No contracheque, governo do Paraná aplica calote nas férias de professores e funcionários de escolas

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

O blog teve acesso a contracheque de professor da rede pública do Paraná (veja o fac-símile). Emitido à s 14h23 desta segunda-feira (28), não há lançamento de 1/3 de férias previsto. O pagamento deveria ocorrer na próxima quarta-feira (30).

Educadores relatam que foram à  agência do Banco do Brasil para retirar extratos bancários da conta. Os lançamentos futuros não trazem o pagamento das férias. São várias reclamações nesse sentido. Há cheiro de calote no ar.

No sábado (26), este blog denunciou em primeira mão que o governo do Paraná pretendia dar calote em 1/3 de férias dos professores (clique aqui para relembrar). Uma das teses levantada é de que o governo tucano tenta uma manobra contábil para driblar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Por causa de gastos com a folha acima do limite prudencial, Richa não consegue tomar recursos emprestados junto ao BNDES e outros órgãos financeiros.

Até o momento, o governo do Paraná ou a Secretaria de Estado da Educação (SEED) não se pronunciaram oficialmente sobre essa lambança.

Extraoficialmente, falou-se em erro de digitação! nos contracheques de professores e funcionários da Educação. São cerca de 90 mil profissionais espalhados em 2,1 mil escolas em todo o estado. Também se disse que o erro fora sanado no próprio sábado. Mereceu registro deste blogueiro (relembre clicando aqui), no entanto, a história não confere. Tem cheiro de calote no ar.

Comentários encerrados.