“Não existe a palavra desistência no meu vocabulário”, garante Plauto Miró

Deputado Plauto Miró.

Deputado Plauto Miró.

O deputado estadual Plauto Miró (DEM), 1!º Secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, afirmou a este blogueiro, na noite desta segunda-feira (29), que não existe a palavra desistência em seu vocabulário.

Miró é candidato a conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) na vaga de Hermas Brandão, que se aposenta compulsoriamente ao completar 70 anos na semana que vem.

Ao longo da semana passada cogitou-se a possibilidade de o 1!º Secretário da Assembleia “jogar a tolha” da disputa deixando o deputado Fábio Camargo (PTB) ser nomeado por “W.0.”.

“Não existe a palavra desistência no meu vocabulário”, garantiu Plauto Miró, que conta com o apoio do presidente da Assembleia e do PSDB, Valdir Rossoni, e do governador Beto Richa (PSDB).

“A candidatura ao TCE não pertence apenas a mim, mas ao conjunto dos deputados. Não posso desistir porque assumi um compromisso coletivamente e vou até o final. Repito: no meu vocabulário não existe a palavra desistência”, assegurou Miró.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to tell you that I am beginner to weblog and seriously enjoyed your blog. Almost certainly I’m going to bookmark your site . You surely come with excellent writings. Thank you for revealing your web site.

  2. Sinceramente sempre fui contra os CONSELHEIROS DO TC serem escolhido do meio político acho que deveria ter um vestibular onde pessoas com conhecimento pudessem participar e o melhor ganha-se os cargos… E não essa escolha política isso precisa ser mudado!!!

  3. Briga de foice pela “boquinha”. $erá que não vai $obrar nadim pra mim?

  4. Ser conselheiro do tribunal faz-de-contas é tudo de bom, não é a toa que os caras quase se matam para conseguir mamar nessa teta gorda. Cargo vitalício, alto salário, muitas mordomias e benefícios, só em países atrasados existem esses descalabros.

  5. Desistencia não, acordo sim….forçado.

  6. voltamos com mais “Um dia sem Globo” essa pressão e para Rede Globo, de mais valor aqueles que tanto ajuda continuar no mercado esse manifesto e Um ato de Repudio pelo posicionamento que ela toma em determinados situações nos queremos uma emissora Indenpedente e Imparcial pois somos telespectadores buscando momentos bons mas infelizmente ta dificil ter esses momentos espero que A direção da rede Globo pense em nos Brasileiros e não em si Propria ou num Grupo. A GLOBO E DE TODOS https://www.facebook.com/PrHenriqueSouza entra vc tambem nessa campanha https://www.facebook.com/photo.php?fbid=512601428776388&set=a.100330293336839.526.100000796057008&type=1&theater&notif_t=photo_reply

    • Eu acho o movimento válido, porque é um movimento popular, faz o povo sair da sua mansidão. Mas só por isso mesmo…
      Porque faz + de 40 dias que não assistimos a TV globo em minha casa, quando queremos notícias vamos para a internet, não gostamos de novela, ligamos a TV quando queremos ver desenho ou filme. Então a TV Globo que fale o que quiser, pois não vai falar nada pra mim e para minha família. Eu sempre insisto que o pessoal da TV Globo não vai até a casa das pessoas ligar o seu televisor e obriga-ás a assistir sua programação. Vê quem quer, quem escolheu…
      A população mundial estimada é de 7.113.000.000, TV Globo só tem no Brasil, a população brasileira é estimada em 196.655.014. Quer dizer que 6.916.344.986 de pessoas no planeta terra não assistem TV Globo, faz outras coisa da vida, vê outros canais, lê um livro, sai conversar com os amigos, vai dormir, etc…Então quem assiste TV Globo é uma minoria aqui no planeta terra, pense nisso, mude a sua vida. Quem dá o poder à TV Globo é o telespectador, se mudar de canal ou desligar o aparelho, esse poder acaba.
      Você pode mudar o mundo, pense nisso…

    • Se o seu comentário fosse imparcial você teria todo o direito de exigir imparcialidade da globo. Nada na vida é imparcial – nem na ciência, nem no judiciário, tão pouco na mídia e na política.

  7. a vaga vitalícia no tce virou uma moeda de troca muito valiosa pro beto play, a vaga é tão boa que até deputado quer trocar a alep pelo tce.

  8. Todo político carreirista que se preza, não conjuga o verbo desistir nem tão pouco trabalhar, isso não faz parte de seus dia a dia, e nessa monarquia disfarçada as águas vem rolando a tempos, porem vivemos o tempo da internet, onde a informação chega aos confins do nosso rincão, e os políticos VEIO de guerra, ainda
    não sabe disso, e com a maior cara de pau, se apresentam como trabalhadores do povo.

  9. Esse é tio do Carli Filho.

  10. Devia ter um conselho rotativo, eleito por um período determinado sem direito a aposentadoria especial. Esse negócio de cargo pra vida toda é coisa de monarquia. Na democracia, para ser democracia, é necessário rotatividade nos cargos públicos, eles não podem ter dono, pois o ESTADO pertence ao povo.
    Outra coisa que tem que acabar é aposentadoria especial com o dinheiro público. Fundo de aposentadoria só com dinheiro da contribuição do trabalhador tipo o PREVI do pessoal do B.B.. E claro, a aposentadoria do INSS com as mesmas regras dos demais trabalhadores do país. Quer mais? Vai pagar plano de previdência privada. Dinheiro público é para o benefício de toda a população, não pra sustentar marmanjão.

  11. Não é de graça que o TCE é considerado um cabide de emprego, existe justamente para não fiscalizar. Com dois pilantras como este tal de Miró e o Fábio Camargo, só um funcionário do gabinete do Miró para elogiar um mutreteiro destes. É tão ridículo que dá vontade de rir.
    E o Camarguinho não fica atrás. Todo mundo em Curitiba sabe que ele é sócio de uma rede de “casas de diversão”, para não usar outro termo.
    Na assembleia legislativa é só falcatrua, no TJ é venda de sentença, o TCE todos dormem e fazem vista grossa … etc etc etc … pobre Paraná!

  12. Esse sim é um grande Deputado. Serio e competente. A sociedade e o TCE só tem a ganhar com a ida dele para lá.

  13. E quem e que disse que da para acreditar no que politico diz?