Femotiba vai à  Justiça contra projeto “Privatiza Tudo” de Beto Richa

Mesael Caetano, conhecido como advogado dos pobres, disse que vai à  Justiça contra o projeto "Privatiza Tudo" de Beto Richa; secretária municipal do Trabalho e vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, do PT, defende maior protagonismo dos movimentos sociais.

Mesael Caetano, conhecido como advogado dos pobres, disse que vai à  Justiça contra o projeto “Privatiza Tudo” de Beto Richa; secretária municipal do Trabalho e vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, do PT, defende maior protagonismo dos movimentos sociais.

O advogado Mesael Caetano, conhecido na Boca Maldita, em Curitiba, como o “advogado dos pobres”, anunciou nesta quarta-feira (8) que a Federação das Associações de Moradores de Curitiba (Femotiba) vai ingressar com uma ação popular na Justiça contra o projeto “Tudo Aqui”, que privatiza 171 serviços públicos essenciais do Paraná.

O advogado do povo diz que o “Privatiza Tudo” do governador Beto Richa (PSDB) está com os dias contados. Ele sabe o que está dizendo, pois foi ele quem segurou o ímpeto de vingança pessoal do conselheiro do Tribunal de Contas, Ivan Bonilha, o Censurinha, contra o líder comunitário Anatólio Novaes da Silva, conhecido como Natinho, da Vila Araguaia (clique aqui para relembrar).

A Femotiba, fundada e presidida pelo advogado Edson Feltrin, até a sua morte, se reestruturou e promete muitas lutas. Rejeitada pelo time do prefeito Gustavo Fruet (PDT), os dirigentes da entidade estão costeando o alambrado da vice-prefeita Mirian Gonçalves (PT). Ela, inclusive, participou ontem (7) da audiência pública na Assembleia Legislativa sobre a privatização bilionária (R$ 3 bilhões) de Beto Richa.

A Femotiba foi a principal algoz do ex-prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), e do ex-presidente da Câmara Municipal da capital, João Cláudio Derosso. O primeiro não foi reeleito. O segundo teve o mandato cassado pela Justiça.

Comentários encerrados.