Boato contra bolsa família deflagra guerra política

do Brasil 247

Presidente nacional do MD, deputado Roberto Freire (SP) veste carapuça e ataca governo por atribuir boatos sobre fim do bolsa família à  oposição; "Irresponsável", disse ele na direção da ministra Maria do Rosário; líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP) quer explicações da ministra à  Comissão de Segurança da Câmara; presidente Dilma Rousseff não fugiu ao assunto e classificou falsa informação de "absurdamente desumana"; Polícia Federal investiga; para este ano, orçamento federal do programa é de R$ 24 bilhões.

Presidente nacional do MD, deputado Roberto Freire (SP) veste carapuça e ataca governo por atribuir boatos sobre fim do bolsa família à  oposição; “Irresponsável”, disse ele na direção da ministra Maria do Rosário; líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP) quer explicações da ministra à  Comissão de Segurança da Câmara; presidente Dilma Rousseff não fugiu ao assunto e classificou falsa informação de “absurdamente desumana”; Polícia Federal investiga; para este ano, orçamento federal do programa é de R$ 24 bilhões.

O boato sobre o fim do programa bolsa família, que lotou agências da Caixa Econômica Federal em 12 Estados, com beneficiários procurando sacar recursos, desaguou em guerra política. O presidente nacional do MD, deputado Roberto Freire, chamou a ministra Maria do Rosário, secretária nacional de Direitos Humanos, de “irresponsável”, depois que ela, pelo twitter, afirmou que o boato teria sido disparado pela oposição.

Em Pernambuco, a presidente Dilma Rousseff não fugiu do assunto. Ao contrário, entrou forte no debate, chamando a boato de “absurdamente desumano”. Para ela, o dinheiro do bolsa família “é sagrado”.

Neste domingo (19), a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à  Fome, Tereza Campello, desmentiu os boatos sobre extinção do programa. Além de pedir que os beneficiários seguissem o calendário do governo para sacar o benefício, a ministra confirmou que o governo solicitou à  Polícia Federal (PF) que investigue as origens dos boatos. E garantiu que o programa, que beneficia 13,8 milhões de famílias ou 50 milhões de cidadãos, não será extinto. Para este ano, o orçamento destinado ao programa chega a R$ 24 bilhões.

Convocação

Líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP) também criticou a ministra e disse que vai propor à  Comissão de Segurança da Casa a convocação de Maria do Rosário para dar explicações. “Tenho uma profunda admiração pela ministra Maria do Rosário e custo a acreditar que uma declaração de tamanha irresponsabilidade tenha partido dela. Estou apresentando o requerimento de convocação da ministra na Comissão de Segurança para dar a ela a oportunidade de retratar-se”, disse.

Sampaio cobrou celeridade do governo na investigação. “O governo tem de usar todos os seus instrumentos de investigação para descobrir com a máxima urgência a origem da boataria para que os responsáveis sejam punidos com rigor. à‰ uma atitude criminosa, que afeta a população mais carente”, disse o tucano.

Abaixo, notícia da agência Reuters a respeito:

20 Mai (Reuters) – A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira que o dinheiro do Bolsa Família é “sagrado” e o benefício é um compromisso de seu governo, após terem sido espalhados boatos pelo país sobre o fim do programa.
Segundo a presidente, o boato é “absurdamente desumano” e será investigado, uma vez que levou intranquilidade à s famílias mais pobres do país beneficiadas pelo programa.

Os boatos, que começaram a surgir na tarde de sábado, provocaram uma corrida dos beneficiários a caixas eletrônicos de algumas capitais. A Polícia Federal já iniciou uma investigação.

“à‰ algo absurdamente desumano o autor desse boato, além de ser desumano, é criminoso, por isso nós colocamos a Polícia Federal para descobrir a origem de um boato que tinha por objetivo levar a intranquilidade a milhões de brasileiros que nos últimos 10 anos estão saindo da pobreza extrema”, disse Dilma em discurso durante cerimônia em Ipojuca (PE), que marcou o início das operações do petroleiro Zumbi dos Palmares.

“O compromisso do meu governo com o Bolsa Família é um compromisso forte, profundo e definitivo. Nós não abriremos mão do Bolsa Família”, acrescentou Dilma.

O programa beneficia atualmente 13,8 milhões de famílias, segundo o governo, e completa 10 anos em outubro.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Comentários encerrados.