Bancada Evangélica tem 11 vereadores em Curitiba

Ateus e agnósticos são maioria entre parlamentares

Vereadora Noemia Rocha.

Vereadora Noemia Rocha.

A vereadora Noemia Rocha (PMDB) anunciou ontem (19), durante a sessão plenária, a instalação da Bancada Evangélica na Câmara Municipal de Curitiba. Segundo ela, o grupo é suprapartidário.

A ideia foi formar um grupo para debater assuntos pontuais da comunidade evangélica!, afirmou a parlamentar.

Além da peemedebista, fazem parte do grupo os vereadores Carla Pimentel (PSC), Ailton Araújo (PSC), pastor Valdemir Soares (PRB), Jorge Bernardi (PDT), Cacá Pereira (PSDC), Cristiano Santos (PV), Chicarelli (PSDC), Chico do Uberaba (PMN), Dirceu Moreira (PSL) e Tiago Gevert (PSC).

Portanto, dos 38 vereadores da Casa onze são evangélicos, 12 são católicos e quinze são ateus ou agnósticos.

21 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to say I am just all new to blogging and really loved you’re web blog. Almost certainly I’m likely to bookmark your site . You definitely have excellent posts. Many thanks for sharing your web-site.

  2. Ate onde vai a cretinice de certas pessoas.
    E a lavagem cerebral agindo nos ignorantes.

  3. Eu achei interessante, a comunidade evangélica se posicionando, e daí, vamos ver a atuação deles, pelo que me consta, todos trabalham em prol da cidade, cada um com sua bandeira, to achando mais inveja do que posicionamento .
    e a proposta é pra assuntos pontuais, o que eles defendem e os catolicos votam juntos, ou seja os 38 vereadores que nos elegemos, são assuntos em defesa da familia. por ser religioso não pode participar da vida pública do país? eles não usam a biblia nos temas que enfrentam mas argumentos culturais,juridicos, cientificos e de outros tipos, como todo político faz. A laicidade na constituição brasileira não é um Estado sem religião, nao é um Estado Ateu. O Estado e a Igreja estão separados, mas cooperam entre sí. Artigo 19 Inciso 1º da Constituição. então gente deixa discriminação com os evangélicos, deixem os trabalhar.

  4. Ou seja, trabalhando mais um pouco para o bem próprio. Foram eleitos para ajudar a população como um todo, independente de crédulo ou religião, e não somente os evangélicos ou a sua própria igreja. Mania no Brasil que a minoria tem de se juntar e reivindicar direitos.

  5. A realidade que os grupos evangélicos estão se organizando para eleger o máximo de pessoas para defender seus interesse. Precisamos tomar cuidado com isso para num futuro a gente não venha a ter pessoas pensando apenas em interesse deles e não no coletivo da população.

  6. Ela disse que “A ideia foi formar um grupo para debater assuntos pontuais da comunidade evangélica”. Debate onde? Dentro da Assembléia? Espero que não seja dentro da Assembléia pois o Estado é laico e fazer proselitismo religioso dentro a Assembléia é desviar dinheiro público (via salário) para assuntos não laicos! Isso pode dar “empeachment”!

  7. Aleluia irmãos….Aleluia irmãos…. e não esqueçam de contribuir com dizimo da igreja… Aleluia irmão, alelúia irmãos.

  8. Pois esses evangélicos devem fazer um conclave particular se querem discutir assuntos religiosos. Tenham a santa paciência, vereadores são eleitos para fiscalizar o executivo e para legislar em favor do município. E legislar para os ateus, agnósticos, católicos, crentes, espíritas e etc.. Porque será que os políticos de outras religiões não se dão ao luxo de criar “bancadas católicas” ou mesmo “bancadas espíritas”? Isso para mim é discriminar os representantes de outras religiões. O certo mesmo, é deixar os assuntos religiosos para serem tratados nas igrejas. E sem utilizar os recursos públicos.

    • Excelente colocação Ismael. Aliás ainda vamos lembrar que a câmara municipal é separada por partidos, não por religião. Esse negócio de criar “grupos religiosos” em setores políticos é coisa mais ridicula que eu já vi

      • Não é “ridículo”, Liz, é estratégia para a próxima eleição, sem nem mesmo ter iniciado seu trabalho. Noemia, faz favor? Vai pra casa.

        Totalmente inconstitucional num ESTADO LAICO (que eles não sabem o que significa) e deve ser questionada desde já.

        Interessa-nos o trabalho para o qual estão sendo pagos por nós, nem de longe a religião, crença, direção sexual, gostos culinários. NAda, apenas fazer juz ao salário que pagamos TODOS.

  9. Maioria de ateus? Não conheço um sequer, nunca ouvi falar disso, tem fonte ou o comentário foi feito só para ironizar a bancada evangélica?

    Quem dera que eu pudesse avisar os grupos de ateus em curitiba que eles possuem vereadores aqui

  10. O dinheiro que paga o salário desta vereadora é público, portanto ela deve trabalhar em prol de toda a comunidade Curitibana!!! Assunto da igreja deve ficar dentro da igreja!

  11. Esta situação é extremamente preocupante. O povo desprovido de cultura coloca estes pastores exploradores no comando da cidade e eles usam a sua legislatura para beneficiar seus súditos e funcionários das igrejas. As igrejas deveriam ter que pagar impostos como qualquer outra empresa, pois é isto que são. As empresas que mais geram rendas e mais criam milionários neste país. Hoje, ser pastor é a profissão mais rentável, sem sombra de dúvida. E com certeza, também é a profissão que mais gera poder, pois com seu bando de seguidores cegos, conseguem manipular até mesmo políticos que temem represálias nas urnas. Se as igrejas sofressem com os impostos, deixariam de ser tão rentáveis e aí, a maioria dos pastores voltariam para seus negócios de origem: O CRIME ORGANIZADO. Bande de ignorante que coloca este tipo de gente no comando. Não bastasse comandar a vida doc rentes, agora querem comandar a vida de todos. inacreditável. É por este tipo de gente, que o famoso Pastor, Sonegador, Manipulador, e Preconceituoso Marcos Feliciano esta onde está. ACORDA POVÃO DESINFORMADO. Votem pelas propostas e não pelas promessas. Votem pela seriedade e não pela religião. O terreninho no Inferno, para este povo, esta garantido.

  12. Absurdo é pouco! Discutir no Legislativo “assuntos pontuais da comunidade evangélica”? Nobres edis, o Estado é laico, o Poder Legislativo é uma casa de Leis, vão estudar a Constituição Federal e a Lei Orgânica (se é que já a adequaram), em vez de ficar criando esses espaços medíocres que só contribuem para parcela muito pequena da população. Me admira mais ainda o Jorge Bernardi fazer parte desse absurdo.

  13. Vamos discutir assuntos que atendam a população como um todo, certamente eles não tiveram votos apenas da comunidade evangélica.

  14. É por isso que as previsões não são boas para esta legislatura: – A maioria são ateus.

  15. O Jorge Bernardi na bancada evangélica com seus ETs e UFOS é brincadeira.

  16. A dona Noêmia Rocha é aquela da lei das bitucas de cigarro. Espero que ela lidere essa bancada para trabalhar em assuntos realmente relevantes e importantes para a população de Curitiba. Parem de perder tempo com bobagens, pois vocês vereadores custam caro demais para a administração pública.