29 de Março de 2013
por esmael
53 Comentários

Ultradireita mostra a cara e ganha força para 2014

do Brasil 247

Sem brilho nos últimos tempos, mas presente desde sempre dos escravocratas da economia cafeeira aos integralistas da industrialização, você pode não gostar, mas a ultradireita está nas machetes atuais do Brasil !“ firme, forte e renovada. Entre suas faces públicas estão do deputado federal de cinco mandatos Jair Bolsonaro ao influente pastor Silas Malafaia, com foco agora no renitente presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Marco Feliciano. Na sociedade, pode ser vista em cultos de viés fundamentalista espalhados pelo País ou encoberta entre os que lançaram mão de jogar uma bomba na sede da OAB do Rio de Janeiro, dias atrás.

Na sucessão de presidencial de 2014, a nova direita promete buscar votos representada nos partidos sucessores da Arena (PP, PSD, DEM), mas pode ter uma cara própria e alcançar, como na Europa dos países desenvolvidos, votos que podem atingir até 20% do eleitorado !“ e ser o fiel da balança na eleição.

Hoje, todos cortejam a ascendente nova direita brasileira. O PT do ex-candidato vitorioso Luiz Inácio Lula da Silva teve de se mostrar palatável a ela para tomar o poder a partir de 2002.

Em suas duas tentativas de chegar ao governo, sob o manto de uma plataforma socialdemocrata, o tucano José Serra também deixou claro que não queria enfrentá-la. Em São Paulo, principal Estado brasileiro, o governador Geraldo Alckmin é sempre citado como simpático a referências como a Opus Dei e, no Nordeste, o coronelismo enraizado comprova a cada momento decisivo que tem público, de uma ou outra maneira, cativo.

Na sucessão de 2014, embalada pela preservação de posições impensáveis para muitos, como a homofobia e o racismo, mas válidas para tantos, a direita já tem papel próprio. Correligionários do deputado Feliciano já falam abertamente em lançá-lo à  aventura presidencial, apenas para marcar posição no espectro político e, assim, verificar a quantas anda sua popularidade eleitoral, ou para fazer co

29 de Março de 2013
por esmael
12 Comentários

Contra o marco civilizatório, Veja propaga terrorismo do desemprego doméstico

do Brasil 247

O que nos Estados Unidos, Europa, Japão e qualquer país civilizado !“ por falar em marco civilizatório !“ é uma praxe, um costume e um traço cultural transmitidos de geração em geração, com exceções entre os escravocratas derrotados na Guerra da Secessão, a realeza de sangue azul e os samurais com suas gueixas, para a revista Veja é um fardo. Uma humilhação. Um derradeiro rebaixamento. Lavar os próprios pratos, onde já se viu!

Com gravata azul céu, camisa bem cortada e felpuda toalha de rosto caída no ombro sobre o avental vermelho !“ Veja ainda não descobriu o pano de prato! !“, um modelo simulando um personagem de classe média está ensaboando uma louça na qual se come o almoço e o jantar ao lado do título Você Amanhã. No que é chamado de olho no jargão jornalístico !“ texto curto que vai imediatamente abaixo da frase em destaque –, a publicação carro-chefe do Grupo Abril vaticina o desemprego de milhões de empregados e empregadas domésticas no Brasil, de maneira nem tanto subliminar: “As novas regras trabalhistas das empregadas são (…) um sinal de que em breve as tarefas domésticas serão divididas entre toda a família”. A expressão “marco civilizatório” está entre o início e o fim da ameaça.

Em outras palavras, a revista propaga que, em razão da Proposta de Emenda à  Constituição aprovada agora pelo Senado, com entrada em vigor na próxima semana, e que finalmente extende direitos trabalhistas básicos aos profissionais que historicamente realizam tarefas domésticas nos domicílios dos outros, seus patrões, ergue-se dentro das casas e apartamentos uma onda de desemprego. Uma onda capaz de afetar o mercado de trabalho de 20 milhões de profissionais.

Veja, com a capa da presente edição nas bancas, chega a um de seus mergulhos ideológicos mais baixos. Um superação em termos de preconceito, cinismo e terrorismo social. Em oito paginetas, como se diz entre os jornalistas para designar folhas de papel editadas, a revista crava de saída que os serviços domésticos ficarão mais caros. As tarefas do lar terão de ser feitas, em razão do buraco nas contas familiares que a nova legislação indica, pelos donos da casa. Fica subententido que isto seria um retrocesso no modo de vida do brasileiro, uma derrota pessoal e familiar.

<

29 de Março de 2013
por esmael
6 Comentários

Curitiba 320 anos. Parabéns, sua lindona!

A charge é do cartunista Solda (http://cartunistasolda.com.br/).

A charge é do cartunista Solda (http://cartunistasolda.com.br/).

Fundada a 29 de março de 1693, Curitiba era parada obrigatória no caminho dos tropeiros entre Sorocaba e Viamão. Tornou-se a capital de todos os paranaenses em 1853, quando o Paraná ganhou status de província ao emancipar-se de São Paulo. Leia mais