Leia as manchetes da velha mídia neste domingo

estadaoJornais do Paraná

Gazeta do Povo: População de rua dispara em Curitiba em quatro anos

Jornal de Londrina: Muita pergunta e pouco projeto

Folha de Londrina: TRà‚NSITO – Mortes de ciclistas aumentam 18%

O Diário (Maringá): Em uma década, dívida do maringaense cresce 560%

Diário dos Campos: Rangel presta contas de seus 100 primeiros dias de governo

Jornal da Manhã: Marcelo prepara anúncio de megainvestimentos e obras

Tribuna do Interior: Técnicos da patrulha do campo começam avaliação das estradas

O Paraná: Financiamentos crescem 23% e se aproximam dos R$ 3,3 bi

Jornal Hoje: Prefeitura oferece terrenos para quitar dívida com IPM

Diário do Noroeste: Expediente aos domingos volta a ser discutido em Paranavaí

Tribuna de Cianorte: Richa anuncia R$ 150 milhões para os municípios do Paraná

Umuarama Ilustrado: Sem médicos, pacientes recorrem ao Ministério Público

Tribuna do Norte: Desonerações derrubam repasses para prefeituras

Jornais de outros estados

Globo: Turbinando o pibinho: Incentivo ao crescimento custou R$ 315 bi em 2 anos

Folha: Só 10% acham que PMs do Carandiru irão para a prisão

Estadão: Jovem ingere por ano 26 kg de açúcar em bebidas

Correio: Desencantada, elite militar aposenta a farda

Estado de Minas: Filhos do Aço

Zero Hora: Meninos condenados: Pacote de falsas promessas

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Por falar em velha mídia, não sei porque cargas d’água me vem à mente o velho jornalismo da era napoleônica: camaleônico, furta-cor, aparelhado, canalha, venal, bandido, sórdido, hostil e implacável contra Napoleão até que o Imperador adentrou em Paris.

    Consta que em França, quando Napoleão Bonaparte iniciou a sua Revolução em direção ao comando do poder central daquele país, quando não era ignorado em sua caminhada era terrivelmente hostilizado pela imprensa da época que, a cada batalha vencida, o rotulava de o monstro, o louco, o sanguínário, o assassino, o déspota, e por aí foi, até o dia em que Napoleão e sua Revolução conseguiram chegar e entrar em Paris de forma triunfante , oportunidade em que a tal mídia estampou a seguinte manchete: “ O Imperador Conquistou Paris “.