Petista critica fiscalização integrada da ‘Aifu’ em Curitiba

Manifestação contra o fechamento do Beto Batata, realizada em 2011: contra a patrulha do silêncio. Foto: Walter Alves/Gazeta do Povo.

Manifestação contra o fechamento do Beto Batata, realizada em 2011: contra a patrulha do silêncio. Foto: Walter Alves/Gazeta do Povo.

O petista Milton Alves, histórico militante e agitador cultural curitibano, criticou nesta terça-feira (29) a volta da Aifu (Ação Integrada de Fiscalização Urbana), que reúne a Segurança Pública, Bombeiros e Vigilância Sanitária para vistoriar a regularidade de bares e casas noturna.

Em artigo publicado em seu blog (clique aqui para acessar), Alves disse que a fiscalização da Aifu foi marcada no passado pela truculência.

“Quem não recorda o fechamento intempestivo e violento do Beto Batata, um espaço cultural da cidade, o que causou a suspensão da Aifu em meados do ano passado?”, pergunta o petista, para logo em seguida sapecar: “a volta da Aifu é pura falta de imaginação”.

A seguir, a íntegra do artigo de Milton Alves:

Volta da Aifu, falta de imaginação!

No calor da tragédia de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, a prefeitura de Curitiba anunciou a reativação da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu). A antiga operação foi caracterizada pela abordagem truculenta e policial, causando diversos transtornos aos proprietários e frequentadores de bares e casas noturnas da capital. A sigla e a ação lembram repressão, estigma de expedição punitiva.

Quem não recorda o fechamento intempestivo e violento do Beto Batata, um espaço cultural da cidade, o que causou a suspensão da Aifu em meados do ano passado?

A administração municipal deve adotar medidas de controle: uma política permanente de fiscalização e prevenção, integração dos organismos municipais na execução da política, mais rigor e transparência na liberação de alvarás e uma mesa de diálogo com as partes envolvidas – poder público, empresários e agentes culturais.

Agora voltar com a Aifu, é no mínimo falta de imaginação.

Comentários encerrados.