Richa se inspira em Aécio para privatizar serviços no Paraná

Afilhado de Aécio, Sadala foi um dos participantes da célebre viagem que culminou com a animada dança dos guardanapos! num restaurante de luxo de Paris. Sadala foi fotografado trocando passos, além do governador do Rio, com Fernando Cavendish !“ o dono da famosa construtora Delta. Será que os iguais se atraem?

Afiliado de Aécio, Sadala foi um dos participantes da célebre viagem que culminou com a animada dança dos guardanapos! num restaurante de luxo de Paris. Sadala foi fotografado trocando passos, além do governador do Rio, com Fernando Cavendish !“ o dono da famosa construtora Delta. Será que os iguais se atraem?

O jornalista Celso Nascimento, colunista do jornal Gazeta do Povo, prospectou relações entre o dono da empresa que faz a consultoria para terceirizar (privatizar) serviços — Shopping do Cidadão — e o senador mineiro Aécio Neves, ex-governador do PSDB.

Segundo o colunista, o empresário Georges Sadala, proprietário do Shopping do Cidadão foi quem formatou a privatização dos serviços em Minas Gerais, Ceará, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e que agora se prepara para abocanhar R$ 20 milhões para instalar no Paraná nove unidades do projeto Tudo Aqui!.

Sadala é afilhado de casamento de Aécio, em cujo período como governador de Minas Gerais iniciou-se o processo de implantação do UAI (Unidade de Atendimento Integrado).

O governo de Beto Richa (PSDB) se inspirou na privatização tucana de Aécio ao pretender pagar R$ 3 bilhões em 25 anos pela implantação e administração das unidades do “Tudo Aqui” !“ três em Curitiba e seis no interior do estado. A licitação vai ocorrer no próximo dia 25 de abril.

A seguir leia a íntegra da coluna de Celso Nascimento:

à‰ tudo aqui, uai!

Sob protestos da oposição, que de novo vê a privada metendo a mão na coisa pública, o governo estadual se prepara para instalar no Paraná nove unidades do projeto Tudo Aqui! !“ estruturas que, a exemplo das Ruas da Cidadania criadas pelo prefeito Rafael Greca em 1996, se propõem a centralizar o atendimento de 171 serviços municipais, estaduais e federais mais demandados pela população.

Vai ter licitação dia 25 de abril para interessados em participar da PPP (parceria público-privada). Ganha quem mostrar mais capacidade para merecer os R$ 10 milhões por mês (R$ 3 bilhões pelos 25 anos previstos no contrato) que o governo promete pagar pela implantação e administração das unidades !“ três em Curitiba e seis no interior do estado.

à‰ bem verdade que pode dar chabu e a licitação tenha até de ser adiada. à‰ que o Tribunal de Contas, ao contrário do usual, não foi previamente consultado sobre os termos do edital. Em nota, o presidente do TC, conselheiro Artagão de Mattos Leão, e o chefe da 1.!ª Inspetoria, conselheiro Nestor Baptista, mostraram-se irritados: não conhecem o projeto e, portanto, não o avalizaram. E também não autorizaram ninguém a falar em nome da instituição.

O Tudo Aqui! não é exatamente algo original. Além das pioneiras Ruas da Cidadania existentes em Curitiba que funcionam sob administração direta da prefeitura, estruturas semelhantes, porém terceirizadas, já estão em operação em outros estados, como Minas Gerais, Ceará, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás… Guardam entre si uma semelhança: os projetos foram todos elaborados por uma empresa de nome Shopping do Cidadão !“ na verdade um consórcio do qual fazem parte outras empresas.

A diferença é que em cada lugar o mesmo projeto toma nomes diferentes. No Ceará, é Vapt Vupt!; em São Paulo, Poupa tempo!; em Minas é UAI (Unidade de Atendimento Integrado). No Paraná será Tudo Aqui! !“ mas com igual origem: quem elaborou o projeto paranaense foi a mesma Shopping do Cidadão !“ única empresa que, em 2011, se apresentou para a concorrência de R$ 20 milhões para planejar as estruturas.

Quem comanda é um dos consorciados da Shopping do Cidadão? à‰ o empresário Georges Sadala, afilhado de casamento do senador Aécio Neves, em cujo período como governador de Minas Gerais iniciou-se o processo de implantação do UAI, concluído depois pelo vice-governador Antonio Anastasia, que lhe sucedeu.

Sadala estendeu seus negócios para outros estados graças à s ligações de amizade com vários governadores !“ dentre os quais, por exemplo, o do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Tão amigo que, em 2012, foi um dos participantes da célebre viagem capitaneada por Cabral e que culminou com a animada dança dos guardanapos! num restaurante de luxo de Paris. Sadala foi fotografado trocando passos, além de Cabral, com Fernando Cavendish !“ o dono da famosa construtora Delta.

Comentários encerrados.