Hospital nega atendimento a ex-prefeito baleado, imagine a situação do povão…

Saul Raiz foi prefeito de Curitiba entre 1975 e 1978. Foto: Albari Rosa.

Saul Raiz foi prefeito de Curitiba entre 1975 e 1978. Foto: Albari Rosa.

O ex-prefeito de Curitiba, Saul Raiz, 83 anos, levou dois tiros em uma tentativa de assalto no centro da cidade. Mesmo baleada, no começo da noite de ontem (17), a vítima conduziu seu próprio veículo até o Hospital São Vicente.

Pois bem, o ex-prefeito não recebeu atendimento. O médico plantonista não lhe encostou a mão, nem o olhou. O hospital alegou não possuir pronto-atendimento para evento daquela natureza.

Ferido à  bala na altura do tórax e em um braço, Saul Raiz precisava, então, seguir até o Hospital Evangélico — onde ainda está internado e não corre risco de morte.

Foi necessária a intervenção do manobrista do Hospital São Vicente, que se recusara a fazer o primeiro atendimento. Se não fosse o altruísmo do manobrista, muito provavelmente, dificilmente o ex-prefeito octogenário ainda estaria com vida.

Essa situação no mínimo “kafikaniana” aconteceu com um senhor da elite curitibana, um ex-prefeito da capital. Agora, caro leitor, imagine o que acontece com o povão, no dia a dia, que depende da saúde pública…

O ocorrido serve de alerta aos gestores públicos. Portanto, está certa a prefeitura em abrir uma sindicância, bem como o Ministério Público investigar o caso de omissão de socorro.

Particularmente, eu defendo que todos os hospitais que recebem dinheiro do SUS (Serviço Único de Saúde) devam ser geridos pelo poder público. Esses estabelecimentos — vide o caso do próprio Evangélico –, mesmo vivendo de generosos repasses de recursos públicos, sempre operam no vermelho e prestam sofrível atendimento (quando atendem).

30 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Esse médico tem que ser punido e cassado o CRM dele pois pra que existir médicos desse nível coitada da população e deve interditar esse hospital para aprenderem a tratar o ser humano. Fico rvoltada com essas coisas.

  2. O HOSPITAL SÃO VICENTE DE CURITIBA, ATRAVÉS DA SUA DIRETORIA COM SUAS DECISÕES ADMINISTRATIVA, DEVEM SER MAIS INVESTIGADA DO QUE QUALQUER FUNCIONÁRIO NA PORTARIA OU MÉDICO DE PLANTÃO!

    Esmael e demais, segundo o Artigo 135 do nosso Código Penal Brasileiro estará caracterizado o crime de omissão de socorro quando o agente: “Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública.” Dessa forma, repetindo, a lei obriga a todo e qualquer indivíduo indiferente das circunstância, desde que não corra risco de vida, que vive em sociedade o dever de, em certos casos, desde que não ponha o indivíduo sob risco pessoal, prestar assistência a pessoas que dela necessitam através do dever de solidariedade imposto a todos. O Art. 135 traduz uma norma de solidariedade humana, sob o imperativo legal. Já não se trata de simples dever moral, mas de uma imposição da lei. De acordo com esse entendimento percebe-se que o socorro ao ser humano é, na verdade um dever predominantemente moral, mas imposto a todos por força da lei. O sujeito ativo deve estar no lugar e no momento em que o ser humano necessitado precisa de socorro; caso contrário, se estiver ausente, embora saiba do perigo e não vá ao seu encontro para salvá-lo, não haverá crime, pois o crime é omissivo, e não comissivo.
    RESUMINDO: além disso, a omissão de socorro se caracteriza pela conjugação de duas condutas: o agente não prestar socorro à vítima (O HOSPITAL COM SEUS FUNCIONÁRIOS FORAM OMISSOS); e não solicitar o socorro à autoridade pública responsável (QUE SERIA O SIATE OU SAMU, POIS, QUEM TRANSPORTOU O (CIDADÃO) EX-PREFEITO DE CURITIBA SAUL RAIZ PARA OUTRO HOSPITAL FOI UM MANOBRISTA QUE ESTAVA NA GUARITA DA ENTRADA DO ESTACIONAMENTO QUE TRABALHA NUMA EMPRESA TERCEIRIZADA).
    “Pisaram na bola feio!”
    Isto, sem contar da indenização por danos morais que terão que pagar ao ser humano e cidadão Saul Raiz!

    • AO MÉDICO QUE ESTAVA DE PLANTÃO, POR GENTILEZA, TERÁ QUE REVER SEUS ESTUDOS DE ÉTICA MÉDICA NA FACULDADE E LER UMAS 1.000 VEZES E EM VOZ ALTA EM PRAÇA PÚBLICA O TÃO DECANTADO JURAMENTO DE HIPÓCRATES!

      Esmael e demais o Juramento de Hipócrates foi atualizado em 1948 pela Declaração de Genebra, a qual vem sendo utilizada em vários países por se mostrar social e cientificamente mais próxima da atual realidade. Sendo que há uma versão mais atualizada que é atualmente utilizada no Brasil na formatura dos futuros médico, sendo a mais difundida que seria a seguinte:
      “Prometo que, ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra. Nunca me servirei da minha profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu para sempre a minha vida e a minha arte com boa reputação entre os homens; se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário”.

  3. Desde criancinha, eu aprendi e ao longo da minha vida foi assimilando com mais propriedade – pela experiência do cotidiano: 1 – Remédios eu compro na farmácia; 2 – Pão, nas panificadoras; 3 – Futebol a gente pratica com bola; 4 – Amor de mãe é o mais puro e o mais profundo; 5 – QUANDO ESTOU DOENTE, PROCURO UM MÉDICO. E, pelo que se me apresenta, com Sr. Saul Raiz não é diferente: ao se ver ferido dirigiu-se rapida e INSTINTIVAMENTE para o hospital mais próximo. E por mais PARADOXAL que possa parecer, não foi EXATAMENTE NO MÉDICO, mas no HUMANITÁRIO MANOBRISTA DO HOSPITAL foi ele encontrar o seu ALENTO o, literalmente, OMBRO AMIGO. O raciocínio benfazejo e rápido do Manobrista na ação do pronto atendimento ao próximo não lhe ensejou preocupar-se com eventuais reflexos prejudiciais que a si poderiam recair, advindos do COMPROMETIMENTO DA SUA ATITUDE PARA COM O VÍNCULO EMPREGATÍCIO (abandono da atividade). Assim, parabéns ao Sr. Manobrista e pronto restabeleimento ao Sr. Saul !!!.

  4. Se não atende o povo, então cassa o titulo de HOSPITAL e vira clinica.

  5. Já tive problemas neste hospital mesmo sendo convênio. O duro é achar um médico depois dos atendimentos mal feitos para atestar negligência e imperícia.

  6. Isso acontece todos os dias com pobres mortais, só vira noticia quando acontece com um “cueca de seda”.

  7. Se caso o ex-prefeito tivesse chamado uma ambulância, correu risco dirigindo sozinho, com certeza a ambulância levaria a um pronto socorro: Trabalhador, Cajuru, Evangélico e nunca iria ao São Vicente.

  8. Ao me deparar com esta notícia nos meios de comunicação, tive a mesma sensação…Se pra ele tá ruim, imagina pra nós, povão!!
    Mas isto também expõe um outro lado, se fosse qualquer um de nós, não viraria notícia, infelizmente. Cansamos de passar por isto todos os dias, e ninguém faz nada…Agora mexeram com um grande, aí a coisa ficou feia.
    Eu mesma já presenciei uma situação parecida no Hospital Sugisawa. Estava esperando para ser atendida, quando chega uma moça dizendo que estava passando mal, com dor de cabeça e enjoo. Ao passar na frente do hospital, de ônibus, ela não teve dúvidas, desceu e se dirigiu ao PA. A mocinha da recepção perguntou: – Qual é o seu convênio? E ela disse que não possuía. Ao que a recepcionista informou: – Aqui é só convênio e particular, não temos atendimento pelo SUS. A moça insistiu: – Eu tô passando mal! A recepcionista então disse que não poderia fazer nada e a moça foi embora, vomitando…
    Creio que os hospitais públicos pecam por carência de médicos, medicamentos e várias outras coisas, agora falta de ética e compromisso profissional, esta é uma especialidade dos privados…

  9. Esmael deve-se solicitar a Anvisa a fiscalização do hospital e verificar se tem benesses em impostos municipais e estaduais.

  10. Que estrutura precisa para estancar o sangramento e em seguida fazer o encaminhamento necessario para salvar um ser humano?

    • Curitibana, pelo visto você não entende de saúde. Vai que não é um simples estacamento. Se atingiu vértebras? Cabeça? Órgão vital? Todo ser curitibano e brasileiro sabe que tem que ligar para emergência, onde a ambulância já fará o encaminanhamento correto, os procedimentos corretos, pois já são pessoas treinadas e sabem como fazer.
      O ser humano é uma raça lastimável, sabem somente criticar e julgar somente pelo que ouviram.

      • Alex, não seria o caso o médico do hospital ter acompanhado ele até o Evangélico?

      • Caro Alex, pelo visto quem não entende de saúde é você.
        Aprendemos no internato a lidar com situações como essa, e a maioria de nós aqui de curitiba fazemos um curso de emergências a qual aprendemos a exercer a medicina com poucos recursos.
        O São Vicente vem caindo muito no conceito de uns tempos para cá, digo isso por experiência própria. Fiz meus familiares e colegas trocarem de hospital a alguns anos por essa queda.

  11. infelismente …quando se trata de acidente …,so podera ser atendido no hospital ewangelico..,trabalhador…e cajuru,e o caso do senhor ex prefeito.

  12. Olha o descaso com saude pública não é somente na capital, Aqui em Santo Antonio da Platina o governo Beto Richa fechou uma UTI-Neo-natal no Hospital Nossa Senhora da Saude, um hospital filantrópico que atende 60% de seus atendimento do SUS de diversos municipios da região. (alegou muitas coisas) mas no fundo era uma divergência politica com seu antecessor (Requião) que instalou UTI no HNSS. Bom ficamos sem UTI por mais de 1 ano e diversos obtos aconteceram, agora os mesmos equipamentos vão ser inaugurados pelo governador Beto Richa no hospital regional da AMUNORPI na proxima sexta feira com pompas as 10 horas, em Santo Antonio da Platina. Muita politicagem pra pouca assistência ao povo. Hospital Nossa Senhora da Saude que tem mais de 80 anos de serviços prestados a coletividade do Norte-pioneiro e atende paciêntes de diversos municpios passa por dificuldades financeiras e não recebe apoio do governo estadual e infelismente os aliados do governador não falam nada, pois do norte pioneiro somente querem os votos.

  13. O hospital São Vicente não merece esses comentários que estão fazendo. Conheço a instituição há anos, eu e minha família sempre fomos muito bem atendido, e olha que somos do “povão”, como expressou o autor. O hospital tem pronto atendimento e não pronto socorro, há diferença de atendimento nisso. Faltou o médico olhar o paciente? Faltou! Mas imagine se o médico coloca a mão nesse paciente sem ter estrutura necessária e o ex prefeito vem a falecer? Não seria pior? Pensem e pesquisem antes de externar comentários irreais sobre qualquer coisa que seja.

    • Alex, se o médico plantonista é um médico de verdade e não um mero despacanhte de exames e consultas especializadas, ele deveria no mínimo verificar os sinais vitais do cidadão e imeditamente acionar o siate ou mesmo verificar se havia alguma ambulância disponível no hospital para removẽ-lo a um outro hospital com estrutura de atendimento ao trauma. Ok, o hospital não tem pronto socorro mas tem pronto atendimento. Mas com certeza um mínimo de equipamentos para verificação do estado do paciente e estabilização para encaminhamento a centro mais preparado há.
      O problema da saúde no Brasil é uma doença generalizada: atinge o setor público e o setro privado. A maioria das faculdades de medicina não forma médicos, mas analistas de exames, despachantes de especialistas. foi-se o tempo em que medicina era um sacerdócio, hoje é apenas uma profissão rentável, com profissionais sem vocação.
      Por fim, se “o médico colocasse a mão no ex-prefeito” e ele viesse a falecer, não aconteceria absolutamente nada com ele se o fizesse de modo diligente e técnico. Ou por um acaso toda vez que uma pessoa morre sob os cuidados de algum médico, o profissional responde por crime? Antes de externar sua opinião sugiro o mesmo que você sugeriu aos outros comentaristas: pense e pesquise antes de externar comentários.

    • Com todo respeito, o médico não podia, o manobrista sim… então tá cheio de médicos TABAJARAS por ai…afinal, era um ser humano clamando por SOCORRO.

  14. Estou preocupado com esse Manobrista depois que ele contou o que aconteceu ontem na rede globo será que o hospital não vai mandar embora ele? Sempre tente a corda arrebentar do lado mais fraco. Tomara que amigos e familiares do senhor Saul Raiz ajudem esse pobre manobrista o cara que saiu do serviço e levou o baleado até o Evangélico.

    Quando um cara faz medicina ele faz um juramento e pelo jeito tem muito médico esquecendo disso estão mais preocupados em ganhar dinheiro do que servir sua profissão isso é uma vergonha acho que está na hora de se cobrar mais desses hospitais particulares imagine o cara chega baleado e os caras falam que não podem atender porque não tem estrutura isso é pra acabar queria ver se o senhor tivesse morrido nesse percurso entre hospitais por falta de atendimento. Uma vergonha.

  15. Esse Hospital deve passar por fiscalizações serias pois e um Lixo, um açougue…

  16. Há 17 anos atrás eu fiz uma cirurgia de redução mamária na qual houve erro médico, como o cirurgião não conseguia descobrir o que havia de errado uma amiga me retirou do hospital e me levou ao São Vicente pois a minha pele já estava necrosando. Chegando ao São Vicente o médico se negou a me atender alegando que se eu viesse a falecer a culpa recairia sobre ele, diante desta negativa fui levada ao Instituto de Medicina onde fui muito bem atendida por um excelente cirurgião que, com apenas 26 anos de idade não teve medo de salvar uma paciente com risco de morte. Um ano depois fiz a cirurgia reparadora, pois o médico que havia me atendido no Instituto de medicina era cirurgião geral, tendo salvo a minha vida, mas a minha plástica precisava ser refeita. Qual não foi minha surpresa quando durante a cirurgia reparadora o médico que havia me negado atendimento no Saão Vicente estava me operando junto com meu cirurgião. Pena que eu estava sedada, caso contrário iria lembrá-lo que se dependesse dele eu não estaria ali e sim embaixo da terra.

  17. o homem com dois pipocos e o hospital são vicente nega socorro mas que barbaridade.

  18. ESTA E A SAUDE QUE CURITIBA TEM PARA A COPA, O DINHEIRO FOI USADO PARA CONSTRUIR O ESTADIO ,O RESTO SE VIRE ,FOI O QUE ACONTEÇEU ATE COM UM EX PREFEITO, COMO SERA COM O POVAO ,FALA PREFEITO E GOVERNADOR,A POPULAÇAO QUER SABER.

  19. E nós, que precisamos e estamos nas mãos dos “médicos”, damos legitimidade e alimentamos o status do médico – estes indivíduos que não tiram o jaleco para sair às ruas como se fossem deuses na terra. Não devemos nos esquecer que temos bons médicos a serviço da saúde de quem quer que precise de atendimento, mas a maioria são despreparados e só escolheram a profi$$ão por status e dinheiro.

  20. Pois é Esmael, falei isso num outro post, O Ex prefeito deveria processar o Hospital e o medico plantonista por omissão de socorro, e o Min.Publico investigar e propor o descredenciamento deste ” Açougue”

  21. “O sistema de saúde privado assim como o público está uma vergonha, consequência de um sistema que forma anualmente uma enxurrada de médicos despreparados que veem na medicina apenas uma grande oportunidade de ficar rico.” Talvez neste caso por se tratar de um cidadão da elite os responsáveis pelo descaso sejam punidos.