Procura-se [desesperadamente] candidato de oposição a Dilma

Barões da mídia não conseguem forjar candidato oposicionista à  altura de Dilma; tentou-se Joaquim Barbosa, do STF, e o senador mineiro Aécio Neves; agora se experimenta o governador pernambucano Eduardo Campos, mas a "jaca" pode sobrar até para o governador paranaense Beto Richa; o eterno freguês dos petistas, José Serra, quer disputar, mas o problema é que nem o PiG aguenta mais o tucano. A procura continua, portanto.

Barões da mídia não conseguem forjar candidato oposicionista à  altura de Dilma; tentou-se Joaquim Barbosa, do STF, e o senador mineiro Aécio Neves; agora se experimenta o governador pernambucano Eduardo Campos, mas a “jaca” pode sobrar até para o governador paranaense Beto Richa; o eterno freguês dos petistas, José Serra, quer disputar, mas o problema é que nem o PiG aguenta mais o tucano. A procura continua, portanto.

Pelo jeito, a velha mídia já desistiu da candidatura do senador mineiro Aécio Neves (PSDB). Busca agora um novo super-herói, depois do ensaio em torno da farsa chamada Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os barões da mídia flertam com o governador pernambucano Eduardo Campos (PSB), cuja legenda integra a base de sustentação de Dilma Rousseff no Congresso Nacional. Imaginam que se dividir a tropa da petista estão marcando um gol.

O socialista vai esticar a corda, pois, mesmo que a movimentação não resulte em uma candidatura à  presidência, o cacifa para o jogo de 2014.

E se mais esse projeto do PiG (Partido da Imprensa Golpista) bater na trave? Ora, outros serão produzidos.

Na fila da candidatura oposicionista estão o eterno adversário e freguês do PT, ex-governador José Serra, e até o governador do Paraná, Beto Richa. Ambos são tucanos.

Como diz o ditado: Se não tem tu vai tu mesmo!.

Comentários encerrados.