Genoino sobre mensalão: Julgamento foi espetáculo midiático!

do Brasil 247

Disposto a lutar até o fim para provar sua inocência, deputado José Genoino (PT/SP) afirma que irá apresentar todos os recursos possíveis e não descarta recorrer à  Corte Interamericana de Direitos Humanos; "julgamento foi uma pré-campanha pela condenação", disse, em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar; parlamentar comentou ainda a polêmica com o CQC: "Objetivo desse tipo de jornalismo não é a informação, mas a execração".

Disposto a lutar até o fim para provar sua inocência, deputado José Genoino (PT/SP) afirma que irá apresentar todos os recursos possíveis e não descarta recorrer à  Corte Interamericana de Direitos Humanos; “julgamento foi uma pré-campanha pela condenação”, disse, em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar; parlamentar comentou ainda a polêmica com o CQC: “Objetivo desse tipo de jornalismo não é a informação, mas a execração”.

Determinado a “lutar até o fim” contra uma condenação que considera “injusta”, o deputado federal José Genoino (PT-SP) fez uma série de críticas à  Ação Penal 470, o julgamento do ‘mensalão’, durante entrevista concedida ao jornalista Kennedy Alencar, que foi ao ar na noite deste domingo no programa à‰ Notícia, da RedeTV!. Na avaliação do petista, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a seis anos e 11 meses de prisão, o julgamento “foi um grande espetáculo impulsionado por setores da grande mídia sem dar espaço ao contraditório”.

“Respeito e vou cumprir as decisões do Supremo, mas vou discutir até o fim. E a vida me mostra que a verdade, mais cedo ou mais tarde, prevalecerá”, disse o deputado. Genoino acrescentou que é uma “sensação dura estar condenado e ser inocente”, mas afirma que lutará contra essa injustiça, que “fez parte de uma construção que tem parte de fantasia, de fatos de campanha eleitoral e de outras pessoas que botam tudo na onda para criar o efeito manada”, num julgamento “profundamente influenciado por uma campanha”.

Questionado sobre o fato de ter presidido um PT que manteve relações próximas com Marcos Valério, apontado como operador do ‘mensalão’, o deputado garantiu que apenas “fazia política” e insistiu que não teve reuniões nem fez visitas ao publicitário mineiro. “Como presidente do PT, eu cuidava das alianças políticas, das alianças eleitorais. Eu não aceito ser condenado como criminoso por uma prática que eu não pratiquei”, afirmou.

O parlamentar lembrou que não “teve uma prova” de que um deputado recebeu dinheiro em troca de voto e mostrou uma tabela da Receita Federal referente à  Visanet, apresentada pelo consagrado jornalista Raimundo Pereira na edição de novembro da Revista Retrato do Brasil, que mostra “que todo aquele dinheiro da Visanet foi pago por eventos que ocorreram, promoções que aconteceram, veiculação de propaganda que não têm nada a ver com o PT”, numa comprovação, segundo ele, de que não houve envolvimento de dinheiro público.

José Genoino não acredita que o PT tenha se corrompido no poder, como sugeriu o entrevistador, mas admitiu que deveria ter priorizado uma reforma política já em 2003 para garantir o financiamento público, proibindo a ação de empresas privadas e fidelidade partidária. Ele reafirmou que “não é verdade” que tenha havido corrupção por parte do PT no poder: “Ninguém comprou voto, não tem nenhuma prova e não houve uso de dinheiro público, está aqui o documento da Receita Federal”.

Afirmando ao jornalista que tem um “compromisso radical com a democracia”, o deputado do PT lembrou de episódios como sua prisão e a passagem pelo “pau-de-arara”, durante o período da ditadura militar, e o fato de não ter “título de doutor”, tudo em luta pela democracia. Apesar de se recusar a conversar sobre as formas de recurso que acionaria contra sua condenação, o parlamentar não disse que descarta recorrer à  Corte Interamericana de Direitos Humanos. “Pretendo lutar em qualquer situação para defender que não pratiquei crimes”, disse.

Polêmica com o CQC

Genoino disse ter “uma posição muito crítica em relação a esses programas de humor”, numa referência ao CQC, da TV Bandeirantes, que recentemente entrevistou o deputado por meio de um garoto, que se passou por um admirador. “Eu faço questão de nem citar esse programa porque o humor que ataca a pessoa, que faz execração pública e até usa uma pessoa para criar uma situação de constrangimento é um fenômeno de intransigência”. Ele disse que se recusa a dar entrevistas para não legitimar esse tipo de programa e agradeceu à  blogosfera pelo apoio concedido a ele no episódio. Um conselheiro do Ministério Público chegou a entrar com duas ações contra a atitude do humorístico (leia aqui).

Ele lembrou que quando se concede entrevista a um programa como o CQC, ela é “enfeitada”, “colorida”, recebe “adereços”, e que por isso “não compensa”. O petista disse que dá qualquer tipo de entrevista, seja dura ou não, mas desde que seja uma entrevista. “Eles têm o direito de estar lá, mas eu tenho o direito de não dar entrevista. Porque as perguntas são provocativas, as perguntas são de ataque, não têm o nível respeitoso de transmitir a informação”. Segundo ele, “esse tipo de jornalismo não é para levar a informação, é para levar a execração”.

21 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Esse bandidinho já era para estar atrás das grades, unto com Zé Dirceu e toda a quadrilha do PT.

  2. LEIO OS COMENTARIOS E ACHO ENGRAÇADO, O POVO QUE É LIGADO AO GOVERNO FEDERAL O QUAL ESTA ENVOLVIDO NO MENSALÃO, SEMPREEEE FOGE DO ASSUNTO, A NOTA É FALANDO SOBRE O ENVOLVIMENTO DO LADRÃO DO GENOINO, E ELES A CORJA DO PT, JA ENTRA NO ASSUNTO DE PRIVATIZAÇÃO, SÃO DUAS COISAS TOTALMENTE DIFERENTES, O MENSALÃO DEU MUITO MAIS LUCRO PARA OS BOLSOS DOS ENVOLVIDOS DO QUE UMA PRIVATIZAÇÃO, E O ENGRAÇADO TB, OS BURROS DEFENDEM LADRÕES QUE ROUBARAM O DINHEIRO DO POVO, OU SEJA DESSES “INTELIGENTES” QUE DEFENDEM OS MENSALEIROS, E PIOR NÃO GANHANDO NEM R$1,00 NESSA ROUBALHEIRA RSRSRSRS!!!
    E TEM MAIS UMA ATÉ ONDE EU SEI QUEM ANDA COM MUITA VONTADE DE PRIVATIZAR ALGUMAS COISAS, É A DILMA E A GLEYSI, ENTAO ANTES DE FALAR OLHE PARA O PROPRIO RABO.

  3. Santo Genuíno, homem honesto, trabalhador, vítima das opressões malígnas, que tal 2 kg de tomates pra liberar uma verba pra construção de um novo hospital em Fazenda Rio Grande, será que rola???

    • Dá Nojo, ver Tv, entrevistadores, abrindo espaço para um Pulha destes, vir falar merda, Devia ter um pingo de vergonha na cara e sair da CCJ, Um condenado numa Comissão De Justiça do Congresso, Só nessa Porra de Pais

      • Decepção esse Genoino.

      • VEM AI A PRIVATARIA TUCANA VOLUME 2

        • VEM AI A PRIVATARIA TUCANA VOLUME 2

          Um livro para você ter nojo de ler!

          • Afinal de contas, a dissiminação, o lançamento, a confecção, a produção desta PRIVATARIA TUCANA 1,2,3 E ETC, que inclusive acredito ser de boa conduta, serve para que??? Para justificar as negociatas do atual governo? Todas as vezes que surge essa cambada de ladrões na mídia, sempre tem um de “vocês” apresentando a PRIVATARIA TUCANA, como fonte para comparação, como se estivessem se justificando argumentando…”SE ELES FIZERAM NÓS TAMBEM FAZEMOS…” SÃO TODOS USURPADORES da vida do povo brasileiro. TODOS merecem estarem no CARANDIRU. Pena que não dá pra prender esse pessoal lá pro Coronel fazer um carinho!

  4. Este professor estadual deve ser do time que votou no guri de prédio.
    Não há nenhuma prova concreta do mensalão.
    Este caso foi julgado (e unilateralmente) por possíveis evidências.
    Vá estudar, porque se tu estás passando isto para teus alunos, coitados deles, vão ser analfabetos a vida toda

    • Tu tens certeza que tu és de Palmas mesmo? Com estes pensamentos PTistas, tu deves ser do ABC paulista, um sindicalista pelego que tá mamando em alguma autarquia ou coisa que valha! Tome vergonha nessa sua cara lambida rapá, como dizia a sua senhora honrosa avó! Vá trabalhar vagabundo e pare de defender esses ladrões, a não ser que tu tambem seja um deles. Sandor Mendes, aposentado, Curitiba/Pr.

  5. Esmael!

    Com todas as provas possíveis do Caso Mensalão vc ainda esta defendendo esta corja?

    Que palhaçada heim ………..

    • Até agora não foi apresentada uma prova sequer do mensalão,somente acusações. Enquanto os advogados apresentavam a defesa dos réus Joaquim Barbosa dormia, ou seja a condenação já estava decidida. Querem mesmo é acabar com o PT pois a elite direitosa, burguesa não engole um Presidente que veio do Trabalho e não do capital. “A verdadeé uma quimera”? “A literatura me permite condenar sem provas”? Frases ditas durante o julgamento . Oras me economize. To ainda esperando as provas. Julgamento midiático sim e político.

      • Não há provas??? em que sintonia você vive? Extratos Bancários, Quebras de Sigilos Telefonicos e Bancarios, Pagamentos de propinas, Prestações de contas dos partidos irregulares no TSE, Depoimentos do Deputado Roberto Jefersom afirmando que recebeu.. isso não é prova pra você? Que provas você quer???? Se fosse como você diz o Min Publico não teria dado seguimento no Processo, tanto que o Lula, não foi Julgado, pois não havia provas, agora com o Depoimento e acusações do Valério ele (lula) esta sendo Investigado. Pare por favor de defender quem roubou a Nação.

        • Caro tucanalha Fala Sério, leia isso:
          “Mercado de Voto
          Deputado diz que vendeu seu voto a favor da reeleição por R$ 200 mil

          13/05/97
          Editoria: BRASIL
          Página: 1-6

          FERNANDO RODRIGUES
          da Sucursal de Brasília

          O deputado Ronivon Santiago (PFL-AC) vendeu o seu voto a favor da emenda da reeleição por R$ 200 mil, segundo relatou a um amigo. A conversa foi gravada e a Folha teve acesso à fita.
          Ronivon afirma que recebeu R$ 100 mil em dinheiro. O restante, outros R$ 100 mil, seriam pagos por uma empreiteira -a CM, que tinha pagamentos para receber do governo do Acre.
          Os compradores do voto de Ronivon, segundo ele próprio, foram dois governadores: Orleir Cameli (sem partido), do Acre, e Amazonino Mendes (PFL), do Amazonas.
          Todas essas informações constam de gravações de conversas entre o deputado Ronivon Santiago e uma pessoa que mantém contatos regulares com ele. As fitas originais estão em poder da Folha.
          O interlocutor do deputado não quer que o seu nome seja revelado. Essas conversas gravadas com Ronivon aconteceram ao longo dos últimos meses, em diversas oportunidades.

          Outros venderam
          Nas gravações a que a Folha teve acesso, o deputado acreano diz não ser o único parlamentar que se vendeu na votação da reeleição, no último dia 28 de janeiro, quando a emenda foi aprovada, em primeiro turno, com 336 votos favoráveis na Câmara.
          ”O Amazonino marcou dinheiro para dar (R$) 200 (mil) para mim, 200 pro João Maia, 200 pra Zila e 200 pro Osmir”, diz Ronivon na gravação.
          Os personagens citados são os deputados federais João Maia, Zila Bezerra e Osmir Lima, todos do Acre e filiados ao PFL.
          Outro parlamentar também recebeu dinheiro para votar a favor da reeleição, conforme explicação de Ronivon.
          Eis como Ronivon menciona esse fato em suas conversas: ”Ele (Amazonino) foi e passou (o dinheiro) pro Orleir (…) Mas no dia anterior ele (Orleir) parece que precisou dar 100, parece que foi pro Chicão, e só deu 100 pra mim.”
          Na gravação, Ronivon fazia referência a deputados do Acre. O único deputado do Acre conhecido como Chicão é Chicão Brígido (PMDB), que, sempre segundo as conversas de Ronivon, entrou no negócio na última hora. Por isso, Orleir Cameli precisou de mais dinheiro e teve de dividir uma das cotas de R$ 200 mil.
          Em alguns momentos, entretanto, o deputado sugere que Chicão Brígido e João Maia também receberam apenas R$ 100 mil.
          Dos 8 parlamentares acreanos na Câmara, 6 votaram a favor da emenda da reeleição e 2 contra.

          Venda corriqueira
          Ronivon tem comentado a sua venda de voto a favor da reeleição como se fosse algo corriqueiro. Fala com vários colegas deputados. Algumas dessas conversas casuais é que foram gravadas.
          Nessas gravações, o deputado revela detalhes de toda a operação.
          Primeiro, Ronivon diz que foi contatado pelo governador do Acre, Orleir Cameli. Em troca do voto a favor da emenda da reeleição, cada deputado recebeu R$ 200 mil. O pagamento foi por meio de um cheque pré-datado -deveria ser depositado só depois de a votação ter sido concluída favoravelmente ao governo.
          As fitas apontam que, nos dias que antecederam a votação, cheques nesse valor foram entregues para, pelo menos, quatro deputados acreanos: Ronivon Santiago, João Maia, Osmir Lima e Zila Bezerra.
          Na gravação, Ronivon afirma que os cheques eram do Banco do Amazonas, em nome de uma empresa de Eládio Cameli, irmão de Orleir Cameli.
          Apesar de tudo acertado, a operação acabou não agradando aos deputados nem ao governador acreano. O arrependimento se deu na véspera da votação da reeleição. Era uma segunda-feira, dia 27 de janeiro passado.

          ”Você é infantil”
          De acordo com Ronivon, em conversas posteriores à venda de seus votos, os parlamentares começaram a avaliar que poderiam ser logrados depois da votação. Nada impediria, pensaram, que os cheques fossem sustados.
          Já aos ouvidos de Orleir Cameli chegou um alerta importante do seu colega do Amazonas, o governador Amazonino Mendes.
          Segundo Ronivon relata a seu amigo, Amazonino foi precavido e disse o seguinte a Cameli: ”Você é tão infantil, rapaz. Vai dar esse cheque para esse pessoal? Pega um dinheiro e leva”.
          Depois dessa sugestão de Amazonino Mendes, conta Ronivon Santiago, o governador do Acre ”pegou todo mundo e deu a todo mundo em dinheiro”.
          O dinheiro, emprestado a Orleir por Amazonino Mendes, só foi entregue aos parlamentares na manhã do dia da votação do primeiro turno da emenda da reeleição, 28 de janeiro, uma terça-feira, conforme a gravação.
          A entrega dos R$ 200 mil, em dinheiro, para cada deputado, foi feita mediante a devolução dos cheques pré-datados -que foram rasgados na frente de Orleir, segundo relato de Ronivon .
          A troca dos cheques por dinheiro ocorreu em um local combinado em Brasília. Cada deputado se apresentou, rasgou seu cheque na hora e recebeu o pagamento em dinheiro dentro de uma sacola.
          ”Aí chegou o Osmir, estava lá com a sacola assim… (risos). João Maia com a outra”, relata Ronivon, de bom humor, a cena da manhã que antecedeu a votação.
          ”Sou leso?” Endividado, Ronivon diz que usou o produto da venda de seu voto para diminuir débitos bancários. O deputado disse que saldou uma dívida de ”196 pau” (R$ 196 mil) que tinha contraído em bancos. Nas suas conversas, o deputado cita quatro bancos onde contraiu dívidas: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco de Brasília e Banacre (do governo do Acre).
          Ronivon diz que aproveitou também o dinheiro obtido com a venda de seu voto a favor da reeleição para resgatar cheques sem fundos que havia emitido.
          Cauteloso, não quis fazer os pagamentos logo depois da votação da reeleição. ”Sou leso?”, pergunta aos risos para seu interlocutor em uma das gravações.
          ”Leso”, segundo o ”Novo Dicionário Aurélio”, significa ”idiota” e ”amalucado”. A pronúncia correta pede que a primeira sílaba seja tônica: ”lé-so”.
          Para evitar que fosse rastreado o dinheiro, Ronivon explica que saldou totalmente suas dívidas apenas no início de março -quando dá a entender que já teria recebido todo o pagamento pelo seu voto.”
          http://www1.folha.uol.com.br/folha/circulo/pre_mer_voto_1.htm

        • A PRIVATARIA TUCANA

      • Professora da Rede Estadual.

        Acho que o comentário do “Fala Sério” diz tudo.

        Procure se informar! Se vc realmente é uma professora, tenho muita pena dos seus alunos!

  6. As chances de recorrer estão mortas
    com o Joaquim não há quem possa…
    Pode até ser encenação, mas é tudo de verdade. O Genuíno que vá pra cadeia e pare de perder tempo, seis anos passam rápido, depois tem a condicional, sai mais rápido..O Barbosão não vai voltar atrás e ninguém vai ter coragem de peitar ele…
    Outra solução seria fugir para a Venezuela ou Cuba..

    • voce esta dizendo que o Homem Morcego Barbosão vai fugir para a Venezuela ou Cuba?

      esta AP 470 vai dar muito o que falar ainda, realmente muitos documentos escondidos, vou ficar aguardando a reação nos tribunais.

      queira ou não vou ter que dar risada do nosso Judiciário por tantos erros cometidos.

      • Estou falando que se o Genuíno quiser ficar na boa vai ter que ir pra Cuba ou Venezuela. E agora o carrasco já armou a forca na praça e quer executar os condenados..Se não fugir, ou deixe ele enforcar ou enforca o carrasco, que é mais difícil..
        A gente até pode dar risada do carrasco, mas talvez os condenados não tenham motivo para tanto riso.

  7. blá blá blá…se fosse um condenado do PSDB ele estaria achando justo. Aliás, alguém já viu outro alguém achar justa punição imposta por Tribunal? E sobre o caso envolvendo o irmão e dólares na cueca, ele se pronunciou?