Governo do Paraná não se entende sobre ataques do PCC

Motins em vários presídios do Paraná; PCC estaria dando as ordens; agentes penitenciários temem pelas suas vidas. Richa admite ataques de facções criminosas; secretário da segurança nega; em quem acreditar?

Motins em vários presídios do Paraná; PCC estaria dando as ordens; agentes penitenciários temem pelas suas vidas. Richa admite ataques de facções criminosas; secretário da segurança nega; em quem acreditar?

A contradição foi levantada pelo blogueiro e advogado Tarso Cabral Violin. O governador Beto Richa (PSDB) e seu secretário da Segurança Pública, Cid Vasques, estão batendo cabeças.

O governador tucano, em entrevista à  Joice Hasselmann, na RIC TV (Record), reconheceu que há articulação de facções criminosas no Paraná.

Já o secretário de Segurança desmentiu Richa na cara dura. Segundo Vasques, não há qualquer evidência de ações de facções criminosas dentro do Paraná, como por exemplo o Primeiro Comando da Capital (PCC).

Quem fala a verdade, o secretário Vasques ou o governador Beto Richa?

Enquanto isso, na vida real, a bandidagem faz a festa. Cinco ônibus foram atacados e incendiados em menos de uma semana no Paraná.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. um pais que é governado por homens de saia da nisso,ahhh se é os militares no poder, lembram eles mandavam matar mesmo que é para as cadeias ficarem vazias e nao gastarem dinheiro com vagabundos,o negocio é militares tomarem este pais de volta e acabar com este congresso,governadores,deputados tudo ai sim eu boto fé e quem nao gostou e fazer bico,pau de arara nele a verdade é esta doa q quem doer ja yo de saco cheio tchau

  2. Concenso neste desgoverno,só se for para a criação de cargos comissionados

  3. eu comentei uns tempos atraz: depois que a policia federal ,e o ministerio publico começou persguir politicos .o crime organizado cresceu. a maior culpa e da justiça .a justiça cuida mais dos politicos que dos foras da lei. o ministerio publico e a policia prendem pessoas empresarios medicos ,pois e mais facil .medico não anda armado e facil de prender .mas fora da lei tem confronto ,porque confronto ,né? mas confucio mandou lutar sem lutar. confucio mandou ajudar os pobres com cristo mandou .alguem ajuda ?eu queria entender esse termo lutar sem lutar !

  4. Prof. Natal,
    agora, expor a sua opinião ou ser filiado a um partido político é coisa de inocente útil. Vai se catar, intelectual de meia pataca!

  5. CONFUNCIO ESTAVA CERTO!!!

    *-Se não houvesse poder, não haveria bajuladores…não haveria corruptos!
    *-O poder corrompido afasta e aliena o povo (que já alienado por natureza)!
    *-A miséria, e a desesperança leva os mais fracos a buscarem as religiões…que são corruptas também! Já são 10 mil religiões para todos os gostos!
    O PÃO E CIRCO DA TV E DAS REDES SOCIAIS ANESTESIA UM POUCO NOSSA EXISTÊNCIA! GRATO

  6. ” O avestruz esconde a cabeça, mas deixa o traseiro para cima”

    *-Hoje 23 de março, mas uma notícia envolvendo crime organizado. Vítima uma enfermeira do sistema Prisional e listado para morrer o filho de um agente prisional e no norte do PR, mais ônibus foram queimados!

    *-O governador é mais franco, existe crime organizado nos 26 estados do Brasil. Maldita política…ficam brigando pelo poder!!! Uns “inocentes úteis” torcendo para um grupo ou outro. Grato

  7. Esmael e demais a sigla PCC é mais do que “glamurizar” bandido!

    Já é alguma coisa ás tais transferências de presos para outros estados! Mas com “bandido preso é fácil de lidar”! Mas o que se fará com os que estão soltos e tramando a próxima ação danosa e sangrenta?

    Esmael e demais a política e o Sistema de Segurança do Paraná segundo a imprensa paranaense e local inclusive a “PIG” (Partido da Imprensa Golpista) foram pegos de surpresa, pois, são gerenciados com base numa lógica neoliberal elitista que gosta de se iludir com propaganda e “shows pirotécnicos” para ostentação política sendo desligada quando não alienada nas periferias! Portanto fraca!
    E também não adianta a velha imprensa (a PIG) deixar de utilizar a sigla PCC nos noticiários com a “lógica manipuladora” do tipo “o que os olhos não leem, a política não sente” E isto, não significa, “glamurizar” o tal Primeiro Comando da Capital (PCC)! É debater o assunto com transparência e inteligência!
    Joice e demais vamos analisar esta questão friamente sem dar contornos políticos! Coisa do tipo quando o PSDB e quem lhes apoia e lhes seguem acusam a esquerda brasileira de alguma coisa dizendo que o PCC só age como age quando quer que o PT vença a eleição! Tal argumento não “cola” e não progride, ou seja, o PT ganhou a prefeitura de São Paulo! Ou seja, na capital paulista a elite rica neoliberal votou no PSDB e os trabalhadores pobres das periferias que são o maior eleitorado de lá e que convivem de perto com a criminalidade influenciada pelo PCC, votou no PT! Em São Paulo como bem sabemos pelos meios de comunicação e imprensa e no geral não é apenas o governo paulista que produz “políticas de segurança”. Há vinte anos, o mundo do crime também reivindica para si o papel de garantidor da ordem e operador da justiça em diferentes situações, grupos e territórios das periferias. Como ocorre e está ocorrendo em Curitiba e na Região Metropolitana! Qualquer cidadão (adolescentes, jovens e adultos) dentro do ônibus, dentro dos bares, dentro lanchonetes e dentro do mercado ou onde quer que tenha ajuntamento de duas ou mais pessoas, comentam e sabem dessa dinâmica do crime em diálogo estreito como se fosse uma rede de pesquisadores. Já conversei com pessoas simples que dentro de sua visão e linguagem, melhor que muito político ou pessoa detentora de cargo público consegue interpretar as relações entre as políticas estatais e as políticas do crime, que, coexistindo, conferem os limites atuais da ordem urbana que já foi percebido devido o sangue derramado de juízes, promotores de justiça, advogados, agentes penitenciários, policiais militares e civis em São Paulo. Que por sinal já começou aqui!
    O que o tal PCC quer?
    Conforme amplamente divulgado na imprensa nacional, percebe-se, salvo melhor pesquisa e juízo, seria o seguinte:
    1 ““ Reivindica reação a qualquer opressão do sistema contra os presos,mas também do preso contra o preso!
    2 ““ Quer que seja legitimada a sua autoridade no cárcere para poder aplicar políticas expressas de interdição do estupro, do homicídio considerado injusto e, posteriormente, do crack dentro das prisões sob seu “domínio e regime!”
    3 ““ Quer se firmar como interlocutor entre os gestores e funcionários dos presídios, para elaborar e fazer funcionar a disciplina nas unidades prisionais no sentido de proceder o ideal de “paz entre os ladrões” do Partido! Para que não haja guerra sangrenta contra grupos rivais e devido confrontos rotineiros com a polícia!
    Considerando os três (3) tópicos acima duas (2) perguntas não querem calar, ou seja:
    1 ““ Então para evitar a expansão do PCC no Paraná será preciso que o governo paranaense investia na ampliação do sistema penitenciário que fatalmente irá nutrir a referida facção criminosa aumentando ás metas de encarceramento, de construção de novas unidades prisionais e interiorização das prisões?
    2 ““ Considerando que isto vai naturalmente aumentar a população carcerária paranaense, como ocorreu com a paulista, que jogará dezenas de milhares de jovens nas cadeias e que devido á isto, será que ás prisões passarão a ser chamadas de “faculdades” e o PCC construirá novamente sua hegemonia no crime?

  8. Chega de discurso! Chega de discurso! Chega de discurso!”¦!

    Esmael e demais cade ás explicações, ás justificativas e os documentos que expõem a estrutura econômica e o lugar de destaque no cenário criminal paranaense ocupado pela facção criminosa PCC?

    Espero que o governo do PSDB no Paraná não faço o mesmo que o governo do PSDB em São Paulo chamando tudo isto de “lenda urbana!”
    Resultado lá: Policiais Militares e Civis, foram assassinados!
    Como em São Paulo conforme amplamente divulgado pela imprensa (Será que ás Polícias Militar e Civil do Paraná sabem?) aqui no Paraná o PCC está reunido com um comando principal tendo logo abaixo uma cúpula de conselheiros e estruturado através de centros decisórios e operacionais regionalizados, encadeados hierarquicamente partindo de localidades específicas (bairros periféricos das capitais ou unidades prisionais, ou seja, tem grupos em Piraquara, Colombo, São José dos Pinhais, etc”¦.) até áreas mais abrangentes de controle (divididas pelo código DDD), o PCC apresenta uma estrutura organizacional horizontal e, simultaneamente, um controle verticalizado das dinâmicas por ele engendradas. Por sua constituição como instância de mediação de conflitos, a facção atua de forma abrangente na resolução de litígios, sobretudo (mas não só) daqueles relacionados com a economia criminal, julgando, “condenando/absolvendo” e punindo. Baseia-se ainda num repertório ideológico por incrível que pareça “comunista-socialista” que reúne a ideia da luta contra a opressão do estado neoliberal e de direita (sic) e a necessidade da união “do crime” para combater seus principais inimigos, a polícia e a administração prisional. Conjuga, assim, de forma eficiente um poderoso discurso e uma complexa dinâmica apoiada em elementos econômicos e políticos que garantem a manutenção de sua hegemonia no mundo criminal na base do fuzil, metralhadora e outras armas de fogo modernas e também eficazmente letais!
    Que esta hegemonia (com seu poder paralelo e domínio das periferias) que fez e faz do PCC o “cadáver no armário” do governo paulista, não seja o mesmo aqui! Uma vez que expõe a fragilidade da tal “polícia comunitária”! Sabe por que? Por que a população amedrontada indiretamente “apoia” certos marginais alojados em suas comunidades!
    O que tem que haver (para superar a fantasia do discurso) é uma política centrada no confronto se for preciso violento , pois, sera inevitável!
    E que haja intensificação do encarceramento no limite máximo para que diminua os marginais que fornecem o material humano e os elementos ideológicos imprescindíveis ao fortalecimento do que se pretende combater!

  9. o beto richa passa e passará mas a polícia fica tendo um desgovernador ou não. o beto richa é muito fraquinho ele tem que deixar a polícia trabalhar.

  10. É amigo Marques, assino embaixo em tudo que você e disse e acrescento que foi nesse governo que o Ideb na educação do estado caiu, fui nesse governo que a Sanepar foi classificada de empresa de fachada pela Polícia Federal, foi esse governo que diz “amém” para as pedagieiras, foi esse governo que aprovou o tarifaço do Detran, foi nesse governo que a violência está correndo solta, com suspeita de ataques do PCC, foi nesse governo que está no SPC do governo federal, está com vários itens pendentes e não pode fazer empréstimo do gov. federal, foi nesse governo que chegou no limite prudencial da lei de responsabilidade fiscal, foi esse governo que só enrolou por bastante tempo o povo do litoral com os recursos pra atender os moradores atingidos por enchentes em 2011. Foi esse governo que foi contra a redução da conta da energia elétrica. Enfim, foram trocados vários secretarios e ainda o governo do PSDB está ingessado e amarrado, está de marcha ré.

  11. E o Playboy sabe alguma coisa? A coisa vem apodrecendo desde o tempo do Lerner. Piorou 10 vezes com o Requião e agora….salve-se quem puder.

    • engano seu, o Requião, resgatou o Paraná depois que o Lerner Quase acabou com ele. e entregou o Estado sem dividas ao beto. Teve Vários programas de Governo, obras e projetos. Houve erros? Sim,Em todo Governo há. Mas comparar ou querem dizer que os 2 mandatos do Requião, piorou o Estado é de um desconhecimento absoluto dos que houve. E ele Volta. Criticaram o Requião em segurar o emprestimo de U$ 350 mi, ao Beto, e ele tava certo de novo.

  12. Governo sem planejamento é assim mesmo, não tem definição em nenhum assunto.

    • Sem planejamento e política de longo prazo.
      Paulo,
      infelizmente, tudo é feito de improviso, no sentido de resolver os problemas que são noticiados pela imprensa. O que passa despercebido não merece a atenção deste desgoverno, ou seja, o cotidiano do paranaense.
      É o governo das aparências, do faz de conta, que tenta maquiar os péssimos serviços oferecidos para população através de uma campanha publicitária muito cara. É a política do “apagar incêndios a toque de caixa”, mantendo uma gigantesca base aliada através de cargos públicos.

      • Epa, na seguranca tem sim planejamento e politica a curto, medio e longo prazo. Se informe melhor.

        Sobre o resto do governo, nao sei.