Com histórico de atritos, Cristina Kirchner saúda novo papa Chico 1!º

do Brasil 247

"Em meu nome, em nome do governo argentino e em representação do povo do nosso país, quero saudá-lo e lhe expressar minhas felicitações por ocasião de ter sido eleito como novo pontífice da Igreja Universal", escreveu a presidente Argentina, Cristina Kirchner, em mensagem enviada ao papa Francisco I, eleito nesta quarta; relação de Bergoglio com os governos dos Kirchner, contudo, não é das melhores; o falecido Néstor Kirchner, antecessor e marido de Cristina, chegou a classificá-lo como um expoente da oposição contra seu governo.

“Em meu nome, em nome do governo argentino e em representação do povo do nosso país, quero saudá-lo e lhe expressar minhas felicitações por ocasião de ter sido eleito como novo pontífice da Igreja Universal”, escreveu a presidente Argentina, Cristina Kirchner, em mensagem enviada ao papa Francisco I, eleito nesta quarta; relação de Bergoglio com os governos dos Kirchner, contudo, não é das melhores; o falecido Néstor Kirchner, antecessor e marido de Cristina, chegou a classificá-lo como um expoente da oposição contra seu governo.

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, deixou de lado o histórico de atritos com o jesuíta Jorge Mario Bergoglio, eleito novo papa nesta quarta-feira, para felicitar o papa Francisco pela eleição.

“Em meu nome, em nome do governo argentino e em representação do povo do nosso país, quero saudá-lo e lhe expressar minhas felicitações por ocasião de ter sido eleito como novo pontífice da Igreja Universal”, escreveu a presidente Argentina em mensagem enviada ao papa.

“à‰ nosso desejo que tenha, ao assumir a condução e a liderança da Igreja, um frutífera tarefa pastoral, desempenhando tão grandes responsabilidades em favor da Justiça, da igualdade, da fraternidade e da paz da humanidade”, continua a presidente argentina. “Faço chegar a sua Santidade minha consideração e meu respeito”, finaliza Cristina.

Quem lê a mensagem nem imagina o vasto histórico de desentendimentos entre o outrora arcebispo de Buenos Aires e a família Kirchner. Pobreza, casamento entre pessoas do mesmo sexo, disputas no campo e o “clima de crispação” instalado no país, segundo Bergolgio, foram motivo de tensão nos últimos anos entre Igreja e governo na Argentina.

O pior momento dessa relação ocorreu durante o governo de Néstor Kirchner, ex-marido de Cristina e seu antecessor à  frente do país. Néstor chegou a classificar Bergoglio como um expoente da oposição contra seu governo na Argentina. “Nosso Deus é de todos, mas cuidado que o diabo também chega a todos, aos que usamos calças e a os que usam batinas”, dizia, no momentos de maior desentendimento.

Histórico

Os desentendimentos com os Kirchner chegaram perto de uma trégua no segundo ano de governo de Cristina, em 2008, quando, após trabalhar junto com o governo para mediar um conflito no campo, Bergoglio convidou a presidente para comparecer a uma missa e ela aceitou. Mas já em 2009 o então cardeal voltou a desferir palavras duras contra o governo, dizendo que “o pior risco é homogeneizar o pensamento”, em referência à  polarização incentivada pelo governo. A tensão foi aplacada por um encontro com a presidente na Casa Rosada, antes de uma viagem que ela faria ao Vaticano.

No ano seguinte, contudo, o projeto que acabaria por autorizar o casamento homossexual na Argentina começou a avançar no parlamento local, acirrando mais uma vez os ânimos entre governo e Igreja. Bergoglio liderou uma marcha contra o casamento gay e enviou uma carta a todos os sacerdotes incentivando-os a falar contra a questão e em defesa da família. Cristina reagiu: “Me preocupa o tom que o discurso adquiriu; se propõe como uma questão de moral religiosa e atentadora da ordem natural, quando na realidade o que está se fazendo é mirar uma realidade que está aí”.

Veja a mensagem, que a presidente argentina publicou em seu perfil no Twitter:
carta_cristina

14 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to tell you that I’m very new to blogs and really liked you’re blog site. Probably I’m going to bookmark your blog . You definitely have fabulous articles and reviews. Thank you for sharing with us your website.

  2. I just want to say I am just all new to weblog and certainly loved this page. Likely I’m want to bookmark your website . You definitely come with great writings. Thanks for sharing your webpage.

  3. Grande Argentina…
    Um Papa humilde e extremamente humano.
    Um jogador (Messi) que não é extravagante. Companheiro, humilde. Um cobra.
    Uma Presidente corajosa que enfrenta a imprensa golpista, ao contrário da sua vizinha que dá milhões aos meios de comunicação.
    Parabéns, hermanos…

  4. To Danado: você é um gênio. O que está fazendo nesse teclado, nesse blog? Tá perdendo tempo. Vai rezar para ser nomeado para algum carguinho em comissão no Vaticano! De preferencia , no Banco do Vaticano, ou nos escritórios de advocacia que nos EUA, fazem acordos para encerrar processos contra padres e bispos acusados de vários crimes contra a castidade. “Introitu ad altari Dei. Ad Deum qui letificat iuventute mea…” Sabe o que é isso, To Danado?

  5. querem acabar com a Igreja Católica… me desculpe tenho certeza absoluta que tu não professa fé alguma, tá mais pra atoa, que pra ateu, o mundo está perdido em todo lugar, não conheces as guerras de cada dia nos arredores das grandes cidades, onde mulheres, velhos, e crianças são explorados descaradamente por familias que perpetuam no poder a longos anos, os deixam a deus dará. vivemos tempos novos de comunicações instantaneas, essas lavagens celebrais não cola mais, vivemos tempo de quaresma, tempo de reflexão e mudança de compostura, aproveite e deseje um futuro brilhante ao FRANCISCO, águas passada não move moinho, é pra frente que se anda, O FRANCISCO humildemente, que orasse por êle, essa foi a sua primeira atitude, tu não tens
    nem credibilidade de se identificar, pois deve ser alguém que vive nas sombras
    antecipadamente, te peço perdão se fui duro, essa jamais foi a minha atenção.

  6. Esmael:

    Veja isso!

    Novo papa é associado a sequestros de jesuítas e bebê durante ditadura argentina

    http://esquerdopata.blogspot.com.br/2013/03/novo-papa-e-associado-sequestros-de.html
    ( minha análise: desde João Paulo II, os EUA nomeiam os Papas. E os piores possíveis, para usar em sua luta pelo domínio mundial. EScolher papas ruins, preconceituosos, torturadores, protetores de pedófilos é só uma maneira dos EUA acabarem com a Igreja Católica e venderem seus pedaços às igrejas “evangélicas” privadas que eles criam uma após a outra)

    Rede Brasil Atual

    Cardeal se orgulha de amizade com um dos comandantes da Junta Militar que em sete anos deixou 30 mil mortos, e foi chamado a depor em vários processos

    Anunciado hoje (13) como novo papa em uma votação tida como surpreendente, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio é investigado dentro de seu país pela colaboração com a ditadura. Nos dois processos mais famosos, responde pela ajuda que teria dado ao sequestro e à tortura de dois jesuítas e à apropriação de bebês, prática comum do último regime militar (1976-83).

    A participação de Bergoglio no governo responsável pela morte de 30 mil pessoas é antiga e famosa, mas os sinais mais claros surgiram ao longo da última década, quando, após a derrubada de leis que protegiam os repressores do passado, foi possível dar início a julgamentos. O próprio cardeal se orgulhava das boas relações com o comandante da Marinha Emilio Massera, integrante da primeira Junta Militar e responsável, em 1955, por derrubar Juan Perón durante a autodenominada Revolução Gloriosa ““ um golpe de Estado, na realidade.

    Foi na Marinha que se formou o principal campo de concentração do regime iniciado em 1976. A Escola de Mecânica (Esma, na sigla em castelhano) recebeu 5 mil prisioneiros, e menos de 200 deles saíram com vida. A causa Esma é uma das principais iniciadas nos últimos anos, e tem resultado em desdobramentos que alcançaram Bergoglio.

    Ciente disso, e ansioso pela possibilidade de assumir o papado em caso de renúncia de Joseph Ratzigner, Bento XVI, Bergoglio encomendou em 2010 uma operação de “limpeza” de seu nome. Segundo reportagem do jornal argentino Página12, o livro El Jesuíta foi escrito com a intenção de desfazer as más impressões criadas em torno do religioso pelo período em que comandou a Companhia de Jesus, entre 1973 e 1979.

    Em 2010, juízes do Tribunal Oral Federal número 5 foram até a sede do arcebispado de Buenos Aires tomar o depoimento do cardeal, acusado de trabalhar pelo sequestro e pela tortura de dois jesuítas em 1976. Naquele momento, Bergoglio comandava a Companhia de Jesus em San Miguel, e uma série de testemunhos o conectam ao crime.

    Francisco Jalics e Orlando Yorio, as próprias vítimas do sequestro, acusam Bergoglio de havê-los denunciado, em uma operação policial na qual desapareceram Mónica Candelaria Mignone,María Marta Vázquez Ocampo e Martha Ocampo de Vázquez. Em 2011, o jornalista Horacio Verbistky descobriu um documento do Ministério das Relações Exteriores e Culto da Argentina que corrobora a suspeita. Naquele momento, Jalics, húngaro, havia feito um pedido de renovação de seu passaporte. O informe da chancelaria aponta que Bergoglio apontou que havia “suspeitas de contato com guerrilheiros” e “conflitos de obediência”. A solicitação do jesuíta foi negada.

    Em 2010, o médico Lorenzo Riquelme, então com 58 anos, declarou que o grupo que o sequestrou e torturou saiu da sede da Companhia de Jesus. Militante da Juventude Peronista e do movimento cristão, Riquelme deu a declaração com base no que foi dito a sua mulher, também raptada. Ela trabalhava no Observatório de Física Cósmica de San Miguel, que passou de um reduto peronista a um lugar de atuação de homens infiltrados da Marinha e sob controle de Bergoglio.

    Mom Debussy, um jesuíta que tinha a confiança de Bergoglio, afirmou que algumas vezes o cardeal lhe contou sobre os projetos de Massera, sempre demonstrando simpatia pelo regime, e que pretendia vender à Marinha o Observatório de Física. Debussy disse ainda que os trabalhadores do Observatório eram demitidos pelo religioso depois de voltar das sessões de tortura.

    Outro documento oficial, datado de 1976, narra o que o líder religioso defendeu a comandantes militares. Advogou esclarecer a posição da Igreja Católica, de suporte ao regime, afirmando que “de nenhuma maneira pretendemos formular uma posição de crítica ao governo”, dado que um fracasso “levaria, com muita probabilidade, ao marxismo”.

    Em 2011, veio à tona a possível participação de Bergoglio em um caso de sequestro de bebês, uma prática adotada pelo regime, que executou várias mulheres grávidas ou com filhos pequenos. O Tribunal Oral Federal número 6 convocou o cardeal a depor no processo de Estela de la Cuadra, uma das fundadoras das Avós da Praça de Maio. Segundo Estela, o agora papa tem relevantes informações sobre o desaparecimento de sua sobrinha, Ana, roubada dos braços da mãe em uma delegacia de La Plata, cidade vizinha a Buenos Aires.

    No mesmo ano, a Justiça francesa determinou que o Judiciário argentino tomasse o depoimento de Bergoglio pela suspeita de participação no desaparecimento de um padre francês que morou na Companhia de Jesus. O testemunho de uma monja em 1984 já indicava a relação do então chefe da congregação com o sequestro que resultou nas mortes de Gabriel Longueville e do sacerdote Carlos de Dios Murias.

    Leia mais em: Blog Sujo : Novo papa é associado a sequestros de jesuítas e bebê durante ditadura argentina
    Under Creative Commons License: Attribution

  7. Um papa de origem humilde que saiu do meio de quem trabalha. Um homem que viveu no meio do seu povo e conheceu seus problemas, como Jesus de Nazaré…Sejam bem vindo Francisco I.
    E Cristina, meio maluquete, meio perdida, mas no fundo gosta muito do seu povo, está tentando acertar…

  8. Realmente, Prezado Esmael e Srs. Navegantes respeitosos para os dogmas da Igreja e dos mistérios que a ela são conferidos: FRANCISCO, A MAIOR CONQUISTA ECLESIÁSTICA DA AMÉRICA DO SUL. Mais um motivo de orgulho enquanto sul-americanos e que nos conduz às propostas de Lula e Dilma para o melhor ESTREITAMENTO e FORTALECIMENTO entre os povos da nossa região !. Então, que façamos o que ele – FRANCISCO – nos pediu humildemente: orem por mim (para o meu bom êxito no que concerne às necessárias reformas) !!.

  9. se ser contra a libertinagem, depravação, ser contra padres e homens comuns pedofilos, ser contra o casamento homo, ser contra a adoção de crianças por homossexuais, ser contra passeatas escandalosas é ser nazista…pronto!!! então temos vários nazistas no Brasil…talvez a maioria. Para saber, pasta fazer uma consulta popular.
    Quem quer arriscar?

  10. Quem sabe limpe essa imundicie de PAdres Pedofilos, que acabe com esses libertinos homossexuais, casamento Gay, adoçao de bebes por gays. e felizmente não é um Europeu decadente ou um arrogante Norte Americano

    • Tudo bem ser amigo dos torturadores e assassinos da ditadura militar argentina…mas gay não pode, né?
      Oh mentalidade doentia….vá se tratar meu amigo, pois vc é uma pessoa perturbada mentalmente!

      • Meu caro Roberto N, o livro sagrado em que Judeus, Muçulmanos, Budistas Cristão, perseverantes pautam as suas vidas, diz claramente que é imoral a união de Gays e Lesbicas, os verdadeiros seguidores fieis e comprometidos dessas religiões estão preocupados é com milhões de pessoas no planeta, que vem sendo explorados,em todos os sentidos há muitos seculos pelas seus semelhantes, toleramos e respeitamos a opção sexual dessa pequena minoria,agora para se ter apoio de Cristão, Judeus, Muçulmanos e Budistas, todos nos teremos de renegar a Deus e a sua escritura, fique feliz, pois o mesmo Deus que vai nos julgar, também julgará Gay e lésbicas torturadores, os assassinos da ditadura militar e outras, portanto não fique ai de vítimas, se as escrituras não aprova, em nome de Deus toleramos todos vocês, que são iluminados pelo mesmo sol e mesma lua como nos, se tu ver os contrários como adversários, te digo com certeza que os amamos, muito mais que possas imaginar, os toleramos
        e somos fiéis a palavra de Deus.

  11. Como dizem: nada é tão ruim que não possa piorar! A Igreja Católica quer ser renovar com um clone do papa amigo dos Nazis, o famigerado Pio XIII?

    • Um governo discretamente totalitário, como outros que conhecemos, que atribui a todas opiniões contrárias a algum assunto da pauta presidencial como inimigos da democracia, golpistas, oposicionistas oportunistas, etc… VAI TER AGORA O PAPA QUE MERECE.