Assembleia deixa de votar projeto de Richa que reduziria em três centavos a tarifa do ônibus em Curitiba

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, fica sem a

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, fica sem a “inestimável” ajuda de Beto Richa, de três centavos, por tempo indeterminado.

O líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), informou nesta quarta-feira (13) que o projeto do executivo que dispõe sobre a isenção de ICMS no diesel foi adiada.

Com a decisão dos tucanos, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), e os 13 dos demais municípios que compõem a Rede Integrada de Transporte (RIT) não terão os R$ 0,03 (três centavos) de ajuda que medida propiciaria se fosse aprovada. Ficou para mais adiante.

Havia previsão de o plenário apreciar hoje a matéria em “Comissão Geral”.

O governador Beto Richa (PSDB) tinha anunciado no começo deste mês que não subsidiará mais a tarifa do ônibus a partir de maio. Ontem (12) foi definido o novo preço da passagem, que ainda continua integrado na Grande Curitiba. Saltou de R$ 2,60 para R$ 2,85.

Segundo explicações do líder do governo, a votação da renúncia do ICMS no diesel deverá tramitar normalmente, primeiramente, já na próxima terça-feira (19), na reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que inicia as 13h30. Depois será submetido a avaliações nas demais comissões técnicas permanentes da Casa.

Comentários encerrados.