Femotiba vai à  Justiça contra projeto “Privatiza Tudo” de Beto Richa

Mesael Caetano, conhecido como advogado dos pobres, disse que vai à  Justiça contra o projeto "Privatiza Tudo" de Beto Richa; secretária municipal do Trabalho e vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, do PT, defende maior protagonismo dos movimentos sociais.

Mesael Caetano, conhecido como advogado dos pobres, disse que vai à  Justiça contra o projeto “Privatiza Tudo” de Beto Richa; secretária municipal do Trabalho e vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, do PT, defende maior protagonismo dos movimentos sociais.

O advogado Mesael Caetano, conhecido na Boca Maldita, em Curitiba, como o “advogado dos pobres”, anunciou nesta quarta-feira (8) que a Federação das Associações de Moradores de Curitiba (Femotiba) vai ingressar com uma ação popular na Justiça contra o projeto “Tudo Aqui”, que privatiza 171 serviços públicos essenciais do Paraná.

O advogado do povo diz que o “Privatiza Tudo” do governador Beto Richa (PSDB) está com os dias contados. Ele sabe o que está dizendo, pois foi ele quem segurou o ímpeto de vingança pessoal do conselheiro do Tribunal de Contas, Ivan Bonilha, o Censurinha, contra o líder comunitário Anatólio Novaes da Silva, conhecido como Natinho, da Vila Araguaia (clique aqui para relembrar).

A Femotiba, fundada e presidida pelo advogado Edson Feltrin, até a sua morte, se reestruturou e promete muitas lutas. Rejeitada pelo time do prefeito Gustavo Fruet (PDT), os dirigentes da entidade estão costeando o alambrado da vice-prefeita Mirian Gonçalves (PT). Ela, inclusive, participou ontem (7) da audiência pública na Assembleia Legislativa sobre a privatização bilionária (R$ 3 bilhões) de Beto Richa.

A Femotiba foi a principal algoz do ex-prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), e do ex-presidente da Câmara Municipal da capital, João Cláudio Derosso. O primeiro não foi reeleito. O segundo teve o mandato cassado pela Justiça.

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Esmael precisamos que você nos ajuda, a combater com estas brigas que vem acontecendo com os alunos(a)… nas saídas das escolas, ontém 11/06 para piorar ainda mais, tivemos uma briga entre meninas no horário do recreio, dentro do pátio da escola, sabemos que a escola não é lugar de educar filhos, mas lá dentro eles tem que manter a disciplina, o que estou querendo dizer, é que precisamos brigar por mais segurança nas escolas, temos político criando lei para não usar celular nas escolas, sendo que isto os professores já fazem, se pegar alunos usando eles tomam de deixam na secretária, só entraga para os pais, nós precisamos de políticos que façam um projeto de lei, que todas as escolas sejam obrigado, a colocar camara para poder monitorar esses alunos, com isso pudemos acabar com essas bagunças, nos ajuda a resolver esta situação, porque você sabe que em todas as eleições, aparecem aqueles candidatos dizendo, que vai trabalhar forte na area da segurança, mas é só para ganhar o voto. Colégio CAIC CANDIDO PORTINARI que estou referindo fica na CIC precisamos muito de segurança pois temos em torno de 2400 alunos. Abraço

  2. o problema é estrogildo,eu me esqueci do nome .aquele que tirou o esmael do ar,uma vez, a pedido do governador!parece que em 2011 .alguem poderia relembrar com mais precisão? essa barreira é dificil de atravessar….eu tambem sou contra a privatização do governo ,privatizando o governo não precisa trabalhar .pode governar de do dubai ou de outros edeficios como famosa la da india….

  3. Parabeêns pela iniciativa estamos juntos nesta luta.

  4. Esmael e demais se DEUS quiser é um dos começos do fim para Beto Richa o “Playboy Neoliberal”, considerado o um dos piores assoladores de administração pública que já apareceram na política em solo brasileiro, fazendo muito bem o seu papel de representante da extrema direita conservador neoliberal “vampira” que suga até a medula óssea de qualquer estado!
    Resumindo: É o terror personificado sendo uma mistura de “vampiro” (que suga financeiramente o estado) com “Walking Dead” (é um morto vivo em decomposição na política paranaense).

  5. Esmael e demais o filósofo e escritor norte americano John Rawls que foi professor de Filosofia Política na Universidade de Harvard nos Estados Unidos assim define a desobediência civil, ou seja, “é um ato público, não violento, decidido em consciência mas de natureza política, contrário à lei e usualmente praticado com o objectivo de provocar uma mudança nas leis ou na política seguida pelo governo. Ao agir desta forma, apelamos ao sentido de justiça da maioria da comunidade e declaramos que, na nossa opinião ponderada, os princípios da cooperação social entre homens livres e iguais não estão a ser respeitados. A desobediência civil está situada nas fronteiras da fidelidade ao direito, o que a distingue de outras formas de dissidência, tais como a ação militante, as ações de obstrução ou a resistência organizada que recorre à força as vezes até armada.”
    John Rawls explica que são muitas ás circunstâncias nas quais a desobediência civil é justificada. Mas aponta três condições básicas para isso:
    1 ““ As situações de injustiça substancial e clara e, de preferência, aquelas situações injustas que obstam à remoção de outras injustiças, todas as quais violam os dois princípios de justiça (o da igualdade e o da igualdade equitativa de oportunidades;
    2 ““ As situações em que a maioria se mostra indiferente às pretensões de uma minoria; e
    3 ““ As situações de desigualdade de direitos das minorias, em que a uma é reconhecido um estatuto e a outra negado.

    • Esmael e demais segundo John Rawls toda e qualquer lei deve estar ligada a concepção do estado de direito na sua função protetiva dos direitos individuais relacionados com os princípios de justiça especialmente com a liberdade onde à questão do dever e da obrigação naturais dos indivíduos para obedecer, só deve existir no contexto do estado democrático-constitucional. Sendo que o bom sistema jurídico que é o coração pulsante do estado de direito tem sua íntima conexão com os preceitos que definem a justiça como algo que ocorre com regularidade. Um sistema jurídico é uma ordem coercitiva de normas públicas destinadas a pessoas racionais, com o propósito de regular sua conduta e prover a estrutura da cooperação social. Quando essas regras são justas, elas estabelecem uma base para expectativas legítimas, as quais possibilitam que as pessoas confiem umas nas outras e reclamem quando não vêem suas expectativas satisfeitas, de modo que, se a base dessas reivindicações forem incertas, os limites da liberdade também o serão. Neste sentido fica identificado algumas características do bom e sincero estado de direito, a saber:
      1) As ações exigidas ou proibidas pelo estado de direito devem ser do tipo que seria razoável que as pessoas possam fazer ou evitar. Um sistema de regras dirigido para as pessoas racionais para organizar sua conduta se preocupa com o que elas podem, ou não, fazer;
      2) A idéia de que o dever implica poder transmite a noção de que aqueles que estabelecem as leis e dão ordens fazem-no de boa fé;
      3) A exigência de que um sistema jurídico reconheça a impossibilidade do cumprimento da lei como argumento de defesa;
      4) Exigência de que casos semelhantes devem receber tratamento semelhante;
      5) A pressuposição de que não há ofensa sem lei; e,
      6) E reconhecimento dos princípios da justiça natural, os quais definem a noção de justiça natural Que devem assegurar que a ordem jurídica seja imparcial e regularmente mantida!

  6. O negócio é evitar que esse negócio da tucanada saia, pois depois que for batido o martelo, pra desfazer esse negócio será muito complicado, com certeza as multas caso o próximo governo queira romper esse contrato, serão altíssimas, bilionárias, algo parecido com o pedágio.

  7. Bem ate que enfim esta aparecendo alguém com aquilo roxo, porque esses deputados tem tudo aquilo rosa.

  8. O Adv. Misael Caetano deveria entrar na justiça para ver onde vai parar o dinheiro arrecadado como pedágio, pois a ZELOSA ALEP, tem barrado qualquer iniciativa nesse sentido, também o I P V A ” ou seja IMPOSTO PARA POLÍTICOS VIAJAR DE AVIÃO” é um crime hediondo, apos a doação das nossas rodovias pelo Lerner para os Tucanos, já deveria ser extinto, acho que a Gleisi se eleita, não terá força para enfrentar essa mafia. PORTANTO REQUIÃO, que já se livrou de algumas más companhia é a solução. o povo não suporta mais esse choque de gestão no NOSSO R……….

  9. Até que enfim as entidades do nosso estado acordaram, antes tarde do que nunca.