Gleisi anuncia decreto que garante desconto de 20% na conta de luz; ouça o áudio

Gleisi Hoffmann.

Gleisi Hoffmann.

Coube à  ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, nesta quarta-feira (29), o anúncio do decreto que garante o desconto médio de 20% nas contas de energia dos consumidores.

Segundo Gleisi, o governo teve de editar decreto antecipando o pagamento de R$ 2,8 bilhões à s companhias elétricas porque o Senado não votou a Medida Provisória (MP) 605, que trata do assunto.

O governo federal foi obrigado a fazer, de uma só vez, os pagamentos à s companhias elétricas que estavam previstos para o resto do ano. O dinheiro vem da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e representa a compensação que as empresas recebem por aceitar tarifas menores de energia e, em troca, terem as concessões renovadas por cerca de 20 anos.

Com informações da Agência Brasil, ouça a reportagem é de Leandro de Souza:

50 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Gente a questão não é PT e nem PSDB, o fato é que estão fazendo o povo de palhaço. Os assessores das duas legendas estão trabalhando pela velha política, esquecendo que a grana grossa não vai para eles, pois são apenas funcionariozinhos de R$ 2 ou 3 mil reais. Quero ver se esta turma vai dizer que foi Deus que quis assim, quando seus filhos morrerem na mão de bandidos ou se viciarem em crack. Governador e presidente tem que gerenciar bem o estado e o país, apenas isso. Política não é futebol, pois se o seu time perde, você não perde nada, mas quando um boçal é eleito, todos nós pagamos o preço, pois nossos governos são sócios meieiros do nosso dinheiro. Acorda cambada. Aproveito a oportunidade para dizer que apenas duas ou três pessoas entenderam o meu comentário. Que triste! O que esperar de um pais de Gérsons, onde todos querem levar vantagens e apenas os poderoso se dão bem?

  2. Vixi: Esse Paulo Ernesto endoidou de vez. Nem em jornal papel alguém lê textos tão compridos.
    De saber dos problemas, dos erros acontecidos nos governos antes do Lula, todo mundo tá careca de saber.
    Mas querer justificar as cagadas petistas com as dos antecessores é de pelar o saco, pois o PT chegou ao governo prometendo mudar tudo.
    Mudou sim, prá bem pior. Incompetente e Corrupto assim nunca na história do Brasil!

    • Se você fosse meu aluno, e eu logicamente teu professor (não sou) te daria nota 10.
      Você é uma pessoa que tem visão e não se deixa levar por paixões. Aliás, polítíca não é paixão, é muita razão.
      Parabéns, Peter.

  3. enquanto defende o beto e outros defedem a gleisy o requião corre por fora.

    • Eu defendo até um POSTE mijado por vira-latas, a BETO RIXA!!
      HAHAHAHAHAHAHAH, POSTE mijado por viralatas 1000 x BETO 00000!!

  4. Abram os olhos : a república socialista do proletáriado esta sendo implantada no Brasil. Analisem a conjuntura e concluam.

  5. De onde o governo tirou esses R$ 2,8 bilhões que serão pagos às operadoras mesmo? Do bolso do Lulla ou do caixa do PT? Claro que não né, imagine. É dinheiro público, tirado do povão de outra forma. Politicagem barata….

    • Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) é destinada à promoção do desenvolvimento energético dos estados, a projetos de universalização dos serviços de energia elétrica, ao programa de subvenção aos consumidores de baixa renda e à expansão da malha de gás natural para o atendimento dos estados que ainda não possuem rede canalizada. Criada em 26 de abril de 2002 pela Lei nº 10.438, a CDE é gerida pela Eletrobras, cumprindo programação determinada pelo Ministério de Minas e Energia.

      Os recursos desse fundo setorial também são utilizados para garantir a competitividade da energia produzida a partir de fontes alternativas (eólica, pequenas centrais hidrelétricas e biomassa) e do carvão mineral nacional. Atualmente, cinco usinas termelétricas movidas a carvão mineral estão incluídas na CDE: Charqueadas e Jorge Lacerda, da Tractebel, São Jerônimo e Presidente Médici, da Eletrobras CGTEE, e Figueira, da Copel.

  6. De todos os comentários, o de Jorge Ventura, é o único de quem tem consciência.
    O que o PT fez foi um grande acordo com as empresas de energia elétrica. Elas estavam cobrando a mais dos consumidores e teriam que devolver, segundo o próprio Tribunal de Contas da União. Este roubo estava ocorrendo desde 2001, se não me engano, e cada brasileiro poderia reaver por volta de 2 mil reais se entrasse com ação na Justiça. Mais ou menos o que ocorreu com o Compulsório dos Combustíveis. Só que neste caso não foi um conpulsório, mas uma apropriação.
    Então o governo traidor do PT (partidos dos traidores) acertou com as empresas um ‘acordo’, enganou a população e se saiu de bonzinho.
    Como consolo as empresas ganharam prorrogação dos seus contratos (nada mal…) e mais algumas benesses. Mas logo elas recuperam o desconto, afinal, isso é ‘brasilis du mensalonis’.

    • Nobre e digno Jacu do Mato parabéns pelo comentários e pelas seguintes lembranças:
      “Este roubo estava ocorrendo desde 2001, se não me engano, e cada brasileiro poderia reaver por volta de 2 mil reais se entrasse com ação na Justiça. Mais ou menos o que ocorreu com o Compulsório dos Combustíveis.”
      Resumindo: Fica claro que o PSDB “Partido Sem Discurso no Brasil” via era FHC, deixou de fazer alguma coisa ligada a estas questões que em muito como agora iria melhorar a vida da população pobre e humilde! Se foram encaminhadas ou foram tomadas algumas providências em relação ás mesmas foi no governo do PT!
      São ás melhores?
      Não!
      Sabem por que?
      Porque, vivemos num estado de direito democrático que contém na sua essência também a chamada democracia capitalista! É isso!
      É aquele velho ditado, ou seja, “é melhor um mal acordo do que o continuo prejuízo!”

  7. a luz da gleisi acende e a do beto se apaga

  8. Esse é o PT exposto na Camara de Deputados, Um partido que vota a favor de Criminosos (Traficantes), e ainda coloca pra discursar a favor de Bandidos, UM Bandido chamado Genuino,Veja o Video.

    https://docs.google.com/file/d/0B70oX40AwZjrbGFUWURHUnhRaEk/edit

  9. Falavam que o FHC governava por Decretos e PT Governa por MP`s, não há diferença.

    • Aproveite o feriado e arrume umas meninas, deixe esse ódio de lado. Saia de casa e vá fazer um sexo. Se não gostar de meninas, arrume uns meninos..
      Pare de perturbar os outros.

      • Eu to Calmíssimo, o PT começa a desesperar, esse é o começo do FIM do PT…. Leia
        O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumentou nesta quarta-feira a taxa básica de juros (Selic) em 0,50 ponto percentual, para 8% ao ano. A votação foi unânime. A elevação segue o movimento iniciado na reunião de abril, quando a taxa subiu pela primeira vez desde julho de 2011. Até o fim do ano, segundo expectativas do mercado, a taxa básica de juros deve chegar a 8,25%.

        • Fala Sério, olhe como o teu ex-presidente FHC quebrou o Brasil 3 vezes:
          http://www.youtube.com/watch?v=t_W4kkhJndI

          E outra, que moral tem um tucaninho bocó e comissionado que ganha sem trabalhar pra falar de qualquer governo, sendo que o governo dele e que ele votou (FHC) elevou os juros em quase 62% no dia 01/06/1995, isso sim é quebrar o Brasil:
          “Marina Silva, tal qual Aécio Neves, são dois desmemoriados ou agem de má fé. Tanto um como outro citam que FHC teve como marca de seu governo a queda na inflação. Pois é, na era FHC a inflação caiu, ficando sempre em torno de 9%. Bem mais alta que na era Lula/Dilma, em torno de 5,6%. Mas no governo de FHC a inflação caiu às custas de desemprego recorde, baixos salários, baixo salário mínimo. À custa da falta de crédito: as pessoas não tinham dinheiro para o básico, para comprar comida. A miséria reinava no Brasil. Levantamento do IBGE 2002 mostra o Brasil com 54 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha pobreza. Os juros na era FHC eram estratosféricos, chegando ao patamar de 61,34% a.a. em 01/06/1995. Um absurdo. Hoje a taxa SELIC é de 7,5% a.a. A queda vertiginosa da taxa de juros teve início no governo Lula e se perpetuou no governo Dilma. Uma coisa é certa: no governo FHC, bancos, agiotas, financeiras ganharam muito dinheiro fácil com os juros alto. Marina Silva e Aécio Neves se esquecem do FMI que, ao emprestar dinheiro para o governo de FHC, mandava e demandava na nossa economia. O Brasil ficou travado, não havia investimentos em nada: Educação, Saúde, Infraestrutura, Moradias ou na erradicação da miséria. As privatizações escusas causaram mais desemprego, dinheiro sendo levado para fora do país, propinas e enriquecimentos de poucos. O povo, ora o povo, ele que se lascasse, como de fato ocorreu. FHC foi um dos piores presidentes que o Brasil já teve, foi um longo pesadelo. E ainda comprou parlamentares para sua reeleição. Marina Silva anda pelo Brasil rastejando como cobra, querendo assinaturas para criar mais um partido, e Aécio Neves criou site na internet para elogiar a desgraça do governo FHC e falar que vai fazer igual. E ainda conta com ajuda de economistas da era FHC, que afundaram o país três vezes, dos donos dos jornalões, do PIG, que pregam o desemprego, e juros altos para controlar a inflação. Vade retro, Marina Silva e Aécio Neves!”
          http://blogdadilma.com/politica/3113-vade-retro.html
          TUCANO NENHUM TEM MORAL PRA FALAR EM ALTA NAS TAXA DOS JUROS

          • Fala Sério, teu ex-presidente FHC assumiu o mandato dia 01/01/1995 e no dia 02/01/1995 a taxa de juros foi de 47,37%, pasmém, pouco mais de 3 meses, FHC elevou os juros para 85,58% isso no dia 24/04/1995, brincadeira um negócio desses hein? E no seu último dia de mandato que foi em 31/12/2002, deixou o país com 24,90%. Quem quiser consultar, segue o link:
            http://www.bcb.gov.br/?SELICDIA

          • hahahahahahahahahahahahahahahahahah, ta certinho, PAULO ERNESTO!! na epoca do FHC/JAIME LERDO/ CASSIO TANIBUCHO,o povo BRASILIRO quase morreu de fume!!!Ñ tinha empregos, e os juros nas alturas, o povo ñ tinha dinheiro nem para compra o básico arroz com feijao, o povo sobrevivia comendo polenta pura…Banheiros em suas casas ñ tinhao,kkkkk alias,nem casa os BRASILEIROS tinham,muito menos diguinidade… Agora o povo tem de tudo, e principalmente diguinidade!!
            Mas depois q meteu os dois pes nos trazeiroS moles dessa tucanadas do DEMO!!HAHAHAHAHAHAHAHAH, esse fala serio de araq rixa ai, ñ le oq escreve, É UM TUCANO DO DEMO ROXO DE VIADO!!!Nem esquente acabeça, com essa figura comossionada dos tucanos do DEMO!!

        • Vamos lembrar que a taxa de juros em dezembro de 2002, o último mês de FHC e do PSDB no governo chegou à 23,25%…Pra você ver quanto trabalhou o PT…

        • Que afirmação mais idiota e grotesca Fala Sério, será o fim do PT com juros de 8,25%?? E o que dizer do teu ex-presidente FHC que exatamente no dia 24/04/1995 elevou a Selic para 85,58%, consulte você mesmo:
          http://www.bcb.gov.br/?SELICDIA
          Foi assim com quase 86% de juros que FHC conseguiu quebrar o Brasil 3 vezes, aqui tem café no bule rapaz, tucano não tem moral alguma pra apontar o dedo na cara de qualquer um que seja.

    • FHC jamais pensaria no povo, assim como ensinou ao Jaime Lerner que senão fosse o povo, ele teria a Copel em 2001 a preço de banana, tucano nenhum traz um benefício desses para os mais pobres, porque eles odeiam pobres, detestam pobres.

      • Foi por isso que o FHC criou o o “Bolsa Escola”, o “Auxílio Gás”, o Bolsa Alimentação e o Cartão Alimentação, que depois o Lula unificou gerando o Bolsa-Familia. Ta respondido!!!!

        • O que adianta criar um programa e não dar estrutura, condição para um bom funcionamento?? Quem tem não tem competência não se estabelece, mas e porque o PSDB com o Bolsa Família não conseguiu tirar tanta gente da pobreza como o PT conseguiu? PSDB não é um partido voltado para o social, é um partido mesquinho de elite voltado pro capital especulativo apenas.

        • Mas não é você que vive falando mal dos programas do governo? Vive dizendo que o governo dá o bolsa esmola…Então foi o FHC que inventou o programa que você denomina bolsa esmola?

          • TOMA

            29 Mai (Reuters) ““ O Brasil perdeu espaço no cenário competitivo internacional, de acordo com o Índice de Competitividade Mundial 2013, divulgado nesta quinta-feira pelo International Institute for Management Development (IMD).

            O país passou para a 51ª posição, cinco abaixo do 46º lugar ocupado no ranking do ano passado. O ranking tem 60 países.

            “Estávamos esperando o Brasil numa posição bem melhor”, disse o diretor do IMD World Competitiveness Center, Stephane Garelli. Na sua visão, o grande problema do país é “muito consumo e pouca produção”.

            “O Brasil precisa ter um senso de direção e um bom plano de investimento e persegui-lo”, adicionou Garelli.

          • Fala Sério, você precisa conhecer melhor como funciona nosso país..
            Realmente o Brasil perdeu competitividade mesmo. Um dos principais motivos é a desastrosa política fiscal dos estados, entre eles o Paraná, é protecionismo demais em uns, excesso de burocracia, barreira fiscal aprendendo mercadoria de forma ilegal, tudo isso somado aos gargalos logísticos”¦.Muita bobagem sendo feita, é o tal do protocolo 21, Substituição tributária em excesso, índices MVA exagerados, cobranças indevidas. Cada estado no Brasil quer ser um Feudo, cada governador um SENHOR FEUDAL, não conversamos mais a mesma língua, talvez o Brasil esteja acabando.
            Como ser competitivo, se a produção fica parada nas fábricas esperando o recolhimento de guias de impostos? O imposto de Circulação de Mercadorias hoje está sendo cobrado antes da mercadoria circular, os estados colocaram seus fiscais nas portas das fábricas”¦

        • TOMA vc, fala serio de araq rixa!!!

          http://www.youtube.com/watch?v=t_W4kkhJndI

          Este vídeo mostra como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, conseguiu quebrar o Brasil três vezes durante os oito anos em que governou o país. Tal fato não é novidade para os mais bem informados, ou seja, aqueles que não têm como única fonte de informação a velha mídia, esta oligarquia retrógrada, entreguista, sempre conivente com o neoliberalismo tucano e que foi peça fundamental para a eleição e reeleição de um presidente fraco. A novidade aqui é que os fracassos e as quebradeiras são narrados pelo próprio protagonista: FHC. Aconteceu na conferência dos governos progressistas em Florença, Itália, em novembro de 1999.

          Com o Brasil falido e prostrado mais uma vez ante o FMI, FHC propôs na tal conferência uma ação conjunta que viesse a controlar o fluxo de capitais, estes que seu próprio governo não fazia o mínimo esforço em controlar. Ao reclamar dos fracassos do seu governo, FHC culpou as crises internacionais, como a do México (1995), Ásia (1997) e Rússia (1998). Em cada crise, adotava uma só receita: corte de gastos; repressão da demanda interna; diminuição da taxa de crescimento; aumento de juros etc. Por fim, FHC, como a passar recibo na sua própria incapacidade administrativa, lança no ar uma pergunta: “até quando? E se vier uma outra crise lá na Conchinchina?”.

          Bill Clinton, então, tomou a palavra. Visivelmente irritado, o então presidente dos EUA, de maneira indireta, passou uma descompostura em FHC. Falou dos exemplos positivos de países que gastam de maneira responsável o dinheiro público; citou países emergentes que não sofreram com as crises até porque controlaram o fluxo de capitais e mantinham um sistema financeiro honesto. Segundo Clinton, o que falta “para alguns países” é uma política nacional. O problema, disse ainda, é a falta de criatividade em alguns países emergentes onde os governantes são muito fracos. Enfim, citou a miséria no Brasil e a total falta de perspectiva das crianças pobres do país.

          FHC, aos olhos da comunidade internacional, acabou sendo considerado como mais um governante tecnocrata sem a mínima visão nacional; sem vontade política para sanar as desigualdades sociais. FHC nomeou Geraldo Brindeiro como Procurador Geral da República, que engavetou quase todos os processos contra seu governo — tendo com isto recebido o apelido de Engavetador Geral da República.
          E não foram poucos os casos graves de corrupção; escândalos que fizeram evaporar bilhões de Reais dos cofres públicos — como o caso dos precatórios, a acusação de compra da reeleição, os títulos da dívida externa e as malfadadas privatizações, estas devidamente esmiuçadas no best-seller ‘A Privataria Tucana’, do jornalista Amaury Ribeiro Jr. Sem contar as manipulações do câmbio; a agiotagem internacional com a cumplicidade de agentes do governo — que potencializou a dívida externa e fez poucos ganharem fortunas em detrimento dos pobres brasileiros. Ou seja: na medida em que o Brasil naufragava, políticos, economistas e tubarões financeiros ditavam as regras da economia fazendo um jogo duplo dentro do governo e também na mídia aliada, onde os “especialistas” avalizavam as tendências, fazendo do mercado um jogo com cartas marcadas.

          Na medida em que acontecia a queima do patrimônio público brasileiro, o país se via cada vez mais atolado em dívidas. Além do abandono da saúde e da educação, faltaram investimentos em todos os setores até que, em 2001, com 7 anos de FHC, o Brasil chegou à pior crise energética da sua história, o “apagão”, conseqüência da total falta de planejamento que, no fim das contas, acabou sendo coerente com a pífia “Era FHC”. O ministro do planejamento na época era José Serra.

          No governo Lula, que em 2008 atravessou a pior crise do capitalismo desde a depressão de 1929, foram tomadas medidas totalmente opostas àquelas adotadas por FHC nas crises. Os tucanos então, com respaldo da mídia, passaram a atacar as medidas adotadas pelo governo Lula e recitavam as mesmas receitas fracassadas de uma década atrás como “as únicas medidas possíveis”. Mas a receita do PT foi responsável pelo fato de o Brasil ser o primeiro país a sair da crise. E de quebra, o país ainda emprestou US$ 10 bilhões ao FMI.

          Com a chegada de Lula ao poder, mudou-se completamente a maneira de enxergar o Brasil. Cumprindo as promessas de campanha, Lula implantou todo um leque de ações: distribuição de renda; créditos através dos bancos oficiais; novas escolas técnicas e universidades; favorecimento às empresas nacionais; desenvolvimento do nordeste etc. Além disso, a política externa do Brasil libertou-se da subserviência dos EUA. Organismos dos quais o Brasil faz parte — G-20, BRICS, Mercosul etc ganharam novo fôlego. Enfim, o Brasil, finalmente deu certo.

          Standard YouTube Licence

    • Hahahahahahahahahahahahahahah, O FHC governava???Governava oq?? Onde ? E quando??KKKKKKKKKK QUEM GOVERNAVA O BRASIL, ERA O FMI CARA!!O FHC nada mais era, doq um serviçao do CACHOEIRA e sua trup…Os defuntos ROBERTO CIVITA[ R. VEJA}, O RUI MESQUITA[ESTADAO].
      Se o FHC, ficasse mais um minuto no poder, o BRASIL, ñ seria mais BRASIL… Talvez seria BRASIX??!!KKKKKK, vide a PETROBRAS!!?? Q O FHC/CACHOEIRA/ROBERTO CIVITA/RUI MSQUITA, queriao mudar para PETROBRAX… O FHC nunca governou merda nenhuma, ficou oito anos só fazendo cacaca!!!!

  10. O pessoal das energéticas estão esperneando. A Eletrobrás está em contenção de despesas, a Chesf tá mandando os já aposentados para casa. O problemas é que muita companhia acaba sendo cabidão de emprego, aí quando cai a receita é um Deus nos acuda…Mas viva nós o povo, até que enfim lembraram da gente…

  11. Nossa, como ela é boazinha!
    Cadê os bilhões que as empresas de energia cobraram a mais dos consumidores por anos e o TCU mandou devolver?
    Este governo é muito bom de marketing, mas péssimo em gerenciamento.

  12. GLEISI PARA GOVERNADORA DO PARANÁ EM 2014!
    POR GOSTAR DE GENTE, A SENADORA GLEISI HOFFMANN ANUNCIA DECRETO QUE DÁ DESCONTO DE 20% NA CONTA DE LUZ!

    O que mais deixa unida a população brasileira é o interesse econômico baseado no Welfare State ““ Estado-previdência. Os países capitalistas centrais tentaram ““ e conseguiram ““ bolar um sistema na lógica keynesiana de redistribuição, que é a lógica da social-democracia. O projeto keyenesiano é um estado, dentro do capitalismo, minimamente protetor. Isso mantem as coisas a contento. Em 2014 não podemos deixar esse projeto popular ser aos poucos substituído pelo maldito e desgraçado projeto neoliberal. O projeto neoliberal do PSDB e de BEto Richa prega e vai pregar, afinal de contas, outra lógica, que é a do “salve-se quem puder”, a lógica do Estado mínimo. Não compete ao Estado ficar pensando muito em educação, saúde, segurança, mas compete ao indivíduo. Esse projeto neoliberal diz o seguinte: você é o principal responsável por você próprio. Esse negócio de sociedade é um “lero”. O neoliberalismo vai, pouco a pouco, minando o Estado protetor, vai tornando esse Estado cada vez menor, menos interventor, menos positivo. E o mercado vai fazendo a vez do Estado.

    • Esmael e demais não sei vocês mas sou simpático a escola de pensamento Keynesiana ou Keynesianismo que é a teoria do economista inglês John Maynard Keynes em seu livro “Teoria geral do emprego, do juro e da moeda” e que consiste numa organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controle da economia, com objetivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram uma enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. A escola keynesiana se fundamenta no princípio de que o ciclo econômico não é auto-regulado como pensam os neoclássicos, uma vez que é determinado pelo “espírito animal” dos empresários. É por esse motivo, e pela incapacidade do sistema capitalista neoliberal de conseguir empregar todos os que querem trabalhar, que Keynes defende a intervenção do Estado na economia. A teoria atribuiu ao Estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais (Bolsa Família e outras ajudas ao povo pobre) que garantam à população um padrão mínimo de vida como a criação do salário mínimo, do seguro-desemprego, da redução da jornada de trabalho (que então superava 12 horas diárias) e a assistência médica gratuita. O Keynesianismo ficou conhecido também como “Estado de bem-estar social”, Então podemos dizer: CHUPA PSDB!

  13. SOU DE UNIAO DA VITORIA E ELEITOR DOENTE DO EX PREFEITO HUSSEIN BAKRI.
    ONDE ELE PEDIR PARA VOTAR EU VOTO.
    SE PRECISO ATE NA GLEISE.

  14. CHUPA BANDO P.N.C

  15. Relembrando também o pronuciamento do Requiao no senado:
    https://www.youtube.com/watch?v=OspW3rJ3sWk

    Também relembrando que o Serra prejudicou o Paraná:
    https://www.youtube.com/watch?v=jQTF-xZaAk8

    Tucanalhas sempre contra o Brasil.

  16. mais uma contra o Betinho… eita barquinha que afunda a cada dia…

    • Leia essa é o FIM do PT, a máscara começa a cair.

      Com manobra no Senado, Dilma afaga bancos em lei que prejudica devedor.

      http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2013/05/29/com-manobra-no-senado-dilma-afaga-bancos-em-lei-que-prejudica-devedor/

      • Mas ela não quebrou o Brasil 3 vezes como fez o teu ex-presidente FHC e que teu patrão está seguindo a mesma cartilha de conseguir quebrar o Paraná.
        “Nem mesmo o aumento na arrecadação muito superior à inflação e ao PIB impediu que o governo do Paraná fechasse no vermelho as contas dos primeiros quatro meses de 2013 ““ com um rombo de cerca de R$ 100 milhões. No primeiro quadrimestre deste ano, o Executivo esta­­dual arrecadou R$ 10,3 bilhões ““ um incremento de 13,8% em relação ao mesmo período de 2012 (o ano passado fechou com inflação de 6,49% e crescimento do PIB nacional de cerca de 1%). Ainda assim, as despesas gerais do governo subiram bem acima do acréscimo de receitas e totalizaram R$ 10,4 bilhões de janeiro a abril. Um valor 20,6% maior do que no primeiro quadrimestre do ano passado. Os dados foram divulgados ontem pelo governo estadual. Um dos gastos que mais cresceu foi com a folha de pagamento do funcionalismo. Nos primeiros quatro meses de 2012, as despesas com servidores consumiram R$ 4,4 bilhões. No mesmo período deste ano, subiram para R$ 5,4 bilhões ““ aumento de 22,7%. Isso levou o governo Beto Richa (PSDB) a atingir um novo recorde de comprometimento das receitas com pagamento de pessoal, de 47,68%. É o maior nível nos últimos dez anos.

        Limites ultrapassados

        O gasto de 47,68% das receitas com pessoal ultrapassa o limite prudencial previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Por isso, o governo está impedido de fazer novas contratações ““ uma das restrições impostas pela lei. “Nós não estamos nomeando mais ninguém, as promoções não estão mais sendo aceitas, novas admissões não estão sendo feitas”, admitiu o secretário estadual da Casa Civil, Reinhold Stephanes.

        Além disso, a folha de pagamento se aproxima do limite máximo previsto na LRF, de 49% ““ teto que, se ultrapassado, acarreta punições severas ao estado (veja box no alto desta página). “Estamos controlando tudo para não atingir os 49%. Estamos apertando o cinto em todas as secretarias”, disse o secretário estadual da Fazenda, Luiz Carlos Hauly. “Todos os projetos de novas contratações estão parados.” Hauly, no entanto, foi voz vencida na decisão do governador de dar reajuste de 6,49% para o funcionalismo em parcela única.

        Apesar das restrições para novas contratações, Hauly explicou que as despesas com pessoal aumentaram por causa dos novos servidores que ingressaram no quadro do estado, além de acréscimos nas despesas com aposentadorias. “Foram contratados funcionários para a saúde, educação e segurança [durante a atual gestão]. Tivemos ainda um aumento de 40% nos gastos com aposentadoria.”

        Culpa federal

        Hauly ainda atribuiu ao governo federal a culpa pelas dificuldades financeiras do estado. “Houve um esvaziamento das transferências federais, o que representou um déficit de R$ 767 milhões no nosso caixa.” Os repasses da União não têm crescido no ritmo projetado pelos governos estaduais por causa das desonerações fiscais promovidas pelo Planalto para estimular o consumo e a economia. Por lei, parte dos impostos federais é automaticamente repassado para os estados.

        Colaborou Igor Iuan, especial para a Gazeta do Povo

        Richa pede ajuda para reduzir gastos com universidades

        Euclides Lucas Garcia

        Em reunião com a bancada federal do Paraná ontem em Curitiba, o governador Beto Richa (PSDB) pediu ajuda dos deputados para encontrar uma saída em relação aos gastos para manter as universidades estaduais. No entendimento do Executivo paranaense, essa deveria ser uma despesa custeada pela União, que detém a responsabilidade sobre o ensino superior no país.

        Segundo o governo, do atual índice de 47,68% de gasto com a folha, 10,5% se referem ao pagamento de pessoal das universidades estaduais. Por isso, a intenção é que os parlamentares federais ajudem a convencer a União a arcar com parte dessas despesas ou a permitir que esses gastos não sejam computados na folha de pagamento. Dessa forma, o estado ganharia um fôlego em relação aos limites legais estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
        “O Paraná tem uma situação atípica. É o único estado que sustenta sete universidades. Em Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, [o ensino superior público] é 100% federal”, reclamou o secretário da Casa Civil, Reinhold Stephanes. Empréstimos

        Outro pedido aos deputados foi em relação aos empréstimos solicitados em Brasília pelo governo estadual. Na reunião de ontem, o Executivo afirmou que o estado tinha cerca de 40 pendências no Cadastro Único de Convênios (Cauc) e no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados no Setor Público Federal (Cadin).

        Governos com esses problemas ficam em situação comparável à de um cidadão com “nome sujo” no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Eles ficam impedidos de firmar novos convênios com a União, normalmente utilizados para investimentos como a construção de estradas e escolas, ou de tomar empréstimos.

        Segundo o governo, porém, só resta uma pendência a ser solucionada, em relação a uma estrutura já extinta da Secretaria de Transportes. A expectativa é que a questão seja resolvida até o fim desta semana. Com isso, o Paraná poderia acessar US$ 350 milhões do Banco Mundial (Bird) e R$ 817 milhões do Banco do Brasil, que serão utilizados em saúde, educação, na modernização da malha viária, no programa Paraná Seguro e no apoio aos municípios paranaenses. O prazo considerado ideal pelo Executivo para obter os recursos é 30 de junho.

        Vice-presidente da Câmara e secretário nacional de Comunicação do PT, André Vargas se comprometeu a procurar o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, assim que o Paraná solucionar todas as suas pendências no Cauc e no Cadin para liberar os empréstimos para o governo do estado.
        O petista, porém, fez questão de ressaltar que, ao contrário do que afirma o governo estadual há vários meses, a dificuldade na liberação dos empréstimos é administrativa e não política. “Não há perseguição política. O que há são procedimentos de natureza administrativa que precisam ser cumpridos por todos, inclusive pelos governadores do PT.”
        http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?id=1376619&tit=Receita-do-PR-aumenta-13-Mas-gasto-sobe-20-e-rombo-chega-a-R-100-mi

        Como que você explica se o governo do seu patrão aumenta a receita em 13% e a despesa vai pra 20%?? Incompetência? Má gestão do dinheiro público? Seu secretariado é incompentente e fraco? Mais de 4.000 comissionados, é gente vazando pela janela, alguns comissionados ganham sem trabalhar e são pagos pra trollar, como é o seu caso. E outra coisa, até o Jaime Lerner (pai político do Beto) mesmo com toda a ruindade e fraqueza que era pra governar, nem ele deixou um rombo como o seu patrão está deixando e ainda o seu patrão por incompetência quer se desfazer das nossas universidades estaduais, quer que o gov. federal assuma elas. Ora, mas então o seu patrão que elabore uma carta de renúncia, já que ele não tem condição alguma de governar.

    • Acho engraçado que na hora de comentar o C.U. do Governo do Estado, os cuequinhas de seda não apareceram aqui no blog.