16 de fevereiro de 2013
por esmael
48 Comentários

Prefeitos suspendem transporte escolar e ameaçam acampar em frente à  sede do governo do Paraná

Clique na imagem para ler o documento.

Clique na imagem para ler o documento.

Prefeitos da Amocentro (Associação dos Municípios do Centro do Paraná) decidiram fazer um acampamento em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, na próxima terça-feira, dia 19 de fevereiro, em protesto contra o calote no repasse de recursos ao transporte escolar dos municípios. Leia mais

16 de fevereiro de 2013
por esmael
75 Comentários

Gurgel escolheu a dedo possível algoz de Lula

do Brasil 247

Depois de dizer que o depoimento em que o empresário Marcos Valério envolve o ex-presidente Lula diretamente com o suposto esquema do mensalão seria encaminhado para o Ministério Público Federal em São Paulo, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, mudou de ideia e enviou as acusações a Minas Gerais. O procurador-geral justificou a mudança de ideia dizendo que tramitam na Justiça mineira outros processos referentes ao esquema. Mas a decisão talvez tenha outro componente: um dos procuradores que irá investigar o caso, José Adércio Leite Sampaio, é pessoa de total confiança de Gurgel !“ e não será surpresa se o ex-presidente vier a ser denunciado.

Leia, abaixo, reportagem da revista Istoé deste fim de semana, que trata do caso:

Os homens que vão investigar Lula

Quem são os procuradores federais responsáveis pela apuração das acusações de Marcos Valério contra o ex-presidente

por Josie Jerônimo

Desde a quinta-feira 14, o procurador Leonardo Augusto Santos Melo, 36 anos, encontra-se no centro de um furacão político. Caberá a ele, escolhido por sorteio, a tarefa de examinar as seis peças de acusação reunidas pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sem prazo definido para desincumbir-se do trabalho, Santos Melo, que está há nove anos no Ministério Público Federal de Minas Gerais, terá a palavra inicial sobre o caso. Pode pedir o indiciamento do presidente pelo crime de tráfico de influência, como admite a documentação de Gurgel. Ou escolher outro caminho, mandando arquivar o processo. Caso decida encerrar o caso, a decisão não será definitiva, pois há a possibilidade de outro procurador pedir que o processo seja reaberto e examinado mais uma vez.

Ainda que o estatuto do Ministério Público garanta autonomia plena a cada procurador, que não obedece a nenhuma hierarquia em seu trabalho, Santos Melo não estará sozinho em sua tarefa. Ele será acompanhado pelo Núcleo do Patrimônio Público e Social do Ministério Público Federal de Minas, composto por quatro procuradores. Um deles é Adailton Ramos do Nascimento, procurador-geral do Estado, que tem poderes para discutir os rumos da investigação e mesmo indicar procuradores para auxiliar no trabalho. Definido pelo deputado Mauro Pestana (PSDB-MG) como um “homem ponderado,” Ramos do Nascimento já foi acusado de engavetar uma investigação sobre tráfico de órgãos, numa iniciativa que terminou por proteger um deputado tucano.

Outro personagem que em breve estará por perto da instituição qu