Em defesa da Quadra Cultural, internautas abraçam esta noite ‘O Torto Bar’

Moradores da região pedem o fim da Quadra Cultural; eles reclamam do barulho excessivo no local. Curitiba vai ficando sem opções de lazer e cultura.

Moradores da região pedem o fim da Quadra Cultural; eles reclamam do barulho excessivo no local. Curitiba vai ficando sem opções de lazer e cultura.

Daqui a pouco, a partir das 19h30, internautas prometem se encontrar em frente ao ‘O Torto Bar’, na Rua Paula Gomes, bairro São Francisco, em Curitiba, para dar um abraço simbólico no estabelecimento.

‘O Torto Bar’, de propriedade de Arlindo Ventura, o Magrão, realizou este mês a quinta edição da Quadra Cultural.

O bar sofre uma ação civil pública ajuizada pela Promotoria de Justiça de Proteção ao Meio Ambiente de Curitiba, que quer proibir o evento no local.

17 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Cultura? Vão ler um livro que vcs ganham mais…..

    Ficar pulando como um boneco de molas e enchendo a cara de cerveja é cultura?

  2. bom para quem vai e ruim para quem mora ao lado.
    quem tem mais direitos?

  3. Quadra Cultural num Bar ??
    Prefiro meu Lar !

    • Vou “embarcar” nesta…

      Só pra descontrair faltando 2 minutos para o horário do meu almoço se extinguir…

      Qual a diferença entre “Bar doce Lar” e “Lar doce Bar” ?

  4. Não moro neste local, mas este CINTURÃO Largo da ordem, ruínas,Pça Garibaldi,Jaime Reis,PAULA GOMES, Nestor de Castro, pça de skate, Cruz machado…virou um Lixão, estão confundindo liberdade com libertinagem, sou a favor de uma vida boemia que repeite o direitos dos outros e ai entra seus moradores.

  5. Oi, melhor jornalista do Paraná! Eu fui lá só pra te ver. Não te vi. Você foi?

  6. Talvez a melhor solução seja apoio da Fundação Cultural de Curitiba (Ministério da Cultura seria bemvindo), para ampliar a “Quadra Cultural” e quem sabe promover, com o necessário diálogo entre as partes, a transferência do tradicional movimento para uma localidade mais ampla e menos prejudicial à saúde das famílias vizinhas…

  7. Vamos entender… pois é facil para o pessoal ir se divertir ali na Paula Gomes e depois todos vão para suas casas… agora para quem ali reside deve ser um INFERNO…barulho, lixo, transito trancando… mijos nas ruas, bitucas de cigarros e algo mais…. Esta certo a PROMOTORIA!!!!!!

  8. Que quadra cultural o que??
    O dono deste boteco bancou uma de esperto e inventou esta para vender mais cachaça para seus clientes,aí alguém gostou da idéia e como cachaça e circo esta cambada gosta, virou naquela bagunça na beirada da rua todos os dias na Paula Gomes e uma vez ou outra armam a barraca e dizem que é uma virada cultural

    • Vc disse tudo, uma vez por ano ele organiza a tal quadra cultural, no entanto, todos os finais de semana em nome da “cultura” o dono do boteco aproveita a aglomeração de pessoas que interferem no transito de veiculos e pedestres, pra vender a sua cachaça, copos e garrafas jogadas nas ruas, o boteco vazio e o passeio e a calçada totalmente ocupada por pessoas “cultas” incomodando quem mora no entorno e quem precisa transitar por ali.

      Esse cidadão para justificar armou essa tal quadra cultural,,, afinal a ação movida não foi apenas pela quadra, mas pelo que acontece todos os finais de semana naquele local.

  9. Isso mostra,que a nossa cidade parece ainda uma uma província, ou a capital do não pode.
    Já, esta na hora de planejar um espaço público, e não privado, para abrigar diversos eventos culturais,religiosos,esportivo, e outros. O carnaval sufocado na Cândido de Abreu,parada cultural em diversos locais da cidade, encontros cristão no Centro Cívico, e uma quadra cultural na Rua Paula Gomes no,e Garibaldis e Sacis no largo da Ordem,e outros eventos culturais que acontecem o ano inteiro.
    O curitibano,quer espaços alternativo, e por isso, é importante pensar que a expressão cultura deve ser respeitada,ser apoiada por todos curitibanos.
    Enfim, o diálogo pode ser uma ferramenta somando ao consenso, para resolver, e manter a quadra cultural,que já faz parte do calendário cultural da cidade sorriso,que ultimamente está um pouco triste, será que vai ser a capital do não pode.

  10. Cultura num bar ?
    Só se for cultura inútil.
    Bem coisa de brasileiro.
    Convida o pinguço-mór para o abraço…

  11. A que ponto chegamos: em nome da cultura, o desrespeito, a rebeldia, a desobediencia à Lei e ao MP. … e há quem diga que isto é ser progressista.

  12. Bah, genial ideia dos amigos do grande Magrão… não, não a de fazer o abraço. Abraço ao bar e às garrafas de cerveja fartamente vendidas por ali acontecem quase todas as noites em que o notável boteco opera.
    Refiro-me à ideia de criar a perseguição ao bar e à sua iniciativa da Quadra Cultural através dessa Promotoria do Meio Ambiente. O povo adora uma repressaozinha pra poder protestar, até porque é um absurdo o que uns babacas, caretas e gagás pretendem, impedindo a ‘Quadra’. Ainda mais quando dá pra refrescar esse protesto com muitas beras do próprio estabelecimento, noite adentro. Ou seja, unir o útil ao bebível.

    Quero ver essa Promotoria impedir o barulho ENSURDECEDOR no Centro Cívico das marchas que dizem ser por Cristo e eventos católicos com milhares de decibeis ensurdecendo outros milhares de jovens. Se Cristo pregasse na Palestina com um som na altura dos eventos que se dizem “cristãos” em Curitiba, todos os apóstolos seriam surdos antes de Pilatos desconfiar daquele pregador.

    Eu fico com Dalton: “oh Senhor livrai-me dos chatos”, e chatos são esses cristãos que atazanam o ouvido de quem adoram (Cristo) e arrebentam os tímpanos dos seguidores e de quem não nada a ver com a parada.

  13. ESTÁ FALTANDO LUGAR ???
    QUEM MANDOU NÃO SE ORGANIZAREM DIREITO CONTRA A TERCEIRIZAÇÃO DA PEDREIRA ? NO DIA DA MOBILIZAÇÃO PRATICAMENTE SÓ ESTAVA A CLASSE ARTÍSTICA. SE FOSSE UMA BALADA TODOS IRIAM.
    CAMBADA DE CHAPADOS