Hugo Chávez piora e Venezuela expulsa espião norte-americano

via Opera Mundi e Brasil 247

Ministros e militares do alto escalão se reuniram no palácio presidencial da Venezuela após o governo anunciar que piorou o estado de saúde do presidente Hugo Chávez, que apareceu pela última vez em foto divulgada ao lado das filhas. Na sequência, o vice-presidente Nicolás Maduro anunciou a expulsão de um adido militar da Embaixada dos EUA em Caracas, sob a acusação de ameaçar a "estabilidade militar e política do país". Segundo ele, "há conspirações de caráter militar" na Venezuela. Partidários do presidente pregam união interna.

Ministros e militares do alto escalão se reuniram no palácio presidencial da Venezuela após o governo anunciar que piorou o estado de saúde do presidente Hugo Chávez, que apareceu pela última vez em foto divulgada ao lado das filhas. Na sequência, o vice-presidente Nicolás Maduro anunciou a expulsão de um adido militar da Embaixada dos EUA em Caracas, sob a acusação de ameaçar a “estabilidade militar e política do país”. Segundo ele, “há conspirações de caráter militar” na Venezuela. Partidários do presidente pregam união interna.

O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na tarde desta terça-feira (05/03) a expulsão do agente norte-americano David Del Monaco do país. Acusado de atividade ilegal, o adido militar terá 24 horas para deixar o território venezuelano.

“Há conspirações de caráter militar. Atividades ilegais que rompem convênios. Funcionário dos EUA atuando contra, tentou orquestrar golpe com militares. Adido militar expulso”, afirmou o vice-presidente venezuelano.

“Há circunstâncias particulares onde não nos cabe nenhuma dúvida de que forma parte do plano onde estão tentando influir. E me refiro à  situação de sabotagem elétrica em diferentes pontos do país. Já temos informações precisas de como tentam influir e gerar cada vez mais perturbações elétricas no sistema elétrico venezuelano. Estão jogando com fogo de maneira irresponsável”, continuou Maduro.

“Por trás de tudo isso, os inimigos da pátria e uma direita que não seguiu o conselho sábio que o povo nos deu de respeitar as circunstâncias que temos vivido e de respeitar o comandante Hugo Chávez, uma direita que perseguiu e assediou o comandante Hugo Chávez em toda a vida”, afirmou.

Piora

Chávez foi internado em dezembro do ano passado e, desde então, não faz declarações ou aparições pública. Diante da piora em seu estado de saúde, ministros e comandantes militares do alto escalão se reuniram no palácio presidencial da Venezuela nesta terça-feira. A piora na saúde do presidente aumentou as especulações de que seu período de 14 anos à  frente da Venezuela pode estar perto do fim.

Comentários encerrados.