Lucro dos sócios privados da Sanepar cresceu 200% na gestão Richa

Fiep pede que Sanepar reduza tarifas de água e esgoto

Edson Campagnolo, da Fiep, quer reduzir a tarifa da água e anuncia que a entidade é contra novo reajuste de 10,62%. Segundo o empresário, a Sanepar majorou os preços em 32,5% nos últimos dois anos.

Edson Campagnolo, da Fiep, quer reduzir a tarifa da água e anuncia que a entidade é contra novo reajuste de 10,62%. Segundo o empresário, a Sanepar majorou os preços em 32,5% nos últimos dois anos.

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, entregou ontem (14) ao presidente da Sanepar, Antonio Hallage, um ofício em que a entidade pede a revisão das tarifas de água e esgoto no Estado. O documento tem como principal argumento o fato de que a Sanepar será uma das maiores beneficiadas com os descontos de até 30% que estão sendo aplicados nas tarifas de energia elétrica a partir deste mês.

Campagnolo explica que o pedido da Fiep parte do princípio de que a Sanepar é hoje a maior consumidora de energia do Paraná. Atualmente, a energia tem uma participação de cerca de 22% na constituição dos Custos sobre Produtos e Serviços Vendidos (CPV) da Sanepar. Pelos cálculos da Federação, um desconto de 30% na tarifa da eletricidade resultaria em uma redução absoluta de 6,82% nos CPV da empresa de água e esgoto.

Assim como acreditamos que as indústrias paranaenses farão o desconto na conta de energia chegar ao consumidor final, a redução na tarifa da eletricidade também deveria ser repassada em forma de descontos aos consumidores da Sanepar!, afirma o presidente da Fiep.

Além disso, a entidade argumenta que, de acordo com os avisos aos acionistas publicados pela Sanepar, nos dois últimos anos, na gestão do governador Beto Richa (PSDB), os dividendos distribuídos pela empresa aos seus sócios privados cresceram 200% em relação ao período entre 2007 e 2010 [no governo Roberto Requião, do PMDB].

Se agora a empresa não repassar o desconto que terá na conta de energia para o consumidor, estará apenas maximizando os ganhos dos sócios da empresa, que é estratégica ao setor produtivo e a todos os paranaenses, quando deveria ter um cunho social!, diz o texto.

A Fiep questiona ainda o fato de a Sanepar, através de seu conselho de acionistas, ter solicitado, em janeiro, mais um aumento na tarifa de água e esgoto, de 10,62%. Esse reajuste, que ainda precisa ser aprovado pelo governo do Estado, se somaria aos aplicados nos dois últimos anos !“ de 16% em 2011 e 16,5% em 2012.

A Fiep está se mobilizando e providenciando estudos técnicos para rebater e refutar esse aumento e ainda lutar pelo desconto!, diz o ofício. à‰ uma prerrogativa do governador sancionar ou não esse novo reajuste!, acrescenta Campagnolo.

Análise !“ Segundo Edson Campagnolo, o presidente da Sanepar afirmou que vai analisar o teor do ofício entregue pela Fiep e dará uma resposta à  entidade. Mas adiantou que o reajuste proposto em janeiro foi deliberado pelos acionistas e tem como justificativa a recomposição das tarifas da Sanepar, que ficaram congeladas no período entre 2005 e 2010. Esse congelamento, de acordo com Hallage, teria inclusive comprometido a capacidade de investimentos da Sanepar, que só agora está sendo retomada, com um plano de aplicação de R$ 2,12 bilhões até 2015. Hallage também relatou a Campagnolo que, atualmente, a Sanepar possui a terceira menor tarifa do País no que se refere a consumidores industriais.

Comentários encerrados.