Deputado Zeca Dirceu defende a importação de médicos cubanos

Zeca Dirceu, em artigo, defende a importação de médicos cubanos pelo Brasil e diz que há "preconceito" e "corporativismo" nesse debate, pois, segundo ele, faltam quase 170 mil profissionais.

Zeca Dirceu, em artigo, defende a importação de médicos cubanos pelo Brasil e diz que há “preconceito” e “corporativismo” nesse debate, pois, segundo ele, faltam quase 170 mil profissionais.

O deputado federal Zeca Dirceu, filho do ex-ministro José Dirceu, resolveu meter o bedelho na polêmica sobre a importação, pelo Brasil, de 6 mil médicos de Cuba. Para o parlamentar do PT paranaense, há preconceito [da mídia e da elite] e corporativismo [dos médicos]. Tem razão ele, pois, coisa de duas semanas atrás, o deputado estadual Ney Leprevost (PSD) distribuiu nota afirmando que estava com medo dos barbudos cubanos. A seguir, leia a íntegra do artigo de Zeca Dirceu:

A falta de médicos, o preconceito e corporativismo

por Zeca Dirceu*

O anúncio feito recentemente pela presidenta Dilma sobre a possível vinda de 6 mil médicos estrangeiros para trabalhar em áreas absolutamente carentes do país foi recebido negativamente pelo Conselho Federal de Medicina. O governo pretende tomar a medida diante de uma dura realidade: O Brasil possui hoje um déficit de 168.424 médicos, e o Ministério da Saúde quer alcançar a meta de 2,7 médicos por mil habitantes, a mesma proporção do Reino Unido que, depois do Brasil, tem o maior sistema público de saúde orientado pela atenção básica do mundo.

Contamos atualmente com 1,8 médicos para cada grupo de mil habitantes, número inferior a países como Argentina (3,2), Espanha e Portugal (4). Um estudo realizado pelo IPEA apontou que 58,1% das pessoas destacam a falta de médicos como principal problema do SUS.

O mercado brasileiro oferece muitas possibilidades, o que faz com que os médicos optem por não trabalhar na atenção básica, e principalmente, queiram permanecer nos grandes centros. Dos 371.788 médicos brasileiros, 260.251 estão nas regiões Sul e Sudeste. Entre os anos de 2009 e 2010, foram criadas 19.361 vagas de primeiro empregos para médicos, sendo que, no mesmo período, foram graduados 13 mil profissionais, o que nos leva a concluir que boa parte dos egressos já tem pelo menos dois empregos formais no primeiro ano de trabalho.

O governo federal está preparando ações de médio e longo prazo para criar e ampliar vagas em cursos de medicina nos vazios de formação, bem como políticas de provimento e fixação de médicos onde existam maiores carências.

A estratégia mais urgente orientada pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, é que o Brasil se baseie em experiências de países como Canadá, Reino Unido e Austrália, que optaram pelo intercâmbio de profissionais estrangeiros como uma alternativa para suprir a necessidade de médicos, principalmente em áreas remotas. Na Inglaterra, 40% dos profissionais foram atraídos de outros países. Os Estados Unidos contam com 25% de médicos estrangeiros, e o Canadá, com 22%. O Brasil estuda parcerias com diversos países, entre eles Portugal e Cuba.

Embora as entidades médicas tenham adotado uma postura defensiva e preconceituosa diante da possibilidade da vinda de médicos de Cuba para atuarem no Brasil, ao ponto de questionarem a qualidade dos profissionais cubanos, é importante que a sociedade brasileira esteja esclarecida a respeito do assunto: Cuba é reconhecida por grandes êxitos na medicina e na biotecnologia e possui 6,7 médicos por mil habitantes.

Segundo a New England Journal of Medicine, o sistema de saúde cubano parece irreal. Há muitos médicos. Todo mundo tem um médico de família. Tudo é gratuito, totalmente gratuito. Apesar do fato de que Cuba dispõe de recursos limitados, seu sistema de saúde resolveu problemas que o nosso [dos EUA] não conseguiu resolver ainda. Cuba dispõe agora do dobro de médicos por habitante do que os EUA!.

Isso se reflete em grandes avanços no desenvolvimento de estudos para tratamentos revolucionários, como vacinas para câncer, hepatite B, cura do mal de Parkinson e da dengue. Hoje, a indústria biotecnológica cubana tem registradas 1.200 patentes e comercializa medicamentos e vacinas em mais de 50 países.

Não é momento para reações corporativistas e preconceituosas. à‰ hora de aumentar o número de médicos e universalizar cada vez o atendimento em saúde da nossa população.

*Zeca Dirceu é deputado Federal pelo PT Paraná.

40 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. E por que antes de bancar a vinda de médicos a nossa presidenta não banca a melhoria dos serviços e condições para que os nossos profissionais trabalhem com o mínimo de qualidade????????? Por que a nossa presidenta não atualiza o valor da tabela do SUS paga para os prestadores de serviços da área de imagem e diagnóstico que jajá vai completar 7 anos sem aumento???? O objetivo do governo é a introdução de socialismo. Vocês acham que os médicos cubanos, chechenos de onde for vão ter preparo de trabalhar um hospital público na capital???? No interior e em zonas distantes nem comento, porque esta condição de trabalho nem existe!!!!!!! Antes de falarem sobre, vão procurar vivenciar a qualidade da nossa saúde!!!

  2. # perdi minha MÃE por causa de uma série de erros médicos.

  3. Vindo do Sr. Zeca Dirceu, filho de Jose Dirceu e apaixonado por Cuba, nao eh de se estranhar esse texto quase ” romantico “. Deveria escrever os textos de loas ao ditador Kim Jong Un, na Coreia do Norte…
    O Sr. Zeca Dirceu, deputado ” eleito” no Brasil deveria respeitar a populacao brasileira e nao espalhar inverdades e falsas estatisticas. E deveria respeitar os medicos legalmente formados no Brasil. A proposta do Ministerio, no funde, embute essa ideia comunistoide de ajudar Cuba. Somente isso. Vieram com a enganacao de trazer medicos de Portugal e Espanha. Mesmo com a situacao dificil daqueles paises, acreditam que um espanhol ira ficar em Sao GAbriel da Cachoeira, por ex. por umas miseras merrecas ou um contrato precario?? Somente cubanos, como semi-escravos oficiais que sao no seu regime, viriam para ca …. Ponto de vista lamentavel.

  4. Essa “fábrica” de médicos, que é Cuba, onde uma turma chega a ter mais de 1000 alunos, investe apenas na quantidade e não na qualidade. Muitos alunos que cursam medicina lá são semi-analfabetos indicados pelo movimento sem terra (dúvida? Pesquise então!) que mesmo que estudassem em HARVARD não seriam bons médicos. Além disso, há grandes indícios que os dados de saúde de Cuba são totalmente maquiados.

    http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/05/30/paraguai-rejeita-medicos-cubanos-formacao-mediocre-impede-exercicio-de-profissao-no-pais/

    https://www.youtube.com/watch?v=UmsVhwObFzE –> FRAUDE DE DADOS CUBA

    https://www.youtube.com/watch?v=KslPYEoUg-A –> Alunos indicados pelo MST

  5. To vendo gente aqui tomando dores de medico. Coitadinhos dos médicos. Médicos atendem por convênio de 20 a 30 consultas por dia. A maioria não chega a 10 minutos. Recebem dos convênios de 35,00 a 60,00. Mais 04 ou 05 por dia como particular (de 250,00 a 500,00). Fora as cirurgias e outros procedimentos onde se cobra uma fortuna.
    Vai bater na porta de um médico ou dentista morrendo de dor. Se for via SUS, sem chance, se for via plano de saúde, a próxima consulta só daqui a 06 meses. Se for particular, conseguem vaga no dia e na hora.
    Lembram há uns 03 anos quando houve um surto de dengue no Rio e o governo convocando voluntários da área de saúde para ajudar, e apareceram milhares. Por outro lado, os médicos estavam sendo remunerado a R$500,00 por dia.
    VIVA A CONCORRENCIA. SAUDE É COISA SÉRIA. HA MUITA GENTE BOA EM CUBA, E COM CERTEZA AS CONSULTAS NAO SERÃO APENAS DE 10 MINUTOS.

  6. Uma pergunta para os que são a favor da “importação” dos médicos cubanos: se esses médicos têm qualidade na formação acadêmica, por que anular o Revalida?

    O CFM e os CRMs não são contra a vinda de médicos estrangeiros para o Brasil, e sim contra a vinda deles nessas condições que o governo está dando.

    Se estes profissionais souberem o básico da medicina, passam no exame sem dificuldades, mas vocês sabem o índice de aprovação desse teste? Não chega a 10% (se não acreditarem, é só pesquisar). O Revalida garante a mínima qualidade da assistência à saúde.

    Eu desafio vocês que são a favor dessa medida, o Deputado Zeca Dirceu e todos os políticos a serem atendidos apenas por esses médicos “importados”.

    Essa é uma medida que não passa de politicagem pra garantir uma vitória na próxima eleição.
    Se quisessem resolver o problema da saúde, iriam investir em melhores condições de trabalho e numa carreira de estado para os médicos, e não culpar os médicos que não querem trabalhar em lugares que não têm maca para examinar, remédios para escrever, e as vezes nem água e luz elétrica. Sim, podem pagar um bom salário para ir para o interior, mas vocês se sujeitariam a trabalhar nessas condições precárias pelo dinheiro?
    Vocês acham que se esses médicos vierem para Brasil, eles vão ficar no interior?

    Culpar os médicos é tão mais fácil do que tentar resolver o problema… Essa é a política do Brasil.

  7. É duro aguentar estes ignorantes de estudo e pobres de espírito e de bolso comentando algo sobre médicos! O PT conseguiu direitinho impor ao povinho a mentalidade de Mao Tse Tung. Estes imbecis que fazem comentários contra burgueses são idênticos aos petrálhas! Se ganhassem as eleições, roubariam, roubariam, roubariam, enriqueceriam ilicitamente e virariam burgueses como os dirceu, os Genoino, os Lula, os Roussef! É sempre a mesma ladainha! Mas estes folgados se estivessem no governo de Fidel e Che Guevara, seriam os primeiros a ir para o paredão, com certeza! Por serem completos ignorantes, burros, chucros!!! Bando de lavados cerebrais!

  8. que qualidade deve ter estes medicos porque para vir 6.000 de uma vez sõ…

    o Brasil, nao aceita os brasileiros que se formam na Bolivia, Uruguai, Argwentina,

    agora Cubano pode. que país é este..

  9. Os médicos brasileiros não querem ir para o interior porque a maioria das prefeituras remuneram mal estes profissionais que encaram uma verdadeira dureza para se formar. Na verdade os prefeitos citados pagam muito mais aos comissionados, aos vereadores, aos apaniguados políticos e aos seus pelegos que muitas vezes não tem nem o primário. Paguem o justo para ver se vai faltar médico.

  10. Doutor se formou médico em universidade pública, deve, por força de lei, ficar dois anos em alguma cidade pequena recebendo o mesmo que médico do quadro do Estado em início de carreira, mais algum benefício para moradia, por exemplo, igual os congressistas – deputado e senador.

    • Não só os médicos, mas deveria ter um programa para todos os estudantes de universidade públicas do país retribuírem o que o povo pagou o estado proporcionou à eles. Não pagar em dinheiro, mas com serviços à essa sociedade que sustenta as instituições com o dinheiro dos impostos. Tem muito burguês que ia abandonar a UFPR e ia correr pra PUC.

  11. Se colocar os nossos estudantes fazendo esse teste para revalidar o diploma dos estrangeiros, será que eles passam?

    Mas deixem que venham, quanto mais médico para nós melhor…O que não pode aconter é barrar por preconceito ou porque acho isso ou aquilo..

  12. Aja testículo para aguentar esses comentários, a burguesada tem que entender que o Governo tem que fazer alguma coisa pela saúde, do jeito que esta não pode ficar, ou melhor a burguesada tem que enfiar a língua no rabo e ficar quietinha, vocês deram muito pitaco na época do FHC, acorda estamos em outra época. A outra questão e que vocês estão cagando e andando para população, não precisa de saúde pública, tem planos de saúde. O esquema é medo! RESERVA DE MERCADO.

    • Gostei do comentário, minha cidadezinha Conceição -PB , vive um clima de terror , sem médicos eles não querem trabalhar aqui, temos q partir para outras cidades e lá nesta cidade mais proxima, esses mecenários não fazem questão pela vida, não zelam o juramento q fizeram deixam as pessoas morrerem sem socorro , pra eles é mto natural v pessoas morrerem sem assistência. Eles atendem com cara feia e aí prescrevem qualquer medicação, dão diagnóstico falso e adeus as pessoas q amamos. Estou revoltada , perdi minha mãe por causa de uma série de erros medicos, desses carniceiros. Médicos cubanos já!!

  13. Sou completamente contra a conratação de Médicos estrangeiro, temos excelentas profissionais aqui e a cada ano novos profissionais dispostos a suprir essa demanda e necessidade. Como sempre fazendo nós Brasileiros engolirmos de guela abaixo jogos de interesses deslavados dessa corja maldita que são a PTzada… Imaginem trazer profissionais de Cuba, pagar mil vezes mais pq, atrá desse convênio virão as falcatruas de sempre. Vamos p ruas p manifestar contra, pode ter certeza. Fora Jè Dirceu e decedência.

  14. Mais uma vez o Zeca acha que o povo é besta. Falando de médicos cubanos como se eles (Petralhas) fossem a salvação da humanidade. Agora querem trazer médicos de Cuba, mas se não fosse o Projeto do Arlindo Chinaglia (PT), aprovado pelo PT para ficar 10 anos sem criar vagas de medicina, não teríamos este problema. Mas para eles tudo bem, o povo pode morrer nas filas dos Postos de Saúde. Agora vão resolver? Por que não criaram vagas em 10 anos? Se tivessem criado, teríamos médicos brasileiros.

  15. Tem que ser a favor mesmo pra consertar a cagada que o PT fez aprovando Lei do Arlindo Chinaglia para ficar 10 anos sem criar vagas de medicina no Brasil. Tudo bem né, as pessoas podem morrer nas filas dos PS, hospitais etc. Se em 10 anos tivessem criado vagas de medicina, teríamos mais médicos brasileiros e não precisaríamos disso. Esse Zeca faz tudo pra aparecer na mídia. Se a Dilma da um pum, ele faz matéria e divulga na imprensa para aparecer como padrinho da idéia. Meus Deus…

  16. Eu acho que o Brasil deveria importar políticos que trabalhem e não sejam corruptos de outros países, porque estamos com falta em todos as esferas de poder: municipal, estadual e federal.

  17. O deputado Zeca Dirceu é filho do maior mensaleiro deste país. Não pode pagar com o dinheiro do povo brasileiro os favores que seu pai deve a Fidel e companhia. José Dirceu já deveria estar na cadeia.

    • Sergio,
      o suposto mensalão petista tem DNA (origem), o VALERIODUTO, que nasceu no governo tucano de Eduardo Azeredo, esquema criminoso que será julgado brevemente pelo STF.
      Tucanalhas, não é bom jogar pedra, quando se tem telhado de vidro, em breve vocês vão entrar na mídia pela porta dos fundos, cuspiram para cima, porém, a Lei do Retorno tarda mais não falha, o cuspo vai cair na testa dos verdadeiros pais da criança (mensalão)!
      Que venham os médicos cubanos, portugueses e espanhóis a população carente espalhada pelos rincões do vasto território brasileiro AGRADECE!!!
      Esse chororó não passa de medo da concorrência, corporativismo e preconceito.

      • chororô

      • Concordo com o Marcelo, mas esse mensalão já vem desde a política do Café co Leite, a verdade é que a elite do DNA do mensalão que perdeu as eleições e o poder, no desespero utilizaram Dep. Jeferson para denunciar todo aquele esquema que é do dando que se recebe praticado naquela casa a muito tempo. Se olharmos para o passado veremos que o ex-ministro não é o verdadeiro vilão da história do mensalão que foi utilizado para aprovar vários projetos que já criaram mais de 10 milhões de postos de trabalho no Brasil.

  18. Que venham os cubanos, porém que provem que estao aptos a cuidar do nosso povo!!!

    Qual o problema em eles fazerem o teste e validar as suas especialidades no CRM???

  19. Não adianta reclamar do filho do bandido, ele é igual, votaram nele, aguentem

  20. Nada contra – depois do REVALIDA, como diz Maria do Rocio.
    E quem garante que eles ficarao nas cidades carentes de medicos? Haver’a tambem melhoras nos hospitais ou as macas continuarao servindo de mesas para cirurgias? E os exames mais complexos, depois duma longa viagem de ambulancia?

  21. O real dilema que os médicos brasileiros não querem os cubanos aqui, é que os medicos brasileiros tem medo de levar um couro dos cubanos(os médicos cubanos bem mais preparados que os brasileiros).
    Isso sim é a verdade !!!

  22. “É classe elitista, preconceituosa, corporativista. A Pior categoria profissional para se lidar”.

    Desabafo de médico, secretário municipal de Embu das Artes/SP, anos 80, quando eu era o prefeito da cidade (1983/1988).

    Fica aí o registro.

    Fará muito bem, a vinda de médicos cubanos. Serão encaminhados em sua grande maioria aos municípios grotões brasileiros, locais que médicos nossos não aceitam ir.

    MEDICINA PREVENTIVA, a especialidade Cubana, aqui será aplicada.

    Indústria FARMACÊUTICA, viciada no lucrativo negócio de vender remédio, também deve chiar.

    Governo brasileiro deve poupar muito em remédios, já que, investindo na PREVENÇÃO, não doentes, de remédio não precisam.

    Corporação Médica brasileira, terá que equiparar-se aos bons serviços Cubanos, ou Brasileiros vão preferir sem atendidos por médicos não brasileiros.

    Quanto ao exame de REVALIDAÇÃO dos médicos Cubanos, é algo irrelevante. SOU A FAVOR.

    SOU A FAVOR que para os nossos médicos brasileiros, à exemplo do que faz a OAB com os bacharéis de direito, fazendo EXAME DE REVALIDAÇÃO DE SEUS DIPLOMAS, acho que fica bem, fazermos aqui, também aos médicos:

    EXAME DE REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA DOS MÉDICOS BRASILEIROS?…

    Quero acreditar que a REPROVAÇÃO DE MÉDICOS BRASILEIROS, seja inferior a 90%, a taxa média de reprovação de bacharéis em direito brasileiros.

    • Parece que o revalida não é nenhum bicho de sete cabeças. Boa ideia é balizar a prova de acordo com o desempenho dos formandos no Brasil. Ao que parece, de acordo com a experiência do Rio Grande do Norte é a qualidade dos Cubanos que vem para o Brasil é o que deixa a desejar. Vejam a reportagem abaixo:

      Postado em sexta-feira, 14 de junho , 2013
      Alunos de faculdades brasileiras de medicina serão parâmetro para realizar mudanças na prova aplicada a estrangeiros, segundo ministro da Saúde

      O exame para validação de diploma de médico obtido no exterior, o Revalida, deverá ser alterado. Uma das estratégias será calibrar a dificuldade das questões da prova de acordo com o desempenho de estudantes brasileiros, afirmou nesta quarta-feira o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

      A ideia é submeter alunos de faculdades brasileiras de Medicina, como parâmetro, a uma prova formada por questões do banco do Revalida. A medida será aplicada ainda neste ano. “O padrão de cobrança dos médicos estrangeiros deve ser similar à formação dos brasileiros”, disse Padilha.

      Durante audiência na Câmara dos Deputados, ontem, Padilha observou que o número de validações de diplomas estrangeiros caiu de forma expressiva desde que o Revalida passou a ser adotado no País, em 2011. Em 2010, 402 médicos formados no exterior receberam permissão para atuar no País. Em 2011, com a implementação do Revalida, foram 238 e no ano passado, 121. “O exame será aprimorado”, disse.

      Padilha afirmou que até 2014 serão abertos 35 mil postos de trabalho médico nas Unidades de Pronto-Atendimento. Pelas contas do ministro, isso significa um aumento da demanda de aproximadamente 70 mil profissionais. Há, além disso, um pedido feito por prefeitos de 13 mil profissionais.

      “Não há como falar em números exatos sobre qual a necessidade de médicos no País. É certo que o problema terá de ser enfrentado com várias medidas, não apenas com uma.”

      Dispensa

      A estratégia para atrair médicos estrangeiros para o Brasil passa também pela dispensa do revalida . Duas propostas deverão ser colocadas em prática: convênios de intercâmbio com países como Portugal e Espanha e chamada internacional. O ministro afirmou que estrangeiros, além de passar por um teste de domínio do português, terão seu currículo e histórico escolar avaliado.

      “A autorização especial não será concedida de forma imediata. Haverá uma análise prévia”, disse. De acordo com Padilha, a expectativa é de que sejam recrutados de Cuba médicos especializados em saúde da família.

      A ideia foi bem recebida pelo presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto D”™Ãvila. Ele observou, no entanto, que as medidas não atenderão os objetivos do ministério. “O problema do País é falta de financiamento na saúde. Falta de estrutura”, disse.

      D”™Avila afirmou que estudantes de Rio Grande do Norte realizaram a prova de Clínica Médica do Revalida, com um índice de aprovação de 70%. Um número que, em sua avaliação, poderia indicar que o teste não apresenta um alto grau de dificuldade. Padilha, porém, diz que nenhuma prova foi aplicada por iniciativa do ministério.

      As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

  23. Se está faltando sou a favor, e não tenho medo do comunismo, acho que passado algum tempo vamos encontrar esses médico no macdonald, rs…

    • Zé, não é dos médicos cubanos que temos medo mas, sim dos estudantes brasileiros que foram enviados a Cuba e que estão voltando com ideias comunas/socialistas iguais as do Pai do Deputado Zeca. Porque: “Filho de peixe peixinho “.

  24. Tem que ser a favor mesmo,afinal a “familia Dirceu”deve dever favor até hoje pro s Cubanos…Deve ter sido algum desses médicos cubanos que fizeram a cirurgia plastica em José Dirceu…Depois disso o belezão veio se esconder em Cruzeiro do Oeste…e blá blá blá… ai nasceu esse “projeto de deputado federal”

  25. Os mesmos idiotas que acreditavam no projeto regime militar são os que temem uma invasão comunista dos barbudos. Isso quer dizer que foram bem amestrados… A verdade é que em Cuba, onde existe a melhor saude publica do mundo, sobram médicos e eles viriam por um periodo para prestar seus serviços, por um preço muito inferior do que fariam nossos conterraneos. Isso ja acontece em muitos paises com excelente resultado.

  26. Não estamos barrando a vinda de médicos estrangeiros e brasileiros formados em CUBA. Estamos exigindo apenas o exame “REVALIDA”. O que há de injusto nisso, sr. Zeca ?

    • SE FOSSE NORTE AMERICANO VCS ABRIRIAM TUDO NÉ ?

    • Cuando o examen REVALIDA seja tambeim para os estudantes de medicina do Brasil nos os medicos estrangeiros aceitaremos o mesmo examen. Mais agora a REVALIDA es somente una medida para mantener o corporativismo dos medicos brasileiros.

      • Se realmente fosses um MÉDICO, entenderias a necessidade do Revalida, que até um estudante (BRASILEIRO estudando no BRASIL) do 4º ano de medicina, tem competência para resolver. Não é corporativismo, é a defesa de um grupo, que deseja medidas SÉRIAS para salvar a Saúde PÚBLICA de uma Nação DEMOCRATA. O povo brasileiro merece mais que assistentes de saúde que se intitulam médicos, e sim vamos lutar para que o Revalida seja respeitado por qualquer um que deseje exercer a medicina com competência no Brasil, assim como ocorre no resto do mundo.
        Chega de cabrestos. Acorda Brasil.

        • O que o povo brasileiro precisa é do deslocamento dos profissionais para áreas que carecem assistência, sejam cubanos, brasileiros paraguaios…é óbvio o profissional tem que ser avaliado ,mas a pergunta que não cala:DOUTOR QUERES SAIR DO CONFORTO DA CAPITAL?

          • Parece que o revalida não é nenhum bicho de sete cabeças. Boa ideia é balizar a prova de acordo com o desempenho dos formandos no Brasil. Ao que parece, de acordo com a experiência do Rio Grande do Norte é a qualidade dos Cubanos que vem para o Brasil é o que deixa a desejar. Vejam a reportagem abaixo:

            Postado em sexta-feira, 14 de junho , 2013
            Alunos de faculdades brasileiras de medicina serão parâmetro para realizar mudanças na prova aplicada a estrangeiros, segundo ministro da Saúde

            O exame para validação de diploma de médico obtido no exterior, o Revalida, deverá ser alterado. Uma das estratégias será calibrar a dificuldade das questões da prova de acordo com o desempenho de estudantes brasileiros, afirmou nesta quarta-feira o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

            A ideia é submeter alunos de faculdades brasileiras de Medicina, como parâmetro, a uma prova formada por questões do banco do Revalida. A medida será aplicada ainda neste ano. “O padrão de cobrança dos médicos estrangeiros deve ser similar à formação dos brasileiros”, disse Padilha.

            Durante audiência na Câmara dos Deputados, ontem, Padilha observou que o número de validações de diplomas estrangeiros caiu de forma expressiva desde que o Revalida passou a ser adotado no País, em 2011. Em 2010, 402 médicos formados no exterior receberam permissão para atuar no País. Em 2011, com a implementação do Revalida, foram 238 e no ano passado, 121. “O exame será aprimorado”, disse.

            Padilha afirmou que até 2014 serão abertos 35 mil postos de trabalho médico nas Unidades de Pronto-Atendimento. Pelas contas do ministro, isso significa um aumento da demanda de aproximadamente 70 mil profissionais. Há, além disso, um pedido feito por prefeitos de 13 mil profissionais.

            “Não há como falar em números exatos sobre qual a necessidade de médicos no País. É certo que o problema terá de ser enfrentado com várias medidas, não apenas com uma.”

            Dispensa

            A estratégia para atrair médicos estrangeiros para o Brasil passa também pela dispensa do revalida . Duas propostas deverão ser colocadas em prática: convênios de intercâmbio com países como Portugal e Espanha e chamada internacional. O ministro afirmou que estrangeiros, além de passar por um teste de domínio do português, terão seu currículo e histórico escolar avaliado.

            “A autorização especial não será concedida de forma imediata. Haverá uma análise prévia”, disse. De acordo com Padilha, a expectativa é de que sejam recrutados de Cuba médicos especializados em saúde da família.

            A ideia foi bem recebida pelo presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto D”™Ãvila. Ele observou, no entanto, que as medidas não atenderão os objetivos do ministério. “O problema do País é falta de financiamento na saúde. Falta de estrutura”, disse.

            D”™Avila afirmou que estudantes de Rio Grande do Norte realizaram a prova de Clínica Médica do Revalida, com um índice de aprovação de 70%. Um número que, em sua avaliação, poderia indicar que o teste não apresenta um alto grau de dificuldade. Padilha, porém, diz que nenhuma prova foi aplicada por iniciativa do ministério.

            As informações são do jornal O Estado de S. Paulo