Petista André Vargas será vice-presidente da Câmara

da Agência Brasil

Deputados elegem amanhã nova direção da Casa

Deputado André Vargas (PT).

Deputado André Vargas (PT).

O colégio de líderes da Câmara definiu na semana passada a composição da Mesa Diretora da Casa nos próximos dois anos (2013/2014). O tamanho das bancadas, ou seja, a chamada proporcionalidade, foi o critério para definição de quais legendas vão ocupar os postos de direção.

Pelo acordo, o PT, maior bancada da Casa, teria o direito à  primeira escolha, mas abriu mão para o PMDB. Com isso, os peemedebistas vão indicar o deputado Henrique Eduardo Alves (RN) para a disputa da presidência. Contudo, o principal cargo da mesa é o único cargo em que todos os partidos, independentemente do tamanho, podem lançar candidatos.

Para os demais dez postos, apenas os partidos conforme a proporcionalidade definida pelo colégio de líderes podem indicar nomes. Mesmo assim, pode haver disputada dentro da própria sigla. O partido pode indicar um nome “oficial” e um outro parlamentar da bancada se lançar avulso.

Como abriu mão da presidência, o PT ficará com a primeira-vice e indicou o deputado André Vargas (PR), secretário nacional de Comunicação do partido. O PSD tem a segunda-vice e a indicação do partido é o deputado Fábio Faria (RN).

Atualmente, o segundo-vice acumula a função de corregedor da Casa, mas está em discussão a possibilidade da corregedoria ser transferida para terceira secretaria. Há ainda a possibilidade de se criar um órgão sem vinculação com cargos da Mesa, como ocorre hoje com a ouvidoria, por exemplo.

A primeira-secretaria permanecerá sob o comando do PSDB. O deputado Márcio Bittar (AC) é o indicado. A segunda-secretaria será do PP e o partido indicou o deputado Simão Sessim (RJ). A terceira ficará com o PR e a sigla propôs o nome do deputado Maurício Quintela Lessa (AL).

Depois de quase 15 anos, ou sete mandatos ocupando algum cargo da Mesa da Câmara, o deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE), atual terceiro-secretário, não deve ocupar nenhum cargo de direção. Isso porque coube ao PR a terceira-secretaria e não há possibilidade de reeleição nos cargos da Mesa dentro da mesma legislatura.

A quarta-secretaria, atualmente sob comando do PSB, terá um petista a frente. A bancada indicou o deputado Antonio Carlos Biffi (MS) para o posto.

As quatro suplências serão disputadas por PSB, PSC, DEM e PDT. Haverá uma eleição com os nomes indicados por esses partidos e, de acordo com o número de votos que cada um receber, será definida a ordem da suplência, sendo que o mais votado fica com a primeira suplência e assim sucessivamente.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Este ai é outro safado, não está nem ai pro povo, quer mesmo é garantir a fatia dele no bolo do partido.

  2. Tô de olho em você na votação do Fator Previdenciário. Em você e nos outros petistas.
    Vamos ver se minha afirmação que são traidores (dos trabalhadores) se confirma.