Charge do dia: Bento 16 pendura as chuteiras

Charge de Sinfrônio - Diário do Nordeste (CE).

Charge de Sinfrônio – Diário do Nordeste (CE).

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Segundo a imprensa mundial o que derrubou o então Papa Bento 16 foram os inúmeros noticiários informando sobre os escândalos sexuais de seus dirigentes que abalaram a já desgastada (o que restou) credibilidade da Igreja Católica!

    O ex-Papa Bento 16 (já pode ser considerado assim) fez declarações (não teve “papas na língua”) bombásticas e incisivas nos últimos tempos sobre os casos de cardeias, bispos e padres que abusaram sexualmente de crianças e adolescentes mundo afora. Segundo o ex-pontífice, os “pecados cometidos por sacerdotes e pessoas consagradas contra pessoas confiantes a seus cuidados”, das quais “abusaram” em vez de lhes mostrar o caminho a Cristo, “abalaram a credibilidade da mensagem da Igreja e isto me forçou a desistir, pois, muitos dentro da mesma querem encobri-los”. Essas declarações foram feitas em um vídeo enviado por ocasião do encerramento do 50º Congresso Eucarístico Internacional, realizado a tempos atrás na Irlanda. O ex-Papa Bento 16, lamentou que “a alegria por uma história tão grande de fé e amor, tenham sido afetadas de maneira terrível com a divulgação dos pecados cometidos por sacerdotes e pessoas consagradas”, em alusão aos casos de abusos sexuais a menores por parte de religiosos na Irlanda. Segundo ele como se explica que pessoas que recebem regularmente o corpo do Senhor e confessam seus pecados no sacramento da Penitência tenham pecado desta maneira? O principal cardeal deste país, legado pontifício no 50º Congresso Eucarístico Internacional, se reuniu com vítimas de abusos sexuais por parte de clérigos, a quem pediu perdão em nome do papa e da Igreja e expressou “vergonha e remorso”. Sem contar diversos relatórios oficiais de autoridades em diversos países que revelaram que durante décadas centenas de crianças nestes países, sofreram abusos sexuais por parte de sacerdotes. Após conhecer muitos destes casos, o ex-Papa Bento 16, disse que não aguentava mais ficar “desolado e angustiado” e cheio de “indignação, a traição e a vergonha” por esses delitos sexuais.

    • Não podemos esquecer! Ou seja, que a imprensa mundial não deixou passar para indignação, desânimo e desgosto do ex-Papa Bento 16, á defesa do homossexualismo e do casamento entre pessoas do mesmo sexo que um tal de Ministro para a Família do Vaticano, defendeu!

      Essa tal defesa foi durante coletiva de imprensa onde o referido, disse que estas são situações que o Estado deve resolver para combater injustiças e discriminações. Segundo ele: “É preciso encontrar soluções no âmbito do Código Cíveis dos países para garantir questões patrimoniais e facilitar condições de vida para impedir injustiças com os mais fracos. Infelizmente, não sou um especialista em direito, mas, pelo que sei, me parece o caminho que precisa ser percorrido”. Este senhor de nome Vicenzo Paglia que é no caso o Ministro para a Família do Vaticano se mostrou totalmente contrário às formas de discriminação aos homossexuais, em particular no Oriente Médio e na África. “Em vários países, a homossexualidade é considerada um crime. É preciso combater isso e favorecer esta minoria”, falou o arcebispo italiano na entrevista. Designado nos últimos tempos para administrar um dos ministérios-chave do Vaticano, este senhor reiterou na continuação, suas declarações em defesa do “casamento homossexual igual ao heterossexual”, que ele considera “mais um elemento fundador” da nova sociedade que esta por vir”. O ministro também afirmou ser a favor aprovação de leis que permitam casais homossexuais a adotarem.
      “A Igreja conhece o preço do que é uma família sem filhos, dos idosos sozinhos e dos doentes. A família se transformou ao longo de décadas, mas nunca vamos abandonar seu tradicional “˜genoma”™, ou seja, que é formada por um homem, uma mulher e seus filhos”, declarou o arcebispo.
      Este cidadão soltou um comunicado, após a entrevista, dizendo que ficou surpreso com a boa repercussão na imprensa de que ele apoiava o casamento gay. Para explicar sua posição, o ministro do Vaticano disse que é necessário “verificar nos ordenamentos jurídicos existentes a possibilidade de utilizar normas jurídicas que tutelem os direitos individuais”. “Isso vai além da aprovação de certas visões. Espero que minhas palavras sejam compreendidas para compreenderam também “o carinho com que foram pronunciadas”. Completou o religioso.
      Considerando que o ex-Papa Bento 16 não aceitava o “relativismo cultural e de costumes”:

      http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/sucessao-do-papa/conteudo.phtml?tl=1&id=1348721&tit=Relativismo-o-inimigo-sutil

      Não deu outra! Para não se “queimar junto”, pediu pra sair!

  2. Vocês são tão ridiculos quanto o chargista, repeito a religião, zero.

  3. Agora é rezar para que o Beto 45 siga o exemplo do Bento 16!