Lula diz que mídia nunca lucrou como na era Lula; ingratidão ou picaretagem?

do Brasil 247

Numa entrevista surpreendente, que será publicada em livro no dia 13 de maio, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fala sobre vários temas, incluindo sua relação com os meios de comunicação. "Eu não tenho raiva deles e não guardo mágoas. O que eu guardo é o seguinte: eles nunca ganharam tanto dinheiro na vida como ganharam no meu governo. Nem as emissoras de televisão, que estavam quase todas quebradas; os jornais, quase todos quebrados quando assumi o governo", afirma. Lula diz ainda que, em 2005, no auge da crise do chamado mensalão, tomou uma decisão: a de ignorar os jornais e as revistas.

Numa entrevista surpreendente, que será publicada em livro no dia 13 de maio, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fala sobre vários temas, incluindo sua relação com os meios de comunicação. “Eu não tenho raiva deles e não guardo mágoas. O que eu guardo é o seguinte: eles nunca ganharam tanto dinheiro na vida como ganharam no meu governo. Nem as emissoras de televisão, que estavam quase todas quebradas; os jornais, quase todos quebrados quando assumi o governo”, afirma. Lula diz ainda que, em 2005, no auge da crise do chamado mensalão, tomou uma decisão: a de ignorar os jornais e as revistas.

Luiz Inácio Lula da Silva é hoje o inimigo número 1 de grandes grupos de mídia nacionais, especialmente Abril e Globo, mas há, nisso, um paradoxo. Foi no governo do presidente operário que essas empresas conseguiram sair do buraco e resolver suas dívidas cambiais !“ heranças malditas do governo FHC.

Lula, no entanto, nunca recebeu sinais de gratidão por ter, inclusive, se engajado pessoalmente no resgate dos grupos de mídia. Essa relação tensa, entre o político e os meios de comunicação, é um dos temas da longa entrevista que ele concedeu ao sociólogo Emir Sader e que ser á lançada no livro “Governos Pós-Liberais no Brasil: Lula e Dilma”, no dia 13 de maio.

Confira, abaixo, alguns dos principais trechos da entrevista de Lula:

Qual o balanço que o senhor faz dos anos de governo do PT e aliados?

Esses anos, se não foram os melhores, fazem parte do melhor período que este País viveu em muitos e muitos anos. Se formos analisar as carências que ainda existem, as necessidades vitais de um povo na maioria das vezes esquecido pelos governantes, vamos perceber que ainda falta muito a fazer para garantir a esse povo a total conquista da cidadania. Mas, se analisarmos o que foi feito, vamos perceber que outros países não conseguiram, em trinta anos, fazer o que nos conseguimos fazer em dez anos. Quebramos tabus e conceitos preestabelecidos por alguns economistas, por alguns sociólogos, por alguns historiadores. Algumas verdades foram por água abaixo. Primeiro, provamos que era plenamente possível crescer distribuindo renda, que não era preciso esperar crescer para distribuir. Segundo, provamos que era possível aumentar salário sem inflação. Nos últimos 10 anos, os trabalhadores organizados tiveram aumento real: […] o salário mínimo aumentou quase 74% e a inflação esteve controlada. Terceiro, durante essa década aumentamos o nosso comercio exterior e o nosso mercado interno sem que isso resultasse em conflito. Diziam antes que não era possível crescer concomitantemente mercado externo e mercado interno. Esses foram alguns tabus que nós quebramos. E, ao mesmo tempo, fizemos uma coisa que eu considero extremamente importante: provamos que pouco dinheiro na mão de muitos é distribuição de renda e que muito dinheiro na mão de poucos é concentração de renda.

(…)

Quando começou o governo, o senhor devia ter uma ideia do que ele seria. O que mudou daquela ideia inicial, o que se realizou e o que não se realizou, e por quê?

Tínhamos um programa e parecia que ele não estava andando. Eu lembro que o ministro Luiz Furlan, cada vez que tinha audiência, dizia: “Já estamos no governo há tantos dias, faltam só tantos dias para acabar e nós precisamos definir o que nós queremos que tenha acontecido no final do mandato. Qual é a fotografia que nós queremos”. E eu falava: “Furlan, a fotografia está sendo tirada”. Não é possível ficar com pressa de obter resultados. Nós temos que provar, no final de um mandato, se nós fomos capazes de fazer aquilo que nos propusemos a fazer. Se a gente for trabalhar em função das manchetes dos jornais, a gente parece que faz tudo e termina não fazendo nada.

Então é o seguinte: eu plantei um pé de jabuticaba. Se esse pé nascer saudável, vai ter sempre alguém dizendo: “Mas, Lula, não está dando jabuticaba, está demorando”. Se for cortar o pé e plantar outra coisa, eu nunca vou ter jabuticaba. Então, eu tenho que acreditar que, se eu adubar corretamente, aquele pé vai dar jabuticaba de qualidade. E eu citava esses exemplos no governo… Soja tem que esperar 120 dias, o feijão tem que esperar 90 dias. Não adianta ficar repisando, “faz uma semana que eu plantei e não nasceu”. Tem que ter paciência. Eu acho que eu fui o presidente que mais pronunciei a palavra “paciência”, “paciência”… Senão você fica louco.

Tem gente na política que levanta de manhã, lê o jornal e quer dar resposta ao jornal. E daí não faz outra coisa. Eu não fui eleito para ficar o tempo todo dando resposta a jornal. Eu fui eleito para governar um país. E isso me deu tranquilidade suficiente para ver que o programa de governo ia ser cumprido.

(…)

Quando o senhor perdeu a paciência?

Obviamente que nós tivemos problemas no começo. Você acha que é simples um metalúrgico sentar naquela cadeira na qual sentaram tantas outras personalidades, que via pela televisão, que achava que era mais importante do que eu… E o mesmo em relação a dormir no quarto em que dormiu tanta gente importante ou que, pelo menos a voz da opinião publica, são importantes. E eu ficava pensando: “Será que é verdade que eu estou aqui?”.

No começo tinha muita ansiedade. “Sera que nós vamos dar conta de fazer isso? Será que vai ser possível?”, eu me perguntava. Eu acho que nós fizemos. Com erro e com muita tensão, mas fizemos.

(…)

Tivemos tropeços, é lógico. Muitos tropeços. O ano de 2005 foi muito complicado. Quando saiu a denúncia, foi uma situação muito delicada. Se não tivéssemos cuidado, não iríamos discutir mais nada do futuro, só aquilo que a imprensa queria que a gente discutisse. Um dia, eu cheguei em casa e disse: “Marisa, a partir de hoje, se a gente quiser governar este país, a gente não vai ver televisão, a gente não vai ver revista, a gente não vai ler jornal”. Eu passei a ter meia hora de conversa por dia com a assessoria de imprensa, para ver qual era o noticiário […], mas eu não aceitava levantar de manhã, ligar a televisão e já ficar contaminado. Então eu acho que isso foi um dado muito importante.

Eu tinha uma equipe e criamos uma sala de situação, da qual participavam Dilma, Ciro [Gomes], Gilberto [Carvalho] e Márcio [Thomaz Bastos]. E era muito engraçado: eu chegava ao Palácio e eles estavam todos nervosos. E eu estava tranquilo e falava: “Vocês estão vendo? Vocês leem jornal… Vocês estão nervosos por quê?”.

(…)

Vocês nasceram radicais…

O PT era muito rígido, e foi essa rigidez que lhe permitiu chegar aonde chegou. Só que, quando um partido cresce muito, entra gente de todas as espécies. Ou seja, quando você define que vai criar um partido democrático e de massa, pode entrar no partido um cordeiro e pode entrar uma onça, mas o partido chega ao poder.

Então, a nossa chegada ao poder foi vista por eles não como uma alternância de poder benéfica à  democracia, não como uma coisa normal: houve uma disputa, ganhou quem ganhou, leva quem ganhou, governa quem ganhou e fim de papo. Não é isso? Eles não viram assim. Quer dizer, eu era um indesejado que cheguei lá. Sabe aquele cara que é convidado para uma festa, e o anfitrião nem tinha convidado direito. Fala assim: “Se você quiser, passa lá”. E você passa e o cara fala: “Esse cara acreditou?”. Então, nós passamos na festa, e o que é mais grave, acertamos.

E depois, tentaram usar o episódio do mensalão para acabar com o PT e, obviamente, acabar com o meu governo. Na época, tinha gente que dizia: “O PT morreu, o PT acabou”. Passaram-se seis anos e quem acabou foram eles. O DEM nem sei se existe mais. O PSDB está tentando ressuscitar o jovem Fernando Henrique Cardoso porque não criou lideranças, não promoveu lideranças. Isso deve aumentar a bronca que eles têm da gente – que, aliás, não é recíproca.

O senhor não tem raiva da oposição?

Eu não tenho raiva deles e não guardo mágoas. O que eu guardo é o seguinte: eles nunca ganharam tanto dinheiro na vida como ganharam no meu governo. Nem as emissoras de televisão, que estavam quase todas quebradas; os jornais, quase todos quebrados quando assumi o governo. As empresas e os bancos também nunca ganharam tanto, mas os trabalhadores também ganharam. Agora, obviamente que eu tenho clareza que o trabalhador só pode ganhar se a empresa for bem. Eu não conheço, na história da humanidade, um momento em que a empresa vai mal e que os trabalhadores conseguem conquistar alguma coisa a não ser o desemprego.

(…)

O Brasil mudou nesses dez anos. E o senhor, também mudou?

Uma das coisas boas da velhice é você tirar proveito do que a vida te ensina, em vez de ficar lamentando que está velho. A vida me ensinou muito. Criar um partido nas condições que nos criamos foi muito difícil. Agora que o partido é grande, tudo fica fácil, mas eu viajava esse país para fazer assembleia com três pessoas, com quatro pessoas, com cinco pessoas. Saia daqui de São Paulo para o Acre pra fazer reunião com dez pessoas, para convencer o Chico Mendes a entrar no PT, para convencer o João Maia – aquele que recebeu dinheiro para votar na eleição do Fernando Henrique Cardoso e era advogado da Contag – para entrar no PT. Era muito difícil fazer caravana, viajar ao Nordeste, pegar ônibus, ficar uma semana andando, fazendo comício ao meio-dia, com um sol desgraçado, explicando o que era o PT para que as pessoas quisessem se filiar.

Por quê?

A eleição está ficando uma coisa muito complicada pro Brasil. No mundo inteiro. No Brasil, se o PT não reagir a isso, poucos partidos estarão dispostos a reagir. Então o PT precisa reagir e tentar colocar em discussão a reforma política. Eu tentei, quando presidente, falar de uma Constituinte exclusiva, que é o caminho: eleger pessoas que só vão fazer a reforma política, que vão lá [para o Congresso], mudam o jogo e depois vão embora. E daí se convocam eleições para o Congresso. O que não dá é pra continuar assim.

à€s vezes tenho a impressão que partido político é um negócio, quando, na verdade, deveria ser um item extremamente importante para a sociedade. A sociedade tem que acreditar no partido, tem que participar dos partidos.

O PT não mudou necessariamente para melhor?

O PT mudou porque aprendeu a convivência democrática da diversidade; mas, em muitos momentos, o PT cometeu os mesmos desvios que criticava como coisas totalmente equivocadas nos outros partidos políticos. E esse é o jogo eleitoral que está colocado: se o político não tiver dinheiro, não pode ser candidato, não tem como se eleger. Se não tiver dinheiro para pagar a televisão, ele não faz uma campanha.

Enquanto você é pequeno, ninguém questiona isso. Você começa a ser questionado quando vira alternativa de poder. Então, o PT precisa saber disso. O PT, quanto mais forte ele for, mais sério ele tem que ser. Eu não quero ter nenhum preconceito contra ninguém, mas eu acho que o PT precisa voltar a acreditar em valores que a gente acreditava e que foram banalizados por conta da disputa eleitoral. à‰ o tipo de legado que a gente tem que deixar para nossos filhos, nossos netos. E provar que é possível fazer política com seriedade. Você pode fazer o jogo político, pode fazer aliança política, pode fazer coalizão política, mas não precisa estabelecer uma relação promíscua para fazer política. O PT precisa voltar urgentemente a ter isso como uma tarefa dele e como exercício pratico da democracia. Não tem de voltar a ser sectário como era no começo.

Eu lembro que companheiros meus perderam seu emprego numa metalúrgica, montaram um bar, mas quiseram entrar no sindicato e não puderam. “Você não pode entrar porque é patrão”, diziam. O coitado do cara tinha só um bar! A coitada da minha sogra, a mãe do marido da Marisa, a mãe do primeiro marido da Marisa (eu sou o único cara que tive três sogras na vida e uma que não era minha sogra; era sogra da minha mulher, por conta do ex-marido dela, que eu adotei como sogra), a coitada tinha um fusquinha 1966 que era herança do marido. E ela ganhava acho que 600 – naquele tempo era como se fosse um salário mínimo de hoje – de aposentadoria, mas gostava de andar bem-vestida. Ela chegava a reunião do PT e o pessoal falava: “Já veio a burguesa do Lula”.

Tinha um candidato a vereador que queria dinheiro para a campanha e eu falei: “Olha, eu não vou pedir dinheiro para a campanha. Se você quiser, eu te apresento algumas pessoas”. Dai ele disse: “Não, mas eu não quero conversar com empresário”. Falei: “Então você quer que um favelado de dinheiro para a tua campanha?”. Eu já fiz campanha de cofrinho. Eu já fiz campanha de macacão em palanque. Na campanha de 1982, a gente ia ao palanque, antes que eu falasse, fazia propaganda das camisas, dosbótons, de tudo que a gente vendia. E a gente vendia na hora e arrecadava o dinheiro para pagar as despesas daquele comício.

38 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. É a pura verdade, a Globo estava quebrada depois do governo FHC. No início de 2002 o império Globo devia cerca de US$ 3.583.000.000,00 – na época com o dolar valendo R$ 2,40 – dava algo em torno de R$ 8.599.200.000,00. Muita grana. Claro que dependendo da fonte, dá diferença de valor, mas a situação era ruim de verdade, rolou até moratória. Que quiser mais informações é só clicar nos lincks:
    http://www.fazendomedia.com/globo40/romero6.htm
    http://www.parana-online.com.br/editoria/pais/news/29550/

    E algo de bom aconteceu com eles na era LULA, pois se ainda estão de pé, é que as coisas foram bem…

  2. E o canalha ainda tem cara de pau em assumir que comprou descaradamente a imprensa nacional? Esses caras do mensalão são mesmo uma surpresa atrás da outra. kkkkkkkkkkkkk

    • Olho Morto,
      ou você é um completo alienado ou como comissionado do desgoverno está sendo remunerado para postar comentários descontextualizados da realidade.
      O Partido dos Trabalhadores nunca foi favorecido pela Grande Mídia, muito pelo contrário, foi implacavelmente perseguido.
      Nunca é demais relembrar:
      Os veículos de comunicação fizeram um verdadeiro terrorismo em 2002, diziam que a estabilidade do Plano Real, a democracia, os princípios cristãos e a República Federativa brasileira corriam risco com a possibilidade da vitória do metalúrgico comunista e ignorante: Luiz Inácio Lula da Silva, mas a força da DEMOCRACIA e a VONTADE POPULAR foi mais forte, LULA foi eleito para o seu primeiro mandato.,
      em 2006, as forças conservadoras do mal continuaram mostrando suas garras, com uma enxurrada de denúncias transmitidas inúmeras vezes: pela manhã, tarde e noite (MENSALÃO/MENSALÃO/MENSALÃO/”¦), novamente o DESEJO POPULAR venceu, LULA foi reeleito!
      Em 2010, os vampiros continuaram seu velho discurso de ódio e sede de sangue (ERENICE GUERRA/MENSALÃO/JOSÉ DIRCEU/ANTONIO PALOCCI/”¦), dezenas, centenas, milhares de vezes ““ dia e noite, entretanto, o BEM prevaleceu novamente através do desejo popular : Dilma Rousseff!!!!!!
      Se FHC não conseguiu um sucessor, LULA CONSEGUIU!!!!!!!
      Em 2012, a mesma ladainha diabólica, porém, LULA TRIUNFOU NOVAMENTE!!!
      Fernando Haddad por influência e determinação do metalúrgico que mudou o Brasil foi eleito prefeito da mais significativa capital do Brasil!
      Não tenho dúvida, em 2014, apesar da perseguição dos barões que monopolizam a Grande Imprensa, Lula e Dilma pela força da DEMOCRACIA conquistarão mais uma vitória, para o desespero dos Demotucanos que já estão se acostumando a perder.

    • Olho Vivo,
      Não foi apenas a Imprensa (Mídia) que lucrou no governo Lula, os pobres, a classe média, os ricos, enfim, toda população brasileira. Diferentemente do governo tucano que, com medidas recessivas desgraçou pobres e ricos, inclusive a Grande Imprensa, o governo petista proporcionou a todos a possibilidade de ganhar dinheiro. Lula está com a razão: é ingratidão ou picaretagem!

    • Temos que relembrar ao Catarata (Olho Revesguiado) do Betinho que em 2002 a turma do Serra contratou a Regina Duarte pra fazer terrorismo sobre o PT, lembram o que ela disse? “Gente eu tenho medo do PT”, kkkkkkkk, é pra acabar. Pra um cara como Serra que ferrou o nosso estado no ICMS da energia elétrica e ainda tem gente que vota neles.

  3. A dois anos estava em Montes Claros a trabalho e gozando da hospitalidade do povo das portas do vale do jequitinhonha pincelei algumas das prosas que tive com o povão de lá.
    O apelido do Aécio por ali é Aecio pózinho e alguem que fale mal do Lula por ali,não será espancado ,mas convidado a não cuspir asneiras.
    Lula mudou para melhor toda região,abandonada pelo governo mineiro e federal.
    Montes Claros com mais de 400 mil habitantes,virou um oasis do vale do jequitinhonha.
    Na eleição para presidente a Dilma fez 9 por 1 na região .Dizer o que?
    Este foi e esta sendo um governo para os pobres,onde já não o são mais.
    Já perto dali na Bahia,em vitoria da conquista deu Serra.
    Assim penso eu,nas cidades onde ainda tem a aristocracia dos coroneis,e como em Londrina que tem uma aristocracia pé vermelha metida a milionaria,elegem essas tralhas politicas.
    Só para clarear a memória,Richa teve 75% dos votos em Londrina e até agora só deu banana pra cidade.

  4. Eis a questão: Ingratidão ou Picaretagem?
    Governo Federal…Brasília…gastos em 2012 mais R$ 1,1 Bilhões e, de 2000 até 2012 mais de R$ 10,7 Bilhões…, em propaganda e publicidade, apenas, em emissoras de televisão…
    http://www.viomundo.com.br/politica/pimenta-cobra-secom-diz-que-faz-midia-tecnica-globo-recebeu-r-59-bi-do-governo-federal-desde-2000.html

  5. muita grana pros marinhos ,pros martinez ,pro homem do baú ,pro pastor etc etc se essa grana fosse pros hospitais de clínicas do brasil inteiro seria muito melhor .

  6. Nunca se viu tanta grana para mídia na história desse país….principalmente dinheiro público, o meu e o seu imposto. Na casa do bilhão anual.

    • E o Beto quanto gasta com a mídia? Nisso vocês não falam ne? Acabou a mídia, o governo do Beto vira pó.

      • Paulo Honesto!!!! Porque a mania de se defenderem sempre acusando o outro. Não é mais “BUNITINHO ” cada um assumir seus pecados.

      • Eu quero que o Beto se exploda. Eu estou falando da grana altíssima que o governo federal gasta ( mais de 1 bilhão de reais por ano). Eu imagino quantos hospitais e casas daria para fazer com esse dinheiro.

        • Não Fróide, você no fundo quer que o Beto seja reeleito. Aliás, Fróide, Olho Vivo, Fala Sério – tudo a mesma pessoa, kkkkkkkkk, não enganam ninguém no blog. Assim como o Beto não engana mais os paranaenses.

          • Acho que vc Paulo Ernesto ou cheirou cola ou a cueca do Lulla/Collor/Maluf/Sarney/Barbalh/Renan (já que eles não se desgrudam nunca)

      • E o que tem uma coisa a ver com a outra? Na matéria estão falando do cara de pau do Lula que comprou descaradamente a imprensa durante todo seu governo, ou seria cassado feito Collor no seu primeiro deslize, e olha que Lula teve centenas deles durante seu governo.

        • Mas eu faço questão de mostrar que o PSDB nunca prestou pra governar, seja na presidencia da republica ou onde for. PSDB só maquia os números, os quadros que compõe o PSDB não sabem administrar.

          • Engano seu Catarata, foram políticas públicas implantadas no governo Lula que deram incentivo bem maior comparado ao governo FHC pra que no Brasil aumentasse mestres e doutores, vamos se ligar na parada.

          • Fróide, Olho Vivo, Allexia, Fala Sério – tudo a mesma pilantragem, kkkkkkkkk. Acho que ficou nervosa foi a menina veneno do Betinho aí, kkkkkkkkkk. A mesma que adora cheirar os cuecas de seda, kkkkkkkkkk.

        • Quem cheira cola e pó é a turminha do PSDB do drogadito Aécio Neves e do defensor da maconha FHC. Coitado, fala dos outros, mas o seu rabo e dos seus aliados partidários ta o triplo de sujeira, kkkkkkkkk. Fróide, vc sim que cheira cueca, adora cheirar cueca de seda, pois trabalha pro time do Beto.

          • Ficou nervosinha Santa?

          • Eita menina mais raivosinha, essa PTzada do RedePT13 é mesmo muito tonga pra escrever, sempre escrevem a mesma coisa, já chega ficar chato ver essa repetição, mas continuem cambada, o jogo de vocês é este e nada que alguém neutro escreva aqui vai mudar alguma coisa, não é mesmo?

            Eu não trabalho pro time do Beto como a PTzada faz questão de frisar, quando alguém assume não ser PTista, ou não amar as safadezas do partido. Já fui filiado a este partido corrupto e podre, mas sai fora logo que começaram a fazer putaria com dinheiro público e hoje apenas tento mostrar ao povo paranaense o que este partido representa para a sociedade. O PT é apenas mais um dos tantos partidinhos políticos do Brasil, que se rendeu ao dinheiro das empreiteiras, banqueiros e grandes industriários. O PT esqueceu completamente a razão de ser e existir, esqueceu até mesmo seus princípios morais e éticos (se é que algum dia teve).

            O Beto não é o governador que eu sonho ver no Paraná, mas pelo menos não é aliado a esta corja de safados que mentem descaradamente para o povo e acham que todo mundo está acreditando. Graças ao bom Deus nosso Estado não foi e nem será governado por um partido tão corrupto quanto este.

            CHORA PTZADA DO CARAMBA, TERÃO QUE AGUENTAR MAIS UMA GESTÃO DO BETO RICHA! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  7. E o LULA ainda acha “bunitinho” ter enchido o rabo da mídia de grana.

  8. Antigamente a gente dizia que quem beija pé de burro, leva coice!!!

  9. No governo Lula teve um aumento significativo entre mestres e doutores, isso mostra que nem sempre ter um presidente letrado faz a diferença na educação de um país, mais precisamente na página 18, tem os numeros de mestres e doutores, os numeros foram:
    http://www.advivo.com.br/sites/default/files/documentos/mestres2012_22_04_2013.pdf

    numero de mestres numero de doutores
    1996 10389 2830
    1997 11703 3472
    1998 12540 3797
    1999 15044 4713
    2000 17886 5197
    2001 18977 5753
    2002 22765 6567
    total 109304 32329

    numero de mestres numero de doutores
    2003 25405 7690
    2004 26866 8080
    2005 30778 8982
    2006 32410 9364
    2007 33071 9913
    2008 36189 10705
    2009 38800 11367
    2010 39590 11314
    total 263109 77415
    Fonte: Capes

    Governo Lula emplacou 153.805 mestres a mais que o governo FHC e 45.806 doutores a mais, pois a uma grande diferença comparando entre os 2 governos.

    • Ele não “emplacou” ninguém meu caro, foram as pessoas que estudaram para chegar onde chegaram e Lula não fez nada mais que sua obrigação como gestor público no seu governo, ou será que trabalhar para o povo é alguma grande virtude quando se foi eleito?

      Essa PTzada fala de coisas boas para encobrir as safadezas do governo do PT. Se liga mané, não é porque você distribui 10% do que rouba que pode roubar. ok?

      • Foram as pessoas que estudaram, com apoio dado pelo governo, nesse caso, o do PT. Não é fácil bancar mestrado e doutorado do p´roprio bolso, pois fora o custo direto, a pessoa ainda precisa sutentar a si e a muita vezes a sua família, precisa parar de trabalhar e se dedicar aos estudos, precisa então de grana, de bolsa de estudo, etc.
        Se os números de mestres e doutores foi maior no governo Lula em relação ao FHC, foi porque houve maior apoio. Contra o óbvio, qualquer contestação é pura ignorância.

    • Muito boa a comparação. Sem contar o destrave para a criação de campus das universidades. Olhem só a UTFPR, quantos campi foram criados depois do governo PT. Matamos um leão. Demos acesso aos estudos. Agora é preciso a qualificação de professores e mais atenção ao ensino fundamental. Mas que o um grande passo foi dado foi.

  10. Felizmente, a população não aceita mais a opinião da imprensa como uma verdade absoluta, aos poucos estamos questionando as matérias, os comentários e as notícias divulgados pelos veículos de comunicação.
    Todo cidadão consciente sabe que a Velha Mídia é monopolizada pela elite conservadora que não aceita mudanças, muito menos políticas sociais voltadas para os mais pobres. A imprensa possui interesses econômicos, ideológicos, políticos, sociais e culturais. Portanto, não procede as suas atividades de forma parcial, informações são omitidas e fatos distorcidos, por razões que não tem haver com o interesse público e sim com a manutenção das estruturas econômicas e de poder.
    Regulamentação da Mídia não é censura, todos temos que respeitar a Lei, inclusive a imprensa, as calúnias, as difamações, as distorções e os relacionamentos promíscuos, como o da Revista Veja com o ex- senador Demóstenes e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, são exemplos do que não deve ser permitido.
    Outra questão que tem que ser discutida, é a DEMOCRATIZAÇÃO dos meios de comunicação, não é correto a oligarquia da imprensa, um número reduzido de famílias controlando os grandes impérios da comunicação no Brasil. É inconcebível um nº pequeno de barões da mídia monopolizando a informação em nosso país, fazendo uma verdadeira lavagem cerebral na cabeça dos menos avisados, dos ignorantes, dos alienados, dos analfabetos funcionais.
    Nosso país precisa radicalizar nesse campo, proporcionando “a cada tribo”, a cada partido político, a cada instituição, a cada cidadão a possibilidade de transmitir a sua mensagem. Como dizia o ex- governador Leonel Brizola: “a população precisa dizer Não, um Não rotundo que está contido no peito”, sufocando a diversidade de opinião tão saudável à DEMOCRACIA ““ chega de monopólios e golpismos advindos da falta de democracia na imprensa brasileira!

    • Gabrielle, e os BLOGUEIROS que são pagos com a nossa grana??? Fazemos o que com eles????

      • Tem comissionados também que são pagos pra xeretarem os adversários em páginas da internet.

        • O Cidadão ! Com certeza não é comigo néh??? não sou comissionada e não estou procurado emprego. (Não preciso).

          • Silvania,
            Estou duvidando que vc não faz parte do gigantesco rebanho comissionado do desgoverno Beto Richa, seria muita ingenuidade postar tantos comentários neste blog defendendo o indefensável, bajulando o “imbajulável”.
            Tem que ser uma completa alienada para defender o desgoverno de Beto Richa, distorcendo claramente a realidade. A atual gestão estadual não tem planejamento, políticas de longo prazo, tudo é feito no improviso, “a toque de caixa”. Nada funciona: educação, segurança, saúde, infraestrutura, entre outros, serviços básicos.
            Os maiores investimentos deste desgoverno são realizados na publicidade e na acomodação dos incontáveis comissionados.
            Na propaganda milionária tudo funciona como um relógio suíço, é o MUNDO do faz de conta, da fantasia, contrastando radicalmente com a realidade, uma verdadeira fortuna é utilizada para promover o governo, os recursos públicos são utilizados na autopromoção de Beto Richa ““ $$$ escoando pelo ralo da incompetência.
            Como muitos já postaram: o pior governador que o Paraná já teve em toda a sua História, sem condição nenhuma de governar o nosso estado. Entretanto, os deputados da situação e os incontáveis comissionados que estão perdidos em alguma repartição, sem função nenhuma, ou seja, a grande maioria não faz absolutamente nada, ficam postando bobagens e bajulando o desgovernador.
            Silvania,
            sabe qual é o problema dos comissionados postarem em redes sociais?
            puxam o saco do governo de forma asquerosa!
            Silvania,
            sabe qual é o problema dos alienados?
            não sabem que são alienados!

          • Silvania você não precisa de emprego? É burguesona, filha de pai rico?
            Seu pai é político ou comissionado de alto escalão do governo?

      • O PT paga centenas de blogs e sites esplalhados pelo Brasil para se manterem sempre na boca do povo, pois esse desgoverno é uma piada de mau gosto e precisa muito desses vendilhões para fazer seu trabalho “sujo”. kkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Será que o desgoverno não é do PSDB do seu patrão??

          • E o PSDB não? Fale um pouco sobre o blogueiro que além de blogueiro tem um revista onde boa parte da receita publicitária é de anúncios desse governo…

    • Parabéns. Concordo contigo em gênero, número e grau, com um adendo: nesta área tanto o Lula, quanto Dilma, e seus antecessores falharam feio, amarelaram, como aliás Lula está confessando na matéria acima, dizendo que a mídia nunca faturou tanto como em seu governo. Sinceramente, eu acho que isso só vai mudar com a RPL, ou seja, A Revolução Pacífica do Leão. Vamos Refletir, e agir para fazer e ver tudo mudar de verdade.

      • Parabéns, “gabrielle”, Mudanças Já, Banda K2 .

        ” Vamos refletir, pra revolucionar.
        Mostrar que o amanhã não é distante pra ver tudo mudar

        Não falo isso da boca pra fora
        Não falo isso por intuição
        Mas eu preciso te passar essa mensagem
        Porque uma voz está gritando no meu coração
        Abolindo todo preconceito
        Nos libertaremos dessa escravidão
        E, nem que leve mais de um milênio,
        Vou mostrar que preto e branco também são irmãos

        Vamos refletir, pra revolucionar.
        Mostrar que o amanhã não é distante pra ver tudo mudar

        Não falo isso da boca pra fora
        Não falo isso por intuição
        Que tal você dar uma volta no seu bairro
        Mas se for rico é só ligar sua televisão
        Vai se ligar na tal da violência
        Que por enquanto é uma parada sem solução
        Vai ver que tudo é pura demência
        O governo é para elite e não para o povão

        Vamos refletir, pra revolucionar.
        Mostrar que o amanhã não é distante pra ver tudo mudar (2x)

        Não falo isso da boca pra fora
        Não falo isso por intuição
        Nada nesse país mudou até agora
        Eu acho que só vai mudar com a Revolução
        Essa vontade de mudar o mundo
        Vai ter que começar pelo meu coração
        Se cada um tivesse essa consciência
        O Brasil seria para todo cidadão .”