Do pitbull de @BetoRicha para @Paulo_Bernardo: “Mentiroso”

Ademar Traiano, líder e conhecido como pitbull de Richa, chamou o ministro de Paulo Bernardo de "mentiroso"; medo de enfrentar Gleisi Hoffmann nas urnas, em 2014, está levando os tucanos à  loucura no Paraná.

Ademar Traiano, líder e conhecido como pitbull de Richa, chamou o ministro de Paulo Bernardo de “mentiroso”; medo de enfrentar Gleisi Hoffmann nas urnas, em 2014, está levando os tucanos à  loucura no Paraná.

A discussão política no Paraná chegou à s ruas. Não coloquem na mesma mesa o governador Beto Richa (PMDB) e o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, marido da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao Palácio Iguaçu. As chances de ocorrer desforço físico são enormes.

Para apagar o fogo com gasolina, nesta quarta-feira (27), véspera de feriadão, eis que surge com seu artigo ácido o líder do governo tucano na Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), chamando o ministro de “mentiroso” dentre outras coisas.

Nas contas de Paulo Bernardo, o Paraná recebeu em 2012 repasses do governo federal que somam R$ 3,8 bilhões. Na matemática futura de Traiano, diga-se de 2013, o Paraná só receberá R$ 1,6 bilhão, valor inferior aos destinados a Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Ao chamar Paulo Bernardo de “mentiroso”, o líder e pitbull de Beto Richa leva a discussão da rua à  cloaca (não confundir com Croácia). Na verdade, o tucano ficou magoado com a catracada! que o governador levou do ministro.

Ontem Bernardo mandou o governador tirar a bunda da cadeira e começar a trabalhar. Segundo o ministro, Richa só pensa em festar pelo estado.

A seguir, leia a íntegra do artigo de Ademar Traiano:

Paulo Bernardo agride o Paraná

Ademar Traiano*

O ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, deu demonstrações de desequilíbrio ao passar pelo Paraná nesta semana. Visivelmente transtornado, Bernardo, que é marido da ministra Gleisi Hoffmann, candidata do PT ao governo do Paraná em 2014, usou linguagem de botequim ao se referir ao governador Beto Richa.

Depois de ofender governador, o ministro agrediu o Paraná despejando dados inverídicos sobre os repasses de recursos federais. Afirmou que o Paraná é o Estado da região Sul que mais recebe recursos da União.

Os números corretos revelam justamente o contrário. Só esse ano o Estado contabiliza perdas de mais de R$ 1 bilhão em verbas federais. Pior ainda, cada paranaense recebe, em investimento do governo federal, R$ 76 por ano. à‰ menos da metade que recebe um gaúcho (R$ 170) e menos de um terço que ganha um catarinense (R$ 230).

Matéria publicada no dia 11/03/2013, na Gazeta do Povo, intitulada PR é o estado do Sul com a menor previsão de investimentos federais!, assinada pelo jornalista Guilherme Voitch, prova que Paulo Bernardo mente. O texto informa:

1) O Orçamento de 2013 prevê aplicação de R$ 1,6 bilhão em obras no Paraná. Rio Grande do Sul receberá R$ 2,6 bilhões e Santa Catarina, R$ 2 bilhões!.

2) As duas universidades federais paranaenses !“ a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) !“ vão receber R$ 1,4 bilhão para 2013. O valor é a metade do que está programado para as seis universidades federais gaúchas !“ R$ 2,8 bilhões!.

3) Na Saúde, o número também é desigual. O Hospital de Clínicas da UFPR irá receber R$ 183 milhões em 2013, ante R$ 608 milhões do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA)!.

Beto Richa vem trabalhando dia e noite pelo Paraná e seria de esperar que ministros paranaenses, como Paulo Bernardo e sua mulher, ainda que filiados ao PT, e enlouquecidos pela ambição política, ajudassem o Estado em Brasília. Não é o que acontece. Paulo Bernardo e os petistas paranaenses no ministério de Dilma trabalham incansavelmente para prejudicar o Paraná.

O Paraná tem R$ 2,4 bilhões em recursos do Banco Mundial e BNDES retidos em Brasília a pretextos pífios. Esse dinheiro, que poderia estar impulsionando nosso desenvolvimento, não é liberado por politicagem.

Paulo Bernardo, que não consegue sequer resolver os problemas de sua pasta – a telefonia é cara, caótica e de má qualidade – se dá ao direito de vir ao Paraná divulgar dados mentirosos, ofender o governador e agredir os paranaenses. Esse é o PT em estado puro – raivoso e descontrolado.

O Paraná é atacado pelo PT em diversas frentes. A ministra Gleisi Hoffmann defende a Medida Provisória 595, que trata dos portos. Ela quer retirar do Paraná controle sobre o Porto de Paranaguá e centralizar sua administração em Brasília, com isso o Estado perde o controle do seu porto.

O PAC das Concessões, que prevê investimentos de R$ 133 bilhões e a privatização de 7,5 mil quilômetros de rodovias e 10 mil quilômetros de ferrovias, lançado ano passado não atendia nenhuma demanda do Paraná. Para piorar, previa traçados ferroviários que riscariam Paranaguá do mapa.

Somente a mobilização feita pelo governador Beto Richa provocou mudanças nesse projeto sinistro. O Paraná é vítima de uma perseguição insidiosa, implacável e traiçoeira que teve agora, com a passagem do ministro Paulo Bernardo pelo Estado, o seu momento mais sórdido.

O Paraná é o 5!º Estado que mais contribui com receitas para a União, mas está em 23!º lugar no recebimento de recursos federais. Apesar da perseguição, o Paraná colhe resultados melhores que a média brasileira. Segundo o IBGE, a produção industrial do Paraná cresceu 11,3% em janeiro, quase 5 vezes mais que a média nacional de 2,5%. O Estado sustenta, com nossa enorme produção agrícola – de 37 milhões de toneladas neste ano – a prosperidade nacional. Tudo isso só aumenta a fúria do PT.

O ministro e a mulher agem, o tempo todo, concentrados em seu projeto político e não sentem constrangimento ao causar prejuízos ao Estado para atingir esse objetivo. Os paranaenses, orgulhos e altivos, saberão dar uma resposta a altura a todas essas agressões.

*Ademar Traiano é deputado estadual do PSDB e líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná.

Comentários encerrados.