Depois de Dilma reduzir energia, empresários agora querem tarifa de água mais barata

* FIEP formaliza pedido para Richa diminuir conta da Sanepar

Campanholo, da Fiep, agora lança campanha pela redução da tarifa da água.

Campanholo, da Fiep, agora lança campanha pela redução da tarifa da água.

Uma nova campanha pela redução de tarifas de serviços públicos pode ganhar o país nos próximos dias. Depois de a presidenta Dilma Rousseff garantir que a conta de luz cairá em 18% para as residências e até 32% no setor industrial, empresários querem agora tarifa de água e esgoto mais barata.

A boa nova vem do Paraná. Coube ao presidente da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), Edson Campagnolo, levantar essa bandeira. Segundo ele, a Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), assim como as demais concessionárias de água do país, é a maior consumidora de energia do estado.

O impacto do “bônus” concedido à s empresas brasileiras, inclusive as de água e esgoto, podem ajudar em um circulo virtuoso de desenvolvimento e prosperidade!, analisa Campagnolo. No caso paranaense, calcula o presidente da FIEP, ou esse bônus! é repassado em forma de desconto aos consumidores ou em forma de dividendos aos acionistas privados da Sanepar.

Uma parte do dinheiro para subsidiar a tarifa de energia é bancada pelo tesouro nacional, outra da antecipação da renovação de concessões de usinas e de linhas de transmissão que estão sob as jurisdições de governos estaduais. O governador Beto Richa (PSDB) aderiu parcialmente ao plano da presidenta Dilma.

Se a Sanepar não reduzir a tarifa da água, o governo federal apenas estará maximizando os ganhos de sócios privados de uma empresa estratégica ao setor produtivo e aos paranaenses. Não creio que seja essa a vontade da presidenta!, opinou Campagnolo.

A Sanepar é uma empresa de capital misto cujo sócio majoritário é governo do Paraná e outra empresa de capital misto, a Copel (Companhia Paranaense de Energia), também sob o controle do governo paranaense, figura entre os sócios da companhia de água e esgoto.

A redução da tarifa da água é mais do que uma questão econômica, é uma questão de coerência com os consumidores!, concluiu Edson Campagnolo, presidente da FIEP.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. sera que alguen e corajoso para bater de frente com a sanepar e impedir os abusos de valores que e cobrado na tarifa , pois a sanepar tem que faturar alto para bancar os altos salarios do alto escalao e os acionistas que so visa altos lucros , numa empresa que deveria ser social sem o ambito de altos lucros .
    sem dizer que a empresa e um cabide de empregos politicos . alguem por favor faca alguma coisa . fora sanepar

  2. O Richa sempre está na contramão, pois deveria reduzir a tarifa de água e esgotos e também o ICMs da Energia, a Copel tem bastante dinheiro sobrando, que até comprou um avião para uso do govêrno do estado. Será que é verdade que ele quer aumentar a tarifa da água em mais de 10%, se a água já aumentou 2 vezes e a últoma foi 16% e a infração não chegou a 6%. Lembrem-se, foi ele que decretou aquele aumento milionário nas taxas do Detran. Esse cara está com os dias contados no govêrno, é uma pena que vai deixar muitas dívidas para a Gleici assumir.

  3. Sonha Marcelino, sonha!!!

  4. Com Richa, primeiro vem os acionistas, empresários é último da fila.

  5. Nesse caso fica quase que impossível, pois o nosso Governador tem o compromisso de remunerar cada vez mais os acionistas privados da empresa, deixando de lado os interesses da população, comércio e indústrias do nosso Estado, que a cada ano paga mais caro pelos serviços prestados pela Sanepar. Sem contar que não estãosendo efetuados investimentos com recursos próprios da empresa, somente estão sendo utilizados recursos do PAC do Governo Federal.