Câmara instala nesta quarta comissão para desonerar o transporte coletivo, anuncia João Arruda

Deputado João Arruda propõe comissão especial para desonerar tarifa do transporte coletivo. Foto: Roberto Rodrigues.

Deputado João Arruda propõe comissão especial para desonerar tarifa do transporte coletivo. Foto: Roberto Rodrigues.

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR) esteve há pouco com o presidente da Câmara Federal, Henrique Alves (PMDB-RN), de quem arrancou o compromisso de instalar nesta quarta-feira (13) uma Comissão Especial para estudar a desoneração do transporte coletivo no país.

Arruda esteve esta noite no gabinete do presidente acompanhado do correligionário Mauro Mariani, de Santa Catarina. O parlamentar paranaense quer se antecipar ao Palácio do Planalto no debate acerca da desoneração do transporte coletivo.

Os peemedebistas pretendem entregar ainda neste semestre um estudo detalhado sobre a desoneração à  presidenta Dilma Rousseff.

Ao blog, o deputado João Arruda disse lamentar o reajuste da tarifa de R$ 2,60 para R$ 2,85, anunciado hoje, em Curitiba. Segundo ele, se a desoneração estive em vigor, muito provavelmente, o preço continuaria congelado.

“Faremos esforço para que as tarifas sejam reduzidas em todo o país. Foi possível com a energia, por que não há de conseguirmos derrubar o preço da passagem do ônibus também?”, questiona em tom desafiador o deputado do Paraná.

Na semana passada, este blog registrou que Dilma pretende cortar tributo de ônibus e diesel para ajudar no combate à  inflação e beneficiar o trabalhador de baixa renda.
Dilma estuda reduzir ou isentar da cobrança dos dois tributos o diesel e o setor de transporte coletivo urbano (ônibus e metrô). A ideia é reduzir as passagens de ônibus em 2014.

A avaliação do Planalto é que, até aqui, as desonerações focaram beneficiar mais diretamente o setor produtivo e que seria a hora de estender o benefício à  baixa renda.

No caso do etanol e do diesel, a desoneração visa dar alívio de caixa para a Petrobras e reduzir impacto de reajuste de preços de combustíveis no médio prazo. O governo quer tornar o preço do etanol mais competitivo e reduzir a importação de gasolina.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Opa, será que o deputado vai se sair diferente do tio? Vai pelas vias do diálogo? Se for isto, está de parabéns.