2013 SEED-PR alegarem diversos problemas havidos, tais como: troca de nomes e núcleos, ou até mesmo, conforme se vê nas redes sociais, listas com aprovados constando apenas o primeiro nome, a PUC-PR (quem aplicou a prova), lançou a seguinte nota: “O Núcleo de Processos Seletivos e Concursos da Pontifícia Universidade Católica ““ PUCPR informa que, em 23/07/2013, enviou aos candidatos o seu desempenho na Fase 2 da Prova de Conhecimentos para atender o Edital específico que trata da divulgação do resultado do contido no Edital 017/2013, no entanto, verificou-se falha na importação dos dados, acarretando, assim, a troca do NRE de Inscrição e Cargos dos Candidatos, não havendo alteração da nota obtida. Essa falha ocorreu no período das 16h às 19h, sendo nesse horário suspensa a disponibilização da consulta no Ambiente do Candidato, retornando-se às 21h já com a devida correção.

    Diante do ocorrido, a SEAP prorrogará o prazo de interposição de recursos até 27/07/13, às 23:59, conforme exposto no edital”,

    Pasmem: até ontem, a resposta dos recursos administrativos era de “não seria disponibilizado o espelho da prova da redação”. Diante de tamanho absurdo, e vendo a crescente mobilização nas redes sociais, orientei que refizessem o recurso, fincando pé no pedido do espelho da redação (pois, como o candidato saberá o que foi corrigido sem a esta cópia?). Pois bem, hoje pela manhã tive a boa notícia por parte de uma candidata de que lhe responderam o recurso (refeito) de que iriam disponibilizar o espelho da prova de redação ““ ao menos uma vitória, em um concurso com tantos problemas.

    Como o prazo do recurso esgota-se somente no dia 27, deixo algumas dicas para quem ainda não fez o recurso, ou, mesmo tendo feito, pode refazê-lo, caso queira:

    Quanto à Fase 1, muitos recursos não foram aceitos sob o argumento de que não estavam redigidos de acordo com o formulário específico (item 12.1.2 “e”), contudo, não havia nenhum formulário no site da PUC e tampouco no Edital que possibilitasse aos candidatos formular um recurso “padrão”, pelo que é direito de todos, que quaisquer tipos de recursos sejam analisados, sob pena de violar o artigo 5º, II e III e art. 37, ambos da Constituição Federal do Brasil. Portanto, entendo que, mesmo esgotado o prazo para a interposição do recurso da fase 1, tendo em vista que no site da PUC e tampouco no Edital do concurso preverem “modelos”, não pode o Estado do Paraná negar recebimento do recurso, sob a alegação de estar “fora do padrão das normas do edital”.

    Quanto à Fase 2, inúmeros desacertos do Poder Público, vejamos:

    “¢ Não havendo o conteúdo a ser cobrado da REDAÇÃO, como esperar que os professores da Rede Estadual Paranaense pudessem tratar adequadamente sobre o tema “cibercultura potencial e funcionalmente voltada para a educação” se a realidade das salas de aulas no Paraná é que em (quase) nenhuma há computadores para os professores trabalharem? Veja bem: a prova objetiva foi em 26/05/2013 e segundo nota do próprio Estado do Paraná (http://www.educacao.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=4445) somente em 29/05/2013 é que começaram a ser entregues os tbalets aos professores, e, de acordo com outro site (http://www.arede.inf.br/noticias/5803-parana-distribui-32-mil-tablets-a-professores) esta entrega somente se concretizou em 01/07/2013. Então, como cobrar um tema que nem fazia parte da realidade dos professores paranaenses?

    “¢ Não há no Edital qual seria a pontuação a ser avaliada sobre cada item da redação, ou seja, o item 8.2.1 do Edital somente elenca itens a serem avaliados, mas não atribui os pontos que serão considerados, o que cerceia o direito de defesa do candidato antes mesmo de realizar a prova;

    “¢ Já recebi e-mails de candidatos que já receberam a resposta quanto ao recurso da REDAÇÃO, na qual o Estado do PR e a PUC afirma que não “NÃO DISPONIBILIZARÃO O ESPELHO DA PROVA (REDAÇÃO)”, assim, como o candidato poderá saber se sua redação foi corrigida corretamente, e qual nota recebeu e se a nota é realmente justa?

    “¢ O item 8.3 do Edital demonstra que a REDAÇÃO tem caráter eliminatório, contudo, cobrando assunto (cibercultura) que não é da área de atuação da maioria dos candidatos, deveria a redação ser CLASSIFICATÓRIA, e não ELIMINATÓRIA, pois a maneira como o Estado do PR está fazendo não avalia o conhecimento do candidato;

    “¢ O tempo da prova (4 horas para quem optou por 1 disciplina ou 5 horas e meia para quem optou por 2 ou mais) é impossível para responder 40 questões e 1 redação (no caso de 1 disciplina), ou pior 80 questões e 1 redação (no caso de quem optou por 2 disciplinas). Imaginem quem optou por 3 disciplinas? 120 questões e 1 redação em 5 horas e meia? Impossível…

    “¢ O tempo dado a todos candidatos foi insuficiente para responder as questões (que exigiam grande raciocínio) e ainda elaborar redação de um tema que sequer era da área da maioria dos candidatos.

    “¢ Não há no site da PUC ou no Edital nenhum modelo de recurso para a 1ª ou 2ª fase, e, ainda, não há sequer modelo de como deverá ser o “plano de aula” (item 9), então, estão cerceando direito de recorrer, ademais, todo candidato necessita e tem direito a ter acesso ao gabarito e ao espelho da redação para poder recorrer e para mover ação judicial caso entenda estar sendo lesado, e o Estado do Paraná através do Edital 17/2013 e a PUC seguindo as orientações deste, está negando tais documentos, o que possibilitará, inclusive, no meu ponto de vista, ingressar com mandado de segurança com múltiplos litisconsortes (candidatos), pedindo anulação da prova de redação, por não haver disposto no Edital o que seria cobrado, ou pelo conteúdo cobrado não ser da área da maioria dos candidatos; ou, ao menos, poderemos pedir alternativamente que seja apresentado espelho da prova para análise, se bem que, neste caso, o Judiciário não CORRIGE prova de concurso, ele se limita a ver se o Estado do Paraná cumpriu com o Edital, e, como o Edital não fixa sequer parâmetros (não há pontuação que será cobrada no Edital e após cobram aleatoriamente), creio que poderemos pedir anulação da prova de redação por isto também.

    “¢ Quanto aos candidatos que alegam haver feito mais pontos do que receberam, deverão pedir o gabarito, para saber se estão de acordo com o item 8.1.4 do Edital.

    “¢ Também há a questão de que pedem para não identificar a prova, entretanto, na mesma folha que é preenchida o GABARITO, e necessariamente consta todos os dados do candidato, o verso desta deveria ser feita a REDAÇÃO, então, como não IDENTIFICAR A PROVA?

    Por hora são estes os tópicos principais. Aconselho, então, a todos que já fizeram recurso (mesmo os que fizeram o da 1ª fase e não foram aceitos pelo motivo de não estar de acordo com o formulário que pedia no Edital) e os da 2ª fase também, a refazerem alegando estes itens.

    Atenciosamente,

    Juliano Garbuggio
    OAB/PR 47.565

    [email protected]

  9. Fiz o concurso para pedagogo, foi provado que havia questão errada e nem resposta do recurso eu recebi até hoje, foi um concurso ridículo, cheio de regras e muito as escuras, com questões com textos enormes e com dúvidas que nem eles sabem responder. Espero que o governo se posicione a respeito. Esperamos tanto tempo pelo concurso para ser essa palhaçada que foi. Onde estão meus erros na redação?

    • Roseli de Fatima Straliote

      Favor passar as questoes as quais estavam com respostas dubias para poder entrar com recurso contra PUC PR .
      Desde ja agradeço

      OBRIGADOOO .

  10. A PUC deve ter contratado tartarugas para conferir os gabaritos, rsr pela demora .
    Provavelmente à PUC deve estar conferindo os Gabaritos manualmente um por um, não consigo lembrar se no gabarito tinha algum código de barra, mas pelo material simples que foi aquela folha do gabarito com certeza e só assim para justificar a demora. Eita será que sai até o Natal o primeiro resultado.

  11. Pessoal esse concurso e comcartas marcadas a organizadora PUCPR em consonancia com o governo do PR realizaram o concurso so de nome para ganhar muito e passar o minimo do minimo possivel, a organizadora sequer tinha funcionarios da PUC nos locais de prova , uma total desorganização , falta de pessoal para atendimento ao candidato em pleno epoca de informações antes do concurso so um telefone para atender a demanda dos candidatos e horario reduzido , isso e brincar com os candidatos, atendimento ZERO da PUC PR , falta de organização, falta de informação, certeza que encheram os bolsos com a taxa de pagamento do concurso. VERGONHOSO ESSE CONCURSO. PUC PR E UMA VERGONHA

  12. Realmente este concurso mudou minha vida…. fez fundir o motor do meu carro, acabou com um casamento, me deixou estressado e agora respondem meus recursos com uma precariedade absoluta. Sendo que estes foram postados no ambiente de candidato, aliás, fiz reclamação inicial para comissão organizadora pela incompatibilidade de envio de arquivos, já que faço uso de software livre.
    Sinceridade tenha que concordar com a maioria dos colegas, ANULAR O CONCURSO E DAR O DINHEIRO DE VOLTA… VEM PRA RUA. GRITE AO MENOS ALGUÉM PODE INDIGNAR-SE E COPIAR SUA ATITUDE.

    aloha!!

  13. Vejo que muitos professores foram fazer o concurso despreparados porque acharam que ia estar igual o de 2007 que estava uma baba, e agora levaram pau e estão todos loucos!! Quem estudou passou engraçado não acham??

  14. Entra com a grande providência nesse concurso Senhor, e conceda o grande livramento e a grande VITÓRIA, é só o SENHOR para fazer a grande OBRA, em nome de Jesus Cristo!!!!!!!!!!!!!!!

  15. Pessoal…parem de discutir e vamos sim pedia anulação desse concurso que só fez medir a sorte, eu passei, estudei, mas vejo que não está correto continuar assim, alimentando o bolso dos governantes, Além do mais ele fez isso pra desunir ainda mais a classe dos professores. VAMOS ANULAR ESSE CONCURSO JAAAAAAAA….

  16. Então, se essas reclamações são de professores, fiquei muito decepcionada, com o grau de besteirol. tenho 44 anos, faço faculdade a distancia, não tenho vivencia nenhuma na area de educação, portanto na primeira fase passei, juntamente com 50% da nossa turma da sala de aula, mas possso garantir, estudamos muitooo e passamos, não estava dificil, visto que só tenho 02 anos de faculdade. boa sorte a todos. estudar sempre é o melhor caminho.

  17. Este Concurso foi a marmelada da vez; a antecipação política ao confisco dos milhões arrecadados dos candidatos, para o caixinha do Governo. É o famoso “sarcástico e continuísmo”, da brilhante carreira política nas campanhas eleitorais que vem aí em 2014 para Governador, Deputados e outros afins eleitoreiros na surrupiação do dinheiro público. Só trouxa que não vê isto, como sempre aconteceu.

  18. Me perdoem o breve o comentário mas a breve leitura de besteirol que obtive por parte de alguns brasileiros incultos, resultado do processo ditatorial brasileiro, me perdoem aqui nossos colegas profissionais que realmente respeitam a nossa carreira e lecionam por amor.
    Infelizmente, pudemos observar aqui, que apesar de vivermos o tal sistema Neo Liberal, ainda creio que o periodo Jesuita ainda vigora de forma nua e crua.
    Sou ex QPM pq me retirei do Brasil por 5 anos para me especializar no exterior, quando descobri que não havia um modo de salvar ou fazer uma revolução social sozinha, pois pertencia a uma classe profissional desunida e destituida de cultura, me perdoem e franquesa. A unica cultura que possuimos é a de exploração e de corrupção, onde a função principal do Ëducador ainda é forma cidadão para votar, onde o voto é secreto e obrigatório, onde após um lindo trabalho feito em sala de aula ou trabalho de pesquisa feita em conjunto com alunos eu ainda preciso utilizar a avaliação como recurso de maior valor. Me perdoem, não vejo solução. Parabéns Beto Richa!!!!! Vc provou que somos formados por uma classe inculta, desunida, vendida, miserável. Mas se não se esqueça, ainda somos formadores, formadores de pensamento, temos livre arbítrio, ao menos os que podem ou ainda sabem pensar. Não será através de um tablet que vc controlará ainda mais e escravizará ou sucatizará a nossa liberdade de expressão Essa vc venceu, venceu bonito, com quase seis milhoes de lucro para os cofres do governo e sempre as custas da educação, mas tudo o que vem, volta, lembre-se disso. Um dia é da caça, ooutro do caçador. Desabafei!!!!!!!!!!!!

  19. FALA SÉRIO…PRA FAZER CONCURSO PÚBLICO TEM QUE ESTUDAR E NÃO ACHAR QUE TUDO SE ARRUMA DEPOIS COM ALGUMAS ASSINATURAS.ESSES CARAS QUE ESTÃO QUERENDO ANULAR O CONCURSO SÃO UNS INCOMPETENTES E DEVERIAM PROCURAR EMPREGO ONDE SÃO INDICADOS,QUE DAÍ NÃO PRECISA ESTUDAR.

  20. O que esta sendo discutido não são questões isoladas sobre alternativas certas ou erradas, é o quão desumano foi fazer uma prova onde os dispositivos do edital contempla um conteúdo e depois, por arrogància , é aplicado outro. A matemática tem as suas nuances. portanto, qualquer um poderá criar aleatoriamente sentenças de difícil raciocínio, mas num concurso como este há outras questões para ser cobradas, como por exemplo. modelagens matemática, etnomatemática, jogos matemático, linguagens matemática, não apenas demonstrações e divagações geométricas comum para quem quer fazer mestrado. Nesse concurso, prevaleceu a arrogància.

  21. Na verdade ficar chingando e chamando as pessoas de burra, e mandando se preparar para o concurso não resolve nada, pra começar não existe pessoa burra, e acredito que como todos sonham, todos estudaram, e que se exigem de um professor ser claro específico e não obter erros graves eles tem que ser o primeiro para dar exemplos, Pra terminar não foi só a prova de metemática que teve erros graves a de sociologia algunhas questões de conhecimento geral tinham dupla respostas que indicam como correta.
    algunha nos tínhamos que escolher, não estávamos ali para testar nossa sorte mas sim nosso conhecimentos. Vou dar um exemplo uma questões de informática que falava sobre excel 2010 (que aliás eu conheço muito sobre excel) pedia com manter meu texto de forma organizada dentro de uma célula:
    A resposta correta indicava “quebrar texto automaticamente ” sendo que havia outra auternativa que possibilita quebrar o texto que é ” aumentar a lagura da linha “.
    a pergunta era sobre organização , então ambas organizam ….
    Cade aquela pedagogia da nova era que valoriza as nossa habilidades e conhecimentos ????
    A verdade é que a cobrança só cai em cima de nós.

    • Professora Bom dia;

      Tem como você fundamentar a questao de informatica que estava com resposta dubia porque fiquei por uma questao para me classificar , com sua fundamentacao entro na justica por essa questao e consigo me classificar .

      Aguardo posicao

      att

      EDSON LUIZ

  22. Anula essas questões dubias e segue o baile

    • Perfeito
      isso já foi feito N vezes … parem de chororô

    • Boa astrogildo…. esse povo ficar chorando as pitangas aqui não dá futuro… o negócio é comprovar os erros e pedir a anulação dessas questões como já aconteceu em tantos outros concurso e fim de papo…

  23. FORA PUC! FORA PUC !

    NÓS TEMOS UEPG, UEL, UEM…

    AH…E FORA ARNS!

    FORA!!

  24. Vão para a justiça. Agora, normalmente o blá, blá, blá é feito porquês não tem condições de passar no concurso. Pensem em se preparar melhor da próxima vez.

  25. Uma vez que:
    – Há infinitas soluções para x.
    – O elaborador da questão não especificou o intervalo específico de x a ser considerado.

    Então o elaborador da questão teve a intenção de que o candidato analisasse diretamente os valores de x propostos nas alternativas. Analisando nesse aspecto, essa questão de matemática é válida.

    • – Corrigindo, apenas o lado esquerdo da equação tem infinitas soluções, mas a solução particular solicitada, ao se igualar o lado esquerdo a 4, possui apenas duas soluções (x = 2 ou x = -2). Esse “ou” é exclusivo, porque x não pode ser dois valores ao mesmo tempo.

      – Na alternativa C, assim como em todas, a sentença é escrita em lógica booleana.
      Em lógica booleana, x = 2 ou x = 2 é equivalente a x = 2 SOMENTE. Mas como x pode ser 2 ou -2, então a alternativa C está errada.

      Conclusão: a questão não é passível de anulação.

  26. NÃO ESTUDEI E POR 2 QUESTÕES NA ESPECIFICA FIQUEI DE FORA, CONCORDO SIM COM A ANULAÇÃO DE PERGUNTAS MAL FORMULADAS, ENTRE OUTRAS QUESTIONAMENTOS DESDE COM EMBASAMENTO PRA TAL…AGORA QUERER MELAR? ISSO É FALTA DE CAPACIDADE, PESSOA MAL PREPARADA QUE NÃO ESTUDOU E QUE AGORA ESTA CHORANDO E PREOCUPADO PORQUE VAI FICAR SEM AULA, E QUE AGORA VAI LEVAR NO MINIMO UNS 10 ANOS PRA TER OUTRO CONCURSO…E O QUE VAI LHE RESTAR SÃO SUBSTITUIÇÕES KKKKKKKK PORQUE NÃO QUESTIONOU O GOVERNO ANTES…AGORA QUE NÃO PASSOU É FÁCIL COLOCAR A CULPA NOS ORGANIZADORES….TOMA VERGONHA NA CARA PROFESSORES…

  27. Querer “melar” esse concurso como citou o senhor Esmael não é o caminho. Pois isso seria um grande desrespeito não só comigo, mas com dezenas de milhares de professores que estudaram e passaram (até o presente momento) no concurso. Agora sobre as questões que devem ser anuladas por respostas duplas ou erros, isso sim está correto. O candidato deve ler o edital e interpor os recursos legais (afinal de contas existe legislação) cobrando tanto da PUC quanto do (des) governo do Paraná.

    • PASSAR NA 1ª ETAPA É UMA COISA VAMOS VER A 2ª QUE É A REDAÇÃO, E QUEM VAI FAZER A ANÁLISE E CORREÇÃO DAS MESMA. FIZ A PROVA DE MATEMÁTICA E O QUE TEM DE INCONSISTÊNCIA NAS PERGUNTAS É IMENSA, DUPLICIDADE NAS RESPOSTAS NÃO TINHA ESPAÇO SUFICIENTE PARA RASCUNHO PARA RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS.

  28. Será que houve mesmo erros e falhas nas questões?? Se as provas aplicadas a Alunos da Rede estadual, que fazem provas com erros da mesma natureza, e não TEM como contestar ou pedir revisão, como ficam???? Esses professores devem ter tido aula com o Fruet… só reclamam e choram.

    • Você é burro mesmo FALA SÉRIO, e só tentar resolver essa questão 10, que o Esmael mostrou que você descobre o que estão falando(tá no início da matéria ao lado da foto do Beto e do Arns)..Mas pelo jeito é um ignorante em matemática e vai pro concurso dando chutão…

      Uma vergonha um sujeito com o seu nível de ignorância fazer parte da folha de pagamento do estado e estar lotado na SEED.

      • 1. Não sou comissionado
        2. Não sou funcionario da SEED.
        3. Você e muito outros idiotas, baseiam seu comentários no titulo da materia, nâo tem capacidade MENTAL, de ler as entrelinhas, portanto Burro aqui não sou eu.
        4. Quem garante que a Questão 10 mostrada, estava na prova que os Professores fizeram? Vai no Google e você encontra milhares.
        5. Os professores adoram uma algazarra, não aceitam NÃO como resposta.
        6. a APP é Vendida!
        Nâo vou ficar mais discutindo com bactérias como você , até porque você é anencéfalo. Uma Ameba.

        • Agora até o Esmael é mentiroso? Está querendo sugerir que ele está divulgando inverdades…

          Não discuta mesmo, como diria o Joaquim Barbosa: “vá chafurdar no lixo!!”

        • Mais um punhado de besteirol…. tinha que ser o fala m****

        • Respondendo o seu comentário..
          .
          Estou com a prova em mãos, e, realmente esta questão está na prova.
          Infelizmente nesta questão há um erro gravíssimo.
          Com relação ao demais, não julgue a classe do magistério, afirmando que o problema são todos os professores que você está ofendendo uma classe que, como outras, tem seus podres, mas a maioria se sacrifica por dar uma educação de qualidade que, para você, talvez tenha dado errado.
          Quanto a APP não prestar para nada, eu concordo plenamente.
          No mais, sem comentários
          .
          Abraços

        • Infelizmente algumas pessoas parecem ter um desejo reprimido de ofender os outros e aproveitam o anonimato para saciar esse “sadismo”. Não se esqueça que “o que João diz de Pedro tem mais de João do que de Pedro”.

      • Boa Noite Trabalhador.

        Seguinte, vai acontecer neste concurso o que aconteceu no concurso que teve para o município de Curitiba:

        TODO MUNDO VAI REPROVAR NA AVALIAÇÃO DE DIDÁTICA!!!

        Escreva o que estou colocando.

        Esse dinheiro do concurso vai para a eleição do Bonitinho governador.
        A propósito, o governador é garoto propaganda da Faculdade que organizou o concurso. Procure que vcs vão ver que ele já estudou e já fez propaganda para esta universidade. É tudo marmelada.

        Tem que cancelar esse concurso já!!!

    • Vc é paga pau do governo tucano!

      Mas saiba que logo a teta vai secar!

    • Realmente, tem razão trabalhador é vergonhoso ter em folha de pagamento alguém como Fala serio na folha de pagamento…
      Só para corrigir os alunos tem sim o direito de reivindicar por notas e questões nas provas sim querido…
      Portanto é bom ter seu livro de chamada preenchido certo.

  29. Pessoal ta acostumado a fazer provinha em Faculdade particular , faz e refaz até conseguir a média ai começam a chorar pedindo anulação de concurso… Anulem as suas faculdades e não chorem pitanga não. Cancelar questão eu concordo , sim eu fiz a prova .. achei difícil sim , estava bem complicada, estava. Somente assim vamos ter professores bons nas salas de aula não as marmotas que eu tive quando estudei em escolas publicas!

    • Seu comentário é inútil, nãe se generaliza o alunado pelo colégio ou faculdade, temos profissionais e profissionais, médicos excelentes saem de universidades públicas e particulares, professores também, vc é responsável pelo seu estudo, um aluno de particular pode ser excelente, assim como um aluno da pública pode ser um péssimo profissional, conheço casos e casos.

    • Não concordo com seu comentário, não fiz minha graduação em faculdade particular não, sempre tive média 9, e estudei para o ocncurso, porém não passei, não estava díficil para quem não estudou, mas para quem havia preparado-se pode convir comigo estava sim é mau elaborado as minha questões da disciplina de História.

      • Muito mal elaboradas as questões de história, uma vergonha, poderiam ter escolhido melhor os temas, esse concurso é revoltante.

    • Seu comentário é ridículo….. Vc ACHA que faculdades federais preparam melhor alguém???? Vai estudar… Vai ler sobre o sucateamento das faculdades públicas… Bom Profissional independe de onde se estuda…. Pessoas com o pensamento como o seu, são aqueles que entram num cargo público e se ” deitam nas cordas”, não fazem a diferença… Vc deve ter uma preparação tão boa que nem deve ter tido competência para observar as incoerências e erros gravíssimos da prova….

  30. A prova de física foi sofrível. Apesar de nao apresentar problemas com os enunciados, não havia espaço para a resolução dos problemas (cerca de 13…) sendo que a maior parte dos problemas admitia soluções do tamanho de uma página. Fora o tempo escasso para a sua resolução. Impossível fazer esta prova no tempo estipulado.

  31. Se a prova e processo deu margem a tanto questionamentos, é que tudo foi mal organizado e mal feito. Um concurso público, ainda mais na área de educação, tem que ser bem feito, tudo direitinho. Se a prova tem vários problemas, então realmente o processo precisa ser anulado e refeito. Mas já na primeira matéria veiculada, pelo que comentaram aqui da conduta dos fiscais, já deu pra ver que havia desorganização, falta de treinamento de pessoal.

    Agora precisa ver quem fez essa prova, pois se o estado pagou, precisa entrar com pedido de indenização. Um concurso destes não custa barato, tem que refazer prova, deslocar gente, pagar fiscais de volta, pagar pela utilização dos locais da prova. É um caso sério de polícia.