Richa promove mudanças para deixar comunicação mais agressiva

* Vídeo abaixo é prova do descolamento da realidade

Tal o pai, tal o filho, já disseram antes. O governo Beto Richa (PSDB) segue a escrita de seu pai político, o ex-governador Jaime Lerner. Se desligar a televisão, a gestão acaba imediatamente. Na verdade, deixa de começar.

O custo para manter a “televisão do governo” ligada é alto. O capilé é grosso, garante o mercado publicitário. A título de informação, somente entre os dias 1 e 8 de fevereiro, o governo do Paraná torrou a espetacular quantia de R$ 2 milhões em mídia.

Os gastos crescentes em publicidade estão vincados à  ideia de que é preciso uma ofensiva midiática. Não é à  toa que na semana passada Richa deu uma sabugada em público no jornal Gazeta do Povo (clique aqui para relembrar). Tem um nexo. à‰ pedagógico. Assim será daqui para frente. Bateu, levou. Avisam os palacianos.

Nessa ofensiva, naturalmente, haverá mudanças na equipe. A assessoria do governador vai ser modificada. Novos profissionais vão ser incorporados ao time de “freelancers” (francos atiradores, literalmente).

A patota continuará sob o comando do secretário da Comunicação, Marcelo Cattani, o “brucutu” de Richa.

Na propaganda da televisão, portanto, o governo continuará uma maravilha, como mostra o vídeo acima. A realidade, no entanto, continuará sendo totalmente diferente, como eu mostrei mais cedo (clique aqui para ler).

Por que tudo isso, caro leitor? Cagaço. Medo da ministra-loura Gleisi Hoffmann, do PT, que vem com tudo em 2014.

Comentários encerrados.