Charge do dia: Lula no NYT deixa FHC à  beira do suicídio

Charge de Sinovaldo - Jornal NH (RS).

Charge de Sinovaldo – Jornal NH (RS).

12 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. É para ver a que nível está a imprensa. Tanto lá como aqui, um lixo.

  2. Aos “espertinhos comentáristas” até o Obama tem quem escreva seus textos que será lidos para a sociedade americana.

    ANALFABETO É QUEM NÃO TEM O QUE DIZER

    No jornal Correio do Povo do dia 25 de abril, o jornalista e escritor Juremir Machado da Silva, arrebenta com os preconceituosos que não engoliram o fato de Lula ter se tornado colunista do jornal mais influente do mundo, o The New Yor Times. Para Juremir “SABER ESCREVER É MUITO MAIS DO QUE DOMINAR REGRAS GRAMATICAIS. SABER ESCREVER É TER O QUE DIZER E TER UM JEITO PRÓPRIO DE FAZER ISSO…” Lula sabe. Leia, abaixo, a íntegra do texto de Juremir:

    O GRANDE VENCEDOR

    Minha admiração por vencedores não tem tamanho. Em todas as áreas. Admiro principalmente os que vencem pelas próprias forças contra tudo e todos. Minha admiração por Dunga é incomensurável. Por Felipão também. Já critiquei o atual treinador da Seleção, mas sem perder a admiração. Dunga e Felipão parecem sempre mal-humorados. No caso deles, é qualidade. Vem da sinceridade à flor da pele. Admirei um vencedor até as últimas consequências: o escritor argentino Jorge Luís Borges, que ficou cego. Admiro o mulato Machado de Assis, que se tornou nosso maior escritor. Enfim, admiro os que arrombam a festa. Admiro Roberto Carlos, Caetano Veloso e Chico Buarque.

    Aprendi a admirar o maior vencedor do Brasil contemporâneo: Lula.
    Que trajetória espantosa! O menino retirante de Pernambuco superou todas as expectativas e continua a nos embasbacar. Lula é um gênio da comunicação e da política. Um Pelé da esfera pública. A minha admiração por Lula acaba de dar mais um salto. Ele será colunista do jornal mais prestigioso do mundo: o americano The New York Times. Nem o sofisticado doutor Fernando Henrique Cardoso, que eu saiba, conseguiu tal façanha. Lula terá como colegas gente do quilate de Paul Krugman, prêmio Nobel da economia. É conto de fadas dos bons. O menino pobre, não pela bola, mas pela inteligência política, galga todos os degraus, torna-se presidente do Brasil, fascina boa parte do mundo e torna-se colunista do jornal mais influente da galáxia. Uau!

    É para matar de raiva os preconceituosos que o chamam de analfabeto e para fazer explodir de inveja os elitistas. Tenho minhas decepções com Lula e com muitos daqueles que admiro, mas isso não anula o essencial: as razões para continuar admirando. Jamais gostei das alianças de Lula e acho que em alguns momentos ele foi Lulla. Mas que fera política, que inteligência superior, capaz de, independentemente de educação formal, colocá-lo acima dos seus concorrentes num “mercado” altamente competitivo.

    Saber escrever é muito mais do que dominar regras de gramática. Saber escrever é ter o que dizer e ter um jeito próprio de fazer isso. Lula é possivelmente o maior comunicador da história do Brasil. Um monstro. Este Brasil teve na sua história três grandes políticos: Getúlio Vargas, João Goulart e Lula. O primeiro, por mudar o Brasil, saiu morto do palácio. O segundo, por colocar o país em risco de uma melhora substancial, especialmente no campo, foi derrubado, enxovalhado e transformado em homem fraco. O terceiro veio do nada e nada temeu: impôs-se como um revolucionário reformista, aceitou jogar o jogo até quando as cartas se embaralham, não morreu, não caiu, fez sua sucessora e agora vai mostrar suas ideias ao mundo nas páginas do The New York Times. É mole? É simulação? É coisa para quem tem bala na agulha, farinha no saco e fala outra linguagem, não a dos bacharéis, mas a dos transformadores do mundo.

    Estou tendo um acesso de lulismo? É uma confissão de petismo? Nada disso. Apenas uma maneira de mostrar o quanto admiro os que vencem pelo talento. Poderia dizer o mesmo do conservador Charles de Gaulle. Ou até da recém-falecida Margaret Thatcher. O talento de uns melhora o mundo, o de outros piora

  3. O Fernado Henrique deve estar mijando aos pinguinhos de TANTA preocupaçao com isso!!! Quanta BOBAGEM

  4. O Lula não precisa escrever para os membros da ABL,nem para professores de portugues.Precisa escrever o que o mundo quer saber,a formula de como conseguiu tirar milhões da pobreza.
    O NYT está precisando se reciclar das mumias que escreviam sobre cassandras e lero lero.O bundão FHC escreveu o que ninguem quiz ler,nem seus partidarios.
    O Lula será lido bem mais,até por causa da curiosidade de como um auto didata
    faz para ser tão notado e ser hoje um estadista do mundo.
    Eu só estudei 4 anos,tenho meus erros de concordancia,mas tambem sou bem lido nos blogs.
    Eu me sinto um cara humilde e simples……simplismente o maximo.

  5. Nosssa na boaaa, o Lula deve estar pagando para ter uma coluna no NYT, um cara “estudado” como ele em um jornal extremamente iimportante… ai tem coisa errada!!! coitado do povo americano que le o jornal!

    • OH cara abestado! o diploma universitario de lula ele conseguiu com muita garra, nao foi numa universidade qualquer, foi a vida que o ensinou. foi president da republica e mandou bem, pois o fernandinho no chinelo.

      lula e aclamado no m undo inteiro.

    • Coitado dos leitores,assinamtes da revista de merda VEJA!!!!

  6. Mas, o Lula não sabe nem escrever em português, quanto mais em inglês!

  7. Hummmmm

    Esmael, quem vai escrever para o Lula?

    Um informativo de importância mundial precisa de otimos colunistas!

  8. E sem falar que a taxa de desemprego no Brasil dos últimos 12 anos é a menor registrada em março pelo Ibge de apenas 5,7%, enquanto que na Espanha essa taxa é de 27%. chupa que é de uva, turma do Betinho, Tralha, Rossoni:
    http://www2.planalto.gov.br/imprensa/noticias-de-governo/desemprego-no-brasil-em-marco-e-o-menor-da-serie-historica-iniciada-ha-12-anos-diz-ibge