Pessuti canta ópera para Gleisi; deputados do PMDB tomam chá das cinco com Richa

Tacitamente, Requião e Pessuti travam reforma de Richa.

Tacitamente, Requião e Pessuti travam reforma de Richa.

Ontem à  noite (29), em Brasília, o ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB do Paraná, deu uma “palinha” ao cantar ópera para ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao governo do Paraná em 2014. Cerca de 250 prefeitos paranaenses aplaudiram e aprovaram o desempenho do tenor!.

Amanhã, quinta-feira (31), a 1200 km do Distrito Federal, em Curitiba, será a vez da bancada estadual do PMDB tomar chá da tarde com o governador Beto Richa (PSDB) à s 17 horas. O assunto será o mesmo de sempre: ampliar espaço do partido na administração estadual.

Pessuti é a noiva! desejada por todos os principais atores que estão de olho no Palácio Iguaçu. Na mesma proporção, o ex-governador também é odiado pelos deputados estaduais que ensaiam acasalar! com o tucano desde já.

Pessuti converteu-se em fiel da balança no intrincado jogo interno peemedebista dividido em três alas. Além da dele, tem a do senador Roberto Requião e da bancada estadual !“ que é fragmentada em 12 pedaços.

O PMDB perdeu força na propalada reforma do secretariado de Richa. Se antes era um partido fundamental para o tucano, hoje há dúvidas no Palácio Iguaçu. A própria bancada estadual vem reduzindo suas ambições. Antes pleiteava quatro secretarias e 2 autarquias. Atualmente se contenta com coligação proporcional com o PSDB, em 2014, e alguns cargos comissionados para atender o varejo.

Resumo da ópera: Tacitamente (sem combinar), Requião e Pessuti travaram a reforma de Richa.

Comentários encerrados.