Congresso da UPE deverá pedir a cabeça! de Paulo Bernardo

Plenária final do congresso da União Paranaense dos Estudantes, neste domingo, em Ponta Grossa, deverá aprovar movimento nas ruas pedindo a cabeça! do ministro Paulo Bernardo; iniciativa partiu de militantes do PT, legenda do titular das Comunicações; agremiação e a União Nacional dos Estudantes (UNE) querem aprovação da lei que regula a mídia no país.

Plenária final do congresso da União Paranaense dos Estudantes, neste domingo, em Ponta Grossa, deverá aprovar movimento nas ruas pedindo a cabeça! do ministro Paulo Bernardo; iniciativa partiu de militantes do PT, legenda do titular das Comunicações; agremiação e a União Nacional dos Estudantes (UNE) querem aprovação da lei que regula a mídia no país.

Cerca de 300 delegados eleitos nas universidades paranaenses participam, neste domingo (19), no município de Ponta Grossa, região dos Campos Gerais, do encerramento do 44!º Congresso Estadual da União Paranaense dos Estudantes (Conupe).

Os congressistas deverão aprovar a bandeira “Fora, Paulo Bernardo” na plenária final de hoje, antes de eleger a nova diretoria para um mandato de dois anos. O evento está sendo realizado nas dependências da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Os estudantes dizem que o ministro das Comunicações “não tem condições de continuar à  frente da pasta porque não defende os interesses nacionais, dentre os quais a regulação da mídia no país”.

Ontem à  noite (18), durante debate sobre democratização da comunicação — mesa que teve participação deste blogueiro e do professor da UFPR Mário Messagi Júnior, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas do Paraná (Sindijor) –, os estudantes aprovaram por unanimidade a palavra de ordem “Fora, Paulo Bernardo”.

Na manhã deste domingo, a proposta de levar a UPE — e, consequentemente a UNE — à s ruas pela aprovação de uma “Lei de Médios” no Brasil deverá passar pela plenária final.

Detalhe intrigante: a proposta de pedir a cabeça de Paulo Bernardo partiu de militantes do PT, mas ganhou o apoio do PSTU, PSOL, PCdoB, Partido Pirata e do PMDB.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to tell you that I’m very new to blogs and honestly enjoyed this website. More than likely I’m likely to bookmark your website . You definitely come with incredible posts. Appreciate it for sharing your web-site.

  2. SUPER MEGA KIT COMPLETO WHATSAPP MARKETING DIVULGAÇÃO EM MASSA

    SITE: http://bit.ly/1QgntWx

    Skype: Power-Tecnology

    Telegram: PowerEmails

    Whatsapp: 11-9586-31289

  3. Concordem, discordem, me chinguem, esse relato é o que eu vi e o que interpreto de acordo com as experiências que vivi até o presente momento.

    Relato da experiência que tive no 44º CONUPE…

    O começo do 44º CONUPE refletiria bastante do que seria o restante do congresso, desrespeito total aos estudantes e desorganização, começando com 3 horas de atraso para esperar o presidente da UNE que não chegou no horário de início das atividades.
    Depois algo que não entendi muito bem, alguns dos grupos ali presentes entoavam gritos de guerra ao invés de debater os rumos do movimento estudantil paranaense e de toda a sociedade, havia momentos que o espaço mais se assemelhava à uma guerra entre tribos rivais do que um congresso para debater o movimento estudantil.
    Então começa, com as 3 horas de atraso, a composição da mesa de abertura, novamente algo que não consegui compreender… a mesa de abertura contava com representantes da diretoria da UPE, da UNE, com reitor de universidade, representantes de reitores, vereadores, acessora de deputado, mas nenhum representante de CA, DCE ou executivas e federações de curso, enfim, não havia reprentatividade estudantil na mesa de abertura de uma entidade representativa dos estudantes, além de estar na mesa apenas 3 mulheres e cerca de 8 homens, o que me leva a pensar sobre quem a diretoria da entidade representa.
    Depois de muito esperar, depois de um debate sobre educação ser suprimido da programação para esperar a presença ilustre do presidente da UNE, vamos começar as atividades dos grupos de discussões… mal começamos somos interrompidos pelo desrespeito e falta de educação de uma parcela significativa das pessoas da UJS que adentraram à central de salas da UEPG, aonde estavam ocorrendo as discussões, entoando gritos de guerra em voz alta o suficiente para que as discussões tivessem que aguardar a boa vontade dos nobres militantes de pararem de gritar.
    Passado esses incidentes, começamos os debates, participei do debate sobre a democratização dos meios de comunicação, foi até interessante, não sou especialista em comunicação, mas não acredito em mudança sem a democratização do acesso ao conhecimento e à informação inteira, sem manipulação e edição para corroborar com esse ou aquele ponto de vista. No entanto, é estranho para mim discutir a democratização dos meios de comunicação, sem discutir a democratização da comunicação da UPE, que sem critério algum convoca os estudantes da UNICENTRO a boicotar a eleição do DCE de Guarapuava, a qual, ainda com a UPE tentando passar por cima da autonomia dos estudantes, contou com 3 vezes mais participação dos estudantes do que as eleições anteriores, além de representantes da UPE sempre se fazer presente nas universidades na época de eleições de DCE para defender determinada chapa, que invariavelmente, por acaso, é a chapa da UJS/PCdoB, deixando seu caráter de entidade de lado e usando recursos e status da entidade para claramente favorecer uma chapa e nunca estar presente nas lutas dos estudantes e nunca estar nas universidades mobilizando os estudantes para a luta, além de não fazer nada, ou melhor, esconder a informação dos estudantes de que o governo do estado deu um golpe na CELEPAR e no desenvolvimento de software livre quando firmou “parceria” para enfiar goela abaixo do ensino público paranaense softwares proprietários, de código fechado que nos deixa refém da microsoft, sem podermos aprimorar ou modificar nada, compraremos o que podemos desenvolver muito melhor e muito mais barato. A resposta que obtive do diretor de comunicação da entidade sobre o caso do DCE da UNICENTRO foi que receberam uma denúncia de golpe feita pelo então presidente do DCE, quanto a não estar presentes nas universidades e na luta dos estudantes a resposta específica para a UEM que recebi foi que soltaram uma nota no blog da UPE em apoio aos estudantes que estão sem RU desde o ano passado, ainda citou como uma vitória da chapa da UJS que estava na direção do DCE, claramente evidenciando que não sabe ou não se importa com a diferença entre força e entidade, o início da construção da Casa do Estudante, uma luta de muitos anos dos estudantes e que estranhamente saiu bem nas vésperas da eleição para reitoria e estranhamente membros da UJS fizeram campanha aberta para o candidato da situação, com direito a aparecer em vídeo de campanha declarando apoio e tudo, quanto à questão da CELEPAR respondeu que no Casarão da UPE haverá espaço para laboratórios de desenvolvimento de software livre, além de não sentir nenhuma firmeza na resposta, nenhum posicionamento sobre a ação do governo de jogar projetos de software livre no lixo e enfiar dinheiro da educação na microsoft. Quis saber mais sobre os critérios para deflagrar uma campanha de boicote à uma eleição de DCE e passar por cima da autonomia dos estudantes, questionei se estavam acompanhando o processo eleitoral ou se pelo menos averiguaram a informação, quis saber se bastava uma denúncia sem provas para tomarem tal decisão, a resposta não me surpreendeu nenhum pouco, após os debatedores responderem ou comentarem outras questões, o diretor de comunicação da UPE pegou suas coisas e saiu pela tangente sem dar resposta. Mas no geral, apesar de a maioria personificar todo o mal da comunicação na figura do Paulo Bernardo ao invés de analisar isso no contexto de um plano de governo aonde as meias verdades são um alicerce para frear a libertação da população, foi interessante a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a questões da comunicação e de colocar a diretoria da UPE contra a parede.
    Desorganização e não cumprimento da programação foi a marca registrada do 44º CONUPE, a 2ª seção de grupos de discussões também não aconteceu, discussões sobre universidades públicas e sobre universidades privadas não aconteceram, os espaços de debate foram suprimidos, deixando bem claro para todos que tinham o mínimo de consciência que a diretoria da UPE e da UNE não querem que os estudantes debatam, problematizem, questionem, busquem soluções e vão à luta.
    Domingo não bastou atrasarem denovo a programação, atrasaram a refeição, na verdade nem sei se garantiram a refeição dos delegados, a galera com quem eu estava, prevendo situações como esta, acharam por bem garantir a nossa alimentação por conta própria. O detalhe, o atraso não foi de 3 horas como no dia anterior, mas sim de 8 horas, um completo desrespeito, com os estudantes que tinham aula ou que trabalhavam na segunda pela manhã, principalmente porque além de tudo, muitos ainda enfrentariam 5 horas ou mais de estrada até chegarem em seus lares, ou apenas uma tentativa de esperar os delegados das outras chapas se terem de ir embora.
    Outra coisa que me chamou a atenção, durante essas 8 horas de atraso, que teve um agravante que comentarei mais a frente, houve muita bagunça, muitos gritos de guerra, gente pulando em cima das cadeiras do auditório aonde estávamos, enquanto demagogicamente falavam em defender a universidade pública, e nenhuma discussão, exceto por parte de uns poucos que por conta própria se reuniam em algum canto para debater sobre algum assunto, falar sobre a falta de organização do congresso ou divagar sobre questões gerais, até porque o cansaço de tanto tempo de espera, e pensar que aquilo ainda demoraria e as responsabilidades do dia seguinte não acompanham a boa vontade da diretoria da UPE, desestimulavam o debate. Também não faltou vários focos de confusão e gente querendo se entender como faziam os guerreiros das tribos, por sorte pelo menos isso conseguimos impedir que se concretizasse. E o mais impressionante, se incomodaram quando eu coloquei música, nada demais e nem em volume alto, Titãs, Engenheiros do Hawaii e Cazuza, para fazer contra ponto à zorra de gritos de guerra, como se eu estivesse interrompendo um ritual sagrado, e quando fui pegar o microfone para falar qualquer coisa, questionar aquele comportamento, imediatamente apareceu um diretor da UPE tentando me tirar de cima do palco, inclusive tentando forçar a minha saída, de onde eu assistia de camarote aquela cena bizarra mesmo o palco sendo baixo, não cedi e continuei exatamente aonde estava, o ser ameaçou chamar o segurança para me tirar do palco, ótima oportunidade para meus 15 segundos de fama, principalmente porque além de mim haviam outras 4 pessoas no palco, sendo 2 delas da UJS, mesma força que ele, mas não sei até agora se ele desistiu de chamar o segurança ou se o segurança se recusou a ir até a parte da frente do auditório para tirar de perto do controle do som aquela criatura que ameaçava o ritual sagrado, pois continuei lá e nada do segurança ir me tirar do lugar aonde estava.
    Depois que a plenária final começou enfim, nova confusão à vista… a UJS, enquanto diretoria da UPE e mais o presidente da UNE, travaram a plenária apenas porque não queriam a obrigatoriedade de apresentação de documento oficial com foto, para eles bastava a apresentação do crachá de delegado, sem necessidade de comprovar a identidade do portador do crachá, e também se opunham ao voto secreto, o detalhe é que esses pequenos pontos insignificantes da democracia constavam no estatuto da entidade, o qual não rasgaram pois a base deles que era muito numerosa ainda acreditava que aquilo não era uma tentativa de golpe. Graças à grande quantidade de delegados das outras forças que não se dobraram à tentativa de golpe, a democracia foi garantida, aleijada de ambas as pernas e braços, separaram as urnas das chapas, como fomos os primeiros a votar não sabia que seria assim, que controlariam os votos por chapa para intimidar os que conseguissem ver a verdade sobre eles, mas se soubesse teria rasgado a cédula, não tínhamos delegados para disputar diretoria com as chapas PCdoB/PMDB e PT, e sequer era meu objetivo, creio que dos independentes também não e o pessoal do PSoL até poderia querer, mas tinham noção de que nas condições que estavam seria impossível sem se juntar à uma das duas outras chapas que são base do governo federal que defende planos para educação, de mercadorização e sucateamento do ensino, que não condizem com o que acreditamos.
    Outro fator que me chamou a atenção é o discurso de movimento de massas que essa galera vomita em cima dos estudantes, mas as reuniões eram de cúpula, os diretores da UPE e da UNE em momento algum se prontificaram a ampliar o debate, sempre faziam com que as decisões fossem de cúpula, mais um comportamento claramente antidemocrático, apesar de vomitar o discurso de entidade democrática que dá voz e vez aos estudantes. O mais engraçado, diria tragicômico, foi a exigência que a mesa queria de respeito ao tempo de 5 minutos com 2 minutos de tolerância para defesa de chapas depois de terem atrasado o encontro em 8 horas e suprimido discussões importantes, não é difícil imaginar que queriam evitar o debate, nem o porquê.
    Por fim, achei muito legal o que fizeram no CONUPE e fazem em todas as eleições de DCE, utilizam das entidades, da UPE e da UNE, para favorecer uma força, que não vou dizer que é a UJS, tudo bem que a guria do PT que era secretária da UPE também fez sua parte para favorecer sua chapa e toda a galera de qualquer força faria o mesmo, mas aí fica o questionamento… até quando as entidades representativas serão utilizadas como extensões da estrutura das forças que a compõe? Quando passarão a representar de fato os estudantes, fortalecendo as bases das executivas e federações de curso e os DCE e os CA/DA para que atuem de forma orgânica, autônoma e democrática enfrentando as contradições do movimento estudantil e da sociedade? Esse ano deixar os presidentes da UPE e da UNE com cara de quem comeu e não gostou ao forçar a democracia, a qual é garantida por estatuto, foi um avanço, mas ainda é pouco, ainda precisamos devolver as entidades aos estudantes.

  4. Só para esclarecer alguns pontos!

    Em primeiro lugar, nós do PSOL não acreditamos que a simples substituição de Paulo Bernardo traria avanços na luta pela democratização dos meios de comunicação. Acreditamos que este e outros avanços não acontecem devido ao fisiologismo petista. Acreditamos que os movimentos sociais (entre eles os que defendem o Marco Regulatório) acabam se atrofiando dentro da máquina eleitoreira que virou o PT. Reconhecemos os avanços do governo PT, mas não nos calamos frente ao abandono das bandeiras históricas outrora levantadas pelo Partido dos Trabalhadores e sua base aliada.
    Infelizmente, a regulação da mídia não vai acontecer enquanto o interesse em se manter no poder for maior que a voz dos movimentos sociais!
    É muito fácil os militantes pró-dilma (PT, PCdoB, PMDB etc) falarem que o problema é a escolha errada para a pasta das comunicações, ou que “no próximo mandato acontecerá”!
    Só que no ano que vem, com a Gleisi candidata e com certeza com o Paulo Bernardo como um dos apoiadores principais, estes mesmos militantes estarão defendendo INCONDICIONALMENTE tanto Paulo Bernardo quanto Gleisi e Dilma.
    Só haverá transformações essenciais a partir do momento em que o poder não esteja atrelado aos interesses do mega-empresariado brasileiro, e todos sabemos que existem corporações midiáticas fortemente ligadas ao PT.

    Aproveito para manifestar meu repúdio a total falta de organização e a completa DESPOLITIZAÇÃO do congresso. Os debates foram deixados em último plano e os espaços reduzidos e até mesmo cancelados. Aliás, na plenária final não ouvi sequer UMA palavra sobre Fora Paulo Bernardo!

    *e um último esclarecimento (que serve como atualização para você Esmael), não havia ninguém do PSTU pois o PSTU está fora da UNE (faz tempo).

    Abraços!

  5. Grande Esmael, obrigado pela sua presença em nosso congresso! A proposta pelo Fora Paulo Bernardo foi posta em discussão no congresso pela UJS, inclusive fiz a primeira fala nesse sentido expressamente.
    Paralelo a isso, gosto de ver como os almofadinhas de gabinete ficam o dia inteiro reclamando e inventando inverdades para difamar quem LUTA, só por que eles não tem a mesma Capacidade.

    Abraços fortes!

  6. Havia um tempo em que os estudantes eram cabeças pensantes e não massa de manobra de políticos safados neste país.
    Porque agora??
    Porque estamos no ano pré-eleitoral !!!

    Essa cambada não tem uma bandeira para se unir.

    “Regulação da mídia”

    Vão se ferrar!!!

    Porque não estão brigando,fazendo passeatas, para que 10% da grana do pré sal vá para a educação!!!

    Bando de safados unidos por um partido e se manifestando por nada,ou quase nada.

    Basta ver em frente das Universidades, os bares cheios e de vez em quando, fumaça de maconha de maconha toma conta do ar

  7. Não aconteceu nada disso Esmael, aliás acho que seria conveniente vossa senhoria relatar, que seu painel seria as 14hrs e pela organização do evento ocorreu tão somente às 17hors.

    Importante ressaltar também, que a UPE, comandada pela UJS, usa de aritificios para ganhar a eleição, rasgaram o regimento, ao não pedir o RG para os “delegados”.

    Tudo isso corroborado pelo presidente da UNE, que se fazia presente.

    A democracia começa dentro dos movimentos sociais, dentro da juventude, e ontem tivemos a prova, que tudo está do jeito que está, pois as práticas começam desde os secundaristas até os parlamentares…

  8. Que piada…. nem sabia que a Upe ainda existia.

  9. Olha, Plenária da UPE só pode ser regada a muita caipirinha, hehehe. Foi isso que vocês foram fazer lá: tomar caipirinha, hehehe

  10. Como é ridícula essa UPE (União dos Pelegos Estudantis). Então peçam a cabeça da Dilma. Ou algum abobado acha que o sujeito não cumpre ordens e determinações da Presidente? Isso é política de governo não de um ministro.

  11. Ate da entender porque voces petralhas defendem tanto a regulacao da midia, ai sim voces poderiam trabalhar sem nenhuma fiscalizacao , e so Deus seria testemunha das negociatas e outros desvios em que voces sao mestres.No caso Upe a posicao nao poderia ser diferente, pois estao aliciados ha muito tempo.

  12. ???? A UPE quer a cabeça do PB??/ e você concorda, você que defende o PT, a Dilma e o LULA??? E a Gleisi, se arrancarem o PB do Ministerio das Descomunicaçoes????

  13. Por sinal, impressão minha ou será que PAULO BERNARDO não esteve no evento em PINHAIS?

  14. Que bom que caiu a ficha dessa moçada (PSOL-PSTU-PC do B-Piratas-PMDB, entre outros). Ademais, além de todo o amarelão frente à questão, o nepotismo em ministérios tb é algo abominável, principalmente em se tratando de PT visto pelo retrô. Alías, o velho e inolvidável Rui Barbosa já via o parentismo em funções públicas como ” A Peste da Parentela”. Jamais mudaremos este estágio de coisos e coisas se continuarmos dando milho aos pombos.

    Amigos do Leão (Mega-Solução, Evolução) X amigos da Onça (coninuismo da mesmice, oposição e situação). É esse o jogo que temos que jogar. Mas, pelo visto o PSDEMB-agregados, Aécio e cia da mesmice, são mesmo um caso irrecuperável de ressaca eleitoral que mesmo ainda nesse estado finge que não tem nada a ver com os porres eleitorais, com os 171s eleitorais já praticados no passado, apostando que o povo tb sofre de amnesia eleitoral. Assim agindo, tentando ocupar o lugar do Novo de Verdade (que é o HMM-PNBC-ME-RPL), PSDEMB-agregados, com Aécio e cia da mesmice, comportam-se como amigos da Onça, à moda silvérios dos reis, em relação ao Projeto Novo e Alternativo de Nação e de Política-partidária-eleitoral. Mas os amigos da Onça são assim mesmo e em Política não sabem fazer outra coisa senão apenas cutucar a Onça com vara curta, até que o Leão da Mega-Solução, com o seu PIBÃO vara comprida, entre em cena e pegue todos elles de jeito, de quatro nas urnas, democraticamente, em público, sob a luz do sol, na oposição e na situação, que é o que tem que acontecer senão nada irá mudar de verdade em 2014, se o Bicho não pegar. E os que jogam o jogo dos impostores políticos temporais, à base da esperteza, do oportunismo, da confusão, do “ quanto pior melhor” e da má-fé, e fazem de tudo para atropelar o Projeto Novo e Alternativo de Nação e de Politica-partidária-eleitoral, natural, não são abençoados por Deus e serão castigados outra vez, naturalmente. E o tempo mostrará isso.