Se desligar a televisão, adeus governo Beto Richa

Segundo o mercado publicitário, tucano torrou R$ 2 milhões em mídia na primeira semana de fevereiro de 2013

richa_tvCerca de 1,3 milhão de alunos e mais de 100 mil educadores voltam à s aulas nas 2,1 mil escolas da rede pública estadual do Paraná. Está tudo certo para o retorno, como divulga o vice-governador e secretário da Educação Flávio Arns (PSDB)? Não. Somente na propaganda caríssima veiculada na tevê que a coisa vai bem.

Ainda sob o impacto do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, que matou quase 300 jovens, pais e alunos se dizem inseguros quanto ao estado físicos das escolas. São evidentes as falhas na infraestrutura de pelo menos mil escolas, conforme atesta o próprio Corpo de Bombeiros e o Ministério Público, pois o governo de Beto Richa (PSDB) reduziu, em média, pela metade os investimentos em obras nas escolas em comparação aos antecessores Roberto Requião e Orlando Pessuti. Mas na propaganda que passa na tevê está tudo certo.

Capítulo à  parte, as escolas em tempo integral, prometidas pela Secretaria de Estado da Educação (SEED), são para inglês ver. Segundo os educadores do Colégio Cecília Meireles, de Curitiba, a merenda enlatada oferecida aos alunos é de péssima qualidade; falta estrutura e a agricultura familiar não atende nem 10% do que as crianças necessitam; os alunos passam mal (náusea, dor de cabeça, etc.) por causa da comida, sempre após o almoço, são obrigados a irem embora com seus pais, atrapalhando seu rendimento escolar (muitos levam sua própria comida!); faltam infraestrutura e professores capacitados para o ensino integral.

Há também reclamações das direções em relação à  Matriz Curricular imposta pela SEED e banimento de aulas no ensino fundamental, fim de salas de apoio, redução do quadro administrativo e pedagógico nas escolas, dentre outras broncas que comprometem muito o aprendizado dos alunos.

Na propaganda, Beto Richa apresenta-se como bonzinho ao dizer que aumentou! em 35% o salário dos professores. Não é verdade. Ele simplesmente reajustou os vencimentos (em parcelas) para cumprir a Lei Nacional do Piso, mas ainda não se coçou para implantar os 33% da hora-atividade. Portanto, o tucano começa o ano letivo fora da lei. E esse é um dos motivos da greve da educação programada para o mês que vem.

A propaganda do governo do PSDB, no entanto, diz que não há problemas na Educação. Segundo o mercado publicitário, em apenas uma semana, compreendida entre 1 e 8 de fevereiro, o tucano torrou R$ 2 milhões em mídia.

Nem vou abordar hoje outras áreas do governo que também sofrem apagões! do ponto de vista de projetos e execuções. A impressão é de que somos governados provisoriamente por um governo fraco e provisório.

Como você mesmo vê, se desligar a televisão o governo de Beto Richa — que ainda nem começou — acaba.

Comentários encerrados.