Neste sábado, intelectuais lançam “O Passeio Público é Nosso!”

Artistas, intelectuais, jornalistas e agentes públicos lançam movimento pela revitalização do Passeio Público, em Curitiba. Foto: Facebook/Dante Mendonça.

Artistas, intelectuais, jornalistas e agentes públicos lançam movimento pela revitalização do Passeio Público, em Curitiba. Foto: Facebook/Dante Mendonça.

Por iniciativa de intelectuais, políticos, putas, veados, moradores do entorno, será lançado neste sábado, dia 2 de março, a partir das 11h15, um plano de ocupação e revitalização do Passeio Público.

O vereador Hélio Wirbiski, líder do PPS e vice-presidente da Comissão de Urbanismo da Câmara de Curitiba, conta que também assumiu a causa e que pretende levar essa ideia para dentro do legislativo municipal.

Na internet, o movimento “O Passeio Público é Nosso!” foi encorpado e ganhou cara com a presença do jornalista e escritor Dante Mendonça à  frente do movimento.

O encontro deste sábado será no tradicional Pasquale — restaurante que foi a sensação da capital até o surgimento dos shoppings centers, nos anos 80 — regado a boa feijoada e caipirinha de primeira.

O prefeito Gustavo Fruet (PDT) e a primeira-dama Márcia O. Fruet, que fazem questão de viver e resgatar os ícones da cidade, devem passar pelo evento no Passeio Público.

O secretário Municipal da Cultura, Marcos Cordiolli, e sua namorada, a atriz Isadora Ribeiro, também deve marcar presença no lançamento do movimento “O Passeio é Nosso!”.

E você vai ficar em casa vendo a banda passar? Apareeeeça!

8 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Da próxima vez me chama, que eu vou… rs

  2. um shop ,ou um petshop seria legal ,no passeio publico! a quela agua esposta pode ser um ninho de dengue!tem as arvores ,mas não limpam ,nem ,as vassouras de bruxas que sugam as arvores .as arvores estão atacadas de parasitas . ter arvores dentro do seio urbano ,e como cultivar uma lavoura.tem que cuidar e semple combater plantas daninhas.meu comentario e estranho ,um agronomo florestal sabe do que estou falando!

  3. 100% a favor da revitalização do nosso Passeio Público!

    Não nasci no Paraná, mas saudosamente, ainda criança, passeava com meu falecido (precocemente) Pai, de pedalinho, num local onde hoje as pessoas são assaltadas à luz do dia, ou abordadas com propostas indecorosas, vindas de “trabalhadoras do sexo”, descaradamente, na frente de crianças! (Aconteceu comigo enquanto passeava com a filha de minha namorada…)

    Existe espaço para todos conviverem em paz, mas sem o respeito ao próximo, não vamos a lugar nenhum.

    Não sou contra “a mais velha das profissões” como alguns dizem, mas que está na hora de seguirem um código mínimo de boa conduta, está…

    Revitalizar o passeio já!

    Reconhecer o “direito” das trabalhadoras, também, mas exigir que reconheçam o nosso direito a não sermos interpelados publicamente, que também seja feito!

  4. Esmael, parabéns por empunhar mais essa bandeira em defesa da nossa cidade. Gostei de vê-lo e conhecê-lo. Você realmente é um homem encantador e perspicaz. Outra vez, parabéns pelo seu engajamento nessas causas justas. Continue assim. Brinde-nos sempre pelo seu jornalismo alternativo e inteligente.

  5. MEIO FIO
    Aff.. baixou memso o nivel da discussão. Chegou a baixo do meio-fio.
    Mas polemicas à parte, bla, blá, blá de “intelectuais”. Tenho ido sempre aos sábados no tradicional ponto de encontro que foi nos anos 80. Nunca vejo os tais “intelectuais” e os tais “poíticos”. Digo tais, pq muitos intelectuais e muitos políticos tem frequentado lá sem este blá, blá, blá, blá.

    Como sere digo: teoria sem prática é como missa sem padre. OU então como dizia o saudoso Geraldo Vandré: quem sabe faz a hora. Não fica anunciando e via de regra, frustrando.

  6. NOSSO DE QUEM ? NÓS QUEM? , Tem alguem à quem não deve pertencer o Passeio Público. A resposta esperada , os marginais não devem se apossar do passeio público. Putas, veados, ladrões e mendigos vão todos para a rodoviaria velha, antes que alguém mal intencionado os leve para no Batel.

    • Mas no Batel tem muitas putas (de calcinha de seda), Burgueses ( veados ), Ladóes entao??? nem da pra contar de tantos que tem naquele bairro, fora os Burgueses enrrustidos e as madames que colam velcro em meninas. Quer bairro mais promiscuo?? Não tem em Curitiba. Batel ganha de longe.

  7. Não compreendi qual foi a iniciativa das “putas” e dos “veados”. Milton Alves seria homossexual e por isso fora lincado no termo “veados”? Mas pelo que li ele não faz menção nenhuma da minoria em questão. Mesmo assim ainda careço de saber qual teria sido a inciativa das prostitutas.