Governo desmente Estadão por ato contra Eduardo Campos

do Brasil 247

Em reportagem desta quinta-feira, o jornal acusa o setor de inteligência do Planalto de monitorar o movimento sindical no Porto de Suape, em Pernambuco, onde os trabalhadores se aliaram ao governador e provável candidato contra a presidente Dilma em 2014, Eduardo Campos; em nota, Gabinete de Segurança Institucional "repudia veementemente" a matéria e diz que informação é mentirosa; em outra reportagem recente, o mesmo jornal acusou o Planalto de discriminar Pernambuco em relação a recursos, notícia que também foi negada.

Em reportagem desta quinta-feira, o jornal acusa o setor de inteligência do Planalto de monitorar o movimento sindical no Porto de Suape, em Pernambuco, onde os trabalhadores se aliaram ao governador e provável candidato contra a presidente Dilma em 2014, Eduardo Campos; em nota, Gabinete de Segurança Institucional “repudia veementemente” a matéria e diz que informação é mentirosa; em outra reportagem recente, o mesmo jornal acusou o Planalto de discriminar Pernambuco em relação a recursos, notícia que também foi negada.

O governo federal informou por meio de nota que “repudia veementemente matéria” publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo nesta quinta-feira 4, que aponta monitoramento por parte do setor de inteligência do Planalto ao movimento sindical no Porto de Suape, em Pernambuco. De acordo com a presidência, “é mentirosa a informação” e a atuação do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e da Abin se pauta por uma ação “institucional e padronizada”. No texto, o Estadão afirma que a operação, que teve início há cerca de um mês, tem como foco “uma possível greve geral”.

Pernambuco é governador por Eduardo Campos, possível candidato à  presidência contra a presidente Dilma Rousseff em 2014. O jornal sugere, com a notícia, que o governo estaria tentando conter a atuação do pessebista contra a MP dos Portos, medida que ele tem criticado e apoiado os sindicalistas que se sentem prejudicados com as mudanças. “A cronologia da operação é simétrica à  movimentação política de Campos contra a MP dos Portos”, informa o jornal.

Não é a primeira vez que Estado de S.Paulo publica uma reportagem sobre uma ofensiva do Planalto contra Eduardo Campos. No dia 10 de março, o veículo publicou uma manchete que acusava o governo federal de discriminar Pernambuco quanto à  distribuição de recursos, motivado pela questão política. A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, também soltou nota negando as informações e o próprio governador comunicou que estivesse passando por qualquer problema desse tipo.

Leia abaixo a nota divulgada no início desta tarde pelo GSI:

Nota à  imprensa

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República repudia veementemente matéria publicada hoje no Estado de S.Paulo insinuando que o governo faça vigilância sobre movimentos sindicais dos portuários no estado de Pernambuco.

à‰ mentirosa a afirmação de que o GSI/Abin tenha montado qualquer operação para monitorar o movimento sindical no Porto de Suape ou em qualquer outra instituição do país. O GSI lamenta ainda a utilização política do tema, questionando a quem interessa tal tipo de interpretação neste momento.

Todo o trabalho do GSI e da Abin está amparado pelas Leis 9.883, de 1999, que criou o Sistema Brasileiro de Inteligência e a Abin como seu órgão central, e 10.683, de 2003, que estabelece ser do GSI a coordenação da inteligência federal. Sua atuação vem se pautando por uma ação institucional e padronizada, como ocorre em todos os sistemas democráticos.

Em nenhum momento o governo determinou ao GSI/Abin qualquer ação relativa ao tema referido na irresponsável reportagem do jornal.

Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República

Comentários encerrados.